Perto…Tanto Quanto Possível (2014)

Joana Castro

Event Slider

Joana Castro invoca o espaço de intimidade de uma relação despojada no lugar de maior exposição. Uma impossibilidade à partida. Criado em 2014, este projeto partia da historiografia da sexualidade que diariamente as duas pessoas — Joana e Bruno — construíam isoladamente na vida real, confrontada com a estória da sensualidade momentânea construída em performance. Para a apresentação na Gulbenkian, a peça é repensada e interpretada por Joana e Francisco, e, portanto, a partir de uma nova relação que está por se estabelecer: “duas pessoas genericamente diferentes, vão encontrar-se num espaço de ficção, que é sempre um espaço de desejo — o palco (e, concomitantemente, a dança) é esse lugar sem género que impõe um olhar crítico sobre a pulsão do que nos atrai, cativa, excita ou invade.” (Rogério Nuno Costa)

Espetáculo com nudez integral.


FICHA TÉCNICA

Joana Castro Conceção, direção, guarda roupa e desenho de luz
Francisco Rolo e Joana Castro Interpretação
Bruno Senune e Joana Castro Elenco original
Flávio Rodrigues Música original
Bruno Alexandre Fotografia
Palcos Instáveis, Teatro Municipal Campo Alegre, La Marmita, Volksroom (Bruxelas), Lake Studios (Berlim), Festival Queer Porto, Rua das Gaivotas 6, Festival Contradança Residências artísticas e apresentações

Perto… tanto quanto possível recebeu a bolsa de apoio à criação da Fundação Calouste Gulbenkian em 2014.
Estreia: 16 de maio 2014, Palcos Instáveis, Teatro Municipal Campo Alegre, Porto


Joana Castro (Porto, 1988) desenvolve o seu trabalho entre a dança, a performance e o som. Conclui os seus estudos no Balleteatro Escola Profissional em 2006, frequenta o Programa de Estudo, Pesquisa e Criação Coreográfica no Fórum Dança em 2008, e o curso de pós-graduação em performance na Faculdade de Belas Artes do Porto. Como performer colaborou com Carlota Lagido, Joclécio Azevedo, Bruno Alexandre, Né Barros, Ana Borralho e João Galante, Victor Hugo Pontes, entre outras. Neste momento desenvolve uma colaboração com Maurícia | Neves a estrear na BoCA.


P DE DANÇA

Ao longo de dois fins de semana alargados, a dança regressa aos auditórios da Fundação com a apresentação de duas dezenas de criações apoiadas pela Gulbenkian ao longo dos últimos anos e que, em alguns casos, nunca foram apresentadas em Portugal. Mostra com a curadoria de João dos Santos Martins.

Ver programação

A Fundação Calouste Gulbenkian reserva-se o direito de recolher e conservar registos de imagens, sons e voz para a difusão e preservação da memória da sua atividade cultural e artística. Caso pretenda obter algum esclarecimento, poderá contactar-nos através de [email protected].