Artur Nobre de Gusmão

1922 – 1999

Historiador de Arte; Diretor do Serviço de Belas-Artes da Fundação Calouste Gulbenkian (1960 – 1992); Professor universitário; Professor na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (FCSH/NOVA) (1978 – 1989)

107 Exposições

Professor catedrático do ensino superior, historiador e crítico de arte, Artur Nobre de Gusmão licenciou-se em Ciências Históricas e Filosóficas na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa em 1946. Ainda no mesmo ano, e como professor assistente, aí começou a sua atividade docente.
Entre 1954 e 1958, lecionou História Geral da Arte e Arqueologia na Escola Superior de Belas-Artes do Porto.
Em 1956, defendeu a tese de doutoramento «A Expansão da Arquitectura Borgonhesa e os Mosteiros de Cister em Portugal», à qual foi atribuído o Prémio José de Figueiredo, da Academia Nacional de Belas-Artes.
Em 1958, regressou a Lisboa para lecionar na Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa (ESBAL). Bolseiro do Instituto de Alta Cultura, fez uma pós-graduação em História da Arte em Bruxelas e outra em Paris, na Sorbonne.
Após a Revolução de 25 de Abril de 1974, foi nomeado diretor-interino da ESBAL por ser, então, o professor decano.
Em 1978, foi convidado a lecionar na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, onde exerceu igualmente as funções de vice-reitor até 1989.
Fundador da Associação Portuguesa de História da Arte, autor de numerosas conferências e palestras em Portugal e no estrangeiro, foi responsável pela organização de inúmeras exposições e catálogos e orientador de muitas teses de mestrado e doutoramento.
Em paralelo, e enquanto diretor do Serviço de Belas-Artes da Fundação Calouste Gulbenkian, o seu departamento contribuiu largamente para a divulgação das artes visuais em Portugal, quer através da organização de exposições, quer na atribuição de bolsas que permitiram a muitos artistas portugueses transpor os horizontes lusos, à época muito limitados pelo isolamento, falta de informação e censura.
Publicou vários livros, de entre os quais: A Real Abadia de Alcobaça (Lisboa, 1948); Alcobaça: Guia do Mosteiro (Lisboa, 1951); Henri Matisse (catálogo crítico da exposição, Porto, 1956); Breve Registo Biográfico do Pintor José de Brito (Porto, 1956); À Volta da Expressão Artística do Ex-Líbris (Porto, 1956); e Mosteiros Modernos de Cister (Porto, 1957).


Entidades Relacionadas


Eventos Paralelos


Publicações


Documentação


Imprensa


Exposições

Visconti

Visconti

1977 / Itinerância [organização externa]

Cargaleiro

Cargaleiro

1984 / Sede Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.