Política da Qualidade

A presente Política resume as principais orientações da Fundação Calouste Gulbenkian relativas à forma de atuação de todos os seus Colaboradores e evidencia o comprometimento do Conselho de Administração com as temáticas da qualidade, do ambiente, da saúde e segurança no trabalho, da responsabilidade social e do desenvolvimento sustentável.

O seu conteúdo foi definido com base nos Estatutos e no “Código de Conduta”, na Missão e na Visão, tendo em conta as especificidades resultantes da natureza fundacional da Instituição e a diversidade das atividades.

A Fundação pretende consolidar e elevar, de forma sustentada, o seu desempenho institucional em sintonia com os seus principais Valores – Integridade, Independência, Transparência e Responsabilidade em todas as suas áreas de intervenção nomeadamente na Arte, na Beneficência, na Ciência e na Educação.

Nesta perspetiva, todos os Colaboradores da Fundação devem ter consciência da importância do seu contributo para o desempenho global da Fundação pelo que, independentemente das suas funções e áreas de atividade, devem desenvolver o seu trabalho de forma coerente com os interesses da Fundação e de todas as outras Partes Interessadas relevantes.

 

Como princípios de atuação diária, consideram-se:

  • Brio Profissional
    Todos os Colaboradores devem ser exigentes consigo próprios no sentido de desempenharem as suas funções com o rigor devido, quando aplicável estarem atentos às necessidades dos seus Beneficiários e Públicos principalmente para os que evidenciam necessidade de apoio específico e contribuírem, proativamente, para a identificação e implementação de oportunidades de melhoria.
  • Espírito de Equipa
    As Direções devem promover o espírito de equipa intra e interdepartamental no sentido de prevalência da visão e interesses gerais de modo a que cada Colaborador contribua, de forma orientada e otimizada para esse propósito.
  • Cumprimento de Requisitos
    Cada área de atividade deve assegurar a prestação dos serviços de forma coerente com todos os requisitos aplicáveis a todas as vertentes do sistema de gestão da qualidade, incluindo os que a Fundação considere mais relevantes para as diferentes Partes Interessadas.
    Para além de outros requisitos que a Fundação identifique ou subscreva, deve haver evidências do cumprimento de todas as questões de caráter legal e regulamentar relacionadas com as características dos produtos e serviços, com os aspetos ambientais, com os perigos para a saúde e segurança das Pessoas e com as questões relacionadas com responsabilidade social.
    A Fundação deve garantir que passa esta mensagem aos seus fornecedores e prestadores de serviços.
  • Proteção do Ambiente
    Todas as áreas de atividade devem dispor de mecanismos que assegurem a redução do desperdício dos recursos e a prevenção da poluição decorrente dos respetivos impactes, bem como exercer a sua capacidade de influência nas diversas Partes Interessadas, com o intuito da proteção do ambiente.
  • Promoção da Saúde e Segurança no Trabalho
    Todas as áreas de atividade devem dispor de mecanismos que assegurem a minimização dos riscos de exposição dos Colaboradores, incluindo Prestadores de Serviço.
  • Satisfação dos Beneficiários e dos Públicos
    Todas as áreas de atividade devem assegurar que os Beneficiários da ação da Fundação e os Públicos reconhecem a qualidade dos serviços prestados e ficam satisfeitos e motivados para manter a sua ligação à Fundação. Devem igualmente assegurar que são salvaguardados os interesses de outras Partes Interessadas.
  • Melhoria Contínua
    Todas as áreas de atividade devem, de forma sistematizada, definir objetivos e desenvolver ações que contribuam para a melhoria contínua da eficácia e da eficiência do sistema de gestão da qualidade bem como para a sustentabilidade económica, social e ambiental de modo a assegurar a otimização dos resultados da Fundação, o envolvimento e apoio à comunidade e a outras Partes Interessadas relevantes e a preservação do meio ambiente, com vista a garantir a qualidade de vida das futuras gerações.
  • Liderança e Governança
    As Direções devem ser exemplos de comprometimento com todos os princípios de atuação e assegurar, na medida do adequado, o desdobramento operacional da presente Política no âmbito de cada área de atividade e a implementação do respetivo sistema de gestão da qualidade em toda a sua plenitude.

 

Versão 2 – 08 novembro 2019

A presente Política define as linhas de orientação relativas à atividade de Exposições Permanentes e Temporárias e foi definida com base na Política da Qualidade da Fundação Calouste Gulbenkian, tendo em conta a sua Missão, a sua Visão e os respetivos Valores. Por esta razão, deve ser assumida como um complemento a seguir por todas as Unidades Orgânicas e respetivos Colaboradores envolvidos na referida atividade.

A Fundação pretende que as suas Exposições contribuam para a divulgação e promoção da arte e da cultura e que os Públicos reconheçam a mais-valia da experiência adquirida tanto ao nível estético como ao nível do conhecimento, bem como a qualidade do serviço prestado e das infraestruturas de apoio.

Consciente da exigência e diversidade dos seus Públicos, a Fundação estabelece as seguintes orientações estratégicas para as suas Exposições:

  • Divulgação da riqueza do património artístico da Fundação através da apresentação das Exposições Permanentes das obras do Museu Calouste Gulbenkian.
  • Promoção de abordagens inovadoras das expressões artísticas, culturais e científicas que privilegiem o diálogo entre o património do passado e a criação contemporânea e promovam o respeito pela diversidade cultural
  • Estabelecimento de parcerias com instituições nacionais e internacionais, para o acolhimento e cedência de obras de arte e para a realização de Exposições conjuntas, de modo a aumentar a oferta e a dinamizar a agenda cultural
  • Desenvolvimento de vertentes de extensão educativa que estimulem o papel das exposições como instrumento de formação de novos públicos, de diferentes níveis etários e perfis socioculturais
  • Comprometimento com a Qualidade global das Exposições, nomeadamente no que se relaciona com o seu conceito, com as obras apresentadas, com o modo de expor e com a informação disponibilizada, bem como com os serviços e infraestruturas de apoio, de modo a ser reconhecida como uma instituição, sustentável, de referência no contexto nacional e internacional

 

Como princípios de atuação diária, necessários à concretização das orientações anteriores, consideram-se:

  • Brio Profissional 
    Todos os Colaboradores devem ter as competências adequadas às suas funções e desempenhá-las com o máximo rigor e em sintonia com as normas deontológicas aplicáveis, conciliando os interesses dos Públicos com os procedimentos internos necessários à concretização do conceito das Exposições e à segurança e preservação das obras.
    Todos os Colaboradores devem ter consciência da importância da sua atitude para a satisfação dos Públicos e para o sucesso das Exposições.
  • Espírito de Equipa
    As Direções envolvidas devem definir os procedimentos e modos de comunicação mais adequados para a otimização das suas competências e esforços em prol do sucesso de cada Exposição.
    Todos os Colaboradores devem ajudar-se, mutuamente, para a resolução de todas as situações diárias.
  • Cumprimento de Requisitos
    As Direções envolvidas devem assegurar a identificação, e respetivo cumprimento, de todos os requisitos aplicáveis à realização de Exposições. Para além dos requisitos legais e regulamentares e de outros necessários às várias atividades, incluindo a salvaguarda das obras, devem ser assegurados todos os que a Fundação estabeleça com partes interessadas relevantes destacando os artistas e as instituições parceiras.
  • Proteção do Ambiente
    As Direções envolvidas devem definir e implementar procedimentos que contribuam para a redução do desperdício dos recursos utilizados na realização de Exposições e para a prevenção da poluição decorrente dos respetivos impactes com o intuito da proteção do ambiente.
    Os materiais a utilizar devem, quando possível, ser escolhidos com base em critérios ambientais e ser reutilizados.
    Todos os Colaboradores e demais partes interessadas envolvidas devem cumprir as boas práticas de gestão ambiental aplicáveis e assegurar a adequada separação e encaminhamento de resíduos decorrentes da atividade
  • Promoção da Saúde e da Segurança no Trabalho
    As Direções envolvidas devem definir e implementar procedimentos que assegurem a minimização dos riscos de exposição dos Colaboradores, incluindo Prestadores de Serviço, em todas as fases necessárias à realização de Exposições.
    Todos os Colaboradores, e demais intervenientes, devem cumprir os procedimentos previamente definidos.
  • Satisfação dos Públicos
    As Direções promotoras devem implementar ações adequadas para que os Públicos reconheçam o interesse dos temas e a qualidade das Exposições e dos serviços complementares de modo a que fiquem satisfeitos e motivados para manter a sua ligação à Fundação. Para identificação de eventuais oportunidades de melhoria, devem existir mecanismos, proativos e sistemáticos, de auscultação e de recolha de opiniões que permitam a respetiva análise dos resultados obtidos.
  • Melhoria Contínua
    As Direções promotoras devem, de forma sistematizada, partilhar o conhecimento e a experiência obtida com cada Exposição, definir objetivos e desenvolver ações que contribuam para a melhoria contínua da eficácia e da eficiência do sistema de gestão da qualidade aplicável, quer na perspetiva interna quer na perspetiva dos Públicos e de outras Partes Interessadas relevantes, de forma coerente com os princípios do desenvolvimento sustentável e demais orientações incluídas na presente Política da Qualidade.

 

Versão 2 – 08 novembro 2019

A presente Política define as linhas de orientação relativas à atividade da Biblioteca de Arte e foi definida com base na Política da Qualidade da Fundação Calouste Gulbenkian. Por esta razão, deve ser assumida como um complemento a seguir por todos os colaboradores envolvidos na referida atividade.

A Fundação pretende que a Biblioteca de Arte seja um centro de informação e documentação de excelência sobre as atividades artísticas, críticas, didáticas e académicas nas áreas da história da arte, das artes visuais, da fotografia, da arquitetura e do design, em Portugal, entre o século 20 e a atualidade, disponibilizando o seu acervo documental aos públicos especializados, promovendo a investigação científica, potenciando o papel cívico da Arte na sociedade e apoiando as várias unidades orgânicas na concretização das diversas atividades da Fundação.

Consciente da relevância deste papel, a Fundação estabelece as seguintes orientações estratégicas para os serviços a prestar pela Biblioteca de Arte:

  • Prospeção constante e seleção criteriosa e consistente de conteúdos de modo a assegurar a disponibilização de recursos de informação de referência e atualizados
  • Desenvolvimento das coleções e dos serviços, em sintonia com as necessidades dos seus diferentes Públicos e de outras Partes Interessadas relevantes
  • Oferta de um conjunto coerente de serviços de difusão e acesso recorrendo a soluções e meios consistentes com a permanente evolução tecnológica
  • Divulgação e exploração proativa dos recursos de informação, especialmente dos que assumem caráter patrimonial, privilegiando os meios digitais de difusão, contribuindo para a minimização dos impactes ambientais e promovendo a sustentabilidade.

 

Como princípios de atuação diária, necessários à concretização das orientações anteriores, consideram-se:

  • Brio Profissional
    Todos os Colaboradores que prestam serviço na Biblioteca de Arte devem ter as competências adequadas às suas funções, ser exigentes consigo próprios, no sentido de desempenharem as suas funções com o rigor devido, estarem atentos às necessidades dos seus Públicos no respeito pelos princípios da liberdade intelectual, do livre acesso à informação e da liberdade de expressão e no reconhecimento do direito à privacidade destes na utilização dos serviços e recursos, bem como contribuírem proativamente para a identificação e implementação de oportunidades de melhoria.
    Todos os Colaboradores devem ter consciência da importância da sua atitude para a satisfação dos Públicos e para o sucesso da Biblioteca de Arte.
  • Espírito de Equipa
    A Direção da Biblioteca de Arte deve promover o espírito de equipa entre os seus Colaboradores, para que cada um se envolva ativamente na concretização da missão e dos objetivos de grupo e na cooperação interdepartamental de modo a contribuir para o êxito de todas as atividades.
  • Cumprimento dos Requisitos
    A Biblioteca de Arte deve assegurar a prestação de serviços de forma coerente com todos os requisitos aplicáveis, incluindo os de caráter legal e regulamentar relacionados com os domínios do armazenamento, gestão e disponibilização da informação bem como quaisquer outros específicos solicitados pelos Públicos ou por outras Partes Interessadas, incluindo os relacionados com os cidadãos com necessidades especiais, em sintonia com os procedimentos internos.
  • Proteção do Ambiente
    A Biblioteca de Arte deve assegurar a implementação de procedimentos e medidas que contribuam para a sustentabilidade ambiental, nomeadamente através da redução do uso de papel, da utilização de métodos de conservação e preservação que privilegiem o uso de materiais reutilizáveis e produtos com o menor impacte ambiental possível, dando preferência a soluções não-invasivas, não-tóxicas e ecológicas.
    Todos os colaboradores e demais partes interessadas envolvidas devem cumprir as boas práticas de gestão ambiental aplicáveis e assegurar a adequada separação e encaminhamento de resíduos decorrentes da atividade.
  • Promoção da Saúde e da Segurança no Trabalho
    A Direção da Biblioteca de Arte, em conjunto com as Unidades Orgânicas envolvidas no tema, deve definir os procedimentos e implementar as ações necessárias para que os seus Colaboradores e Públicos usufruam das condições mais adequadas à preservação da sua saúde e segurança. Todos os Colaboradores devem cumprir os procedimentos previamente definidos.
  • Satisfação dos Públicos
    A Biblioteca de Arte deve assegurar a implementação de procedimentos e medidas que contribuam para a satisfação dos seus Públicos, com relevo para a oferta de informação e para as formas de acesso. Para identificação de eventuais oportunidades de melhoria, devem existir mecanismos, proativos e sistemáticos, de auscultação e de recolha de opiniões que permitam a respetiva análise dos resultados obtidos.
  • Melhoria Contínua
    A Direção da Biblioteca de Arte deve definir, de forma sistematizada, ações e objetivos, que contribuam para a melhoria contínua da eficácia e da eficiência do sistema de gestão da qualidade aplicável, quer na perspetiva interna quer na perspetiva dos seus Públicos-alvo e demais Partes Interessadas relevantes, de modo coerente com os princípios do desenvolvimento sustentável e outras orientações incluídas na presente Política da Qualidade.

 

Versão 2 – 08 novembro 2019

A presente Política define as linhas de orientação relativas à atividade da venda de produtos nas Lojas e foi definida com base na Política da Qualidade da Fundação Calouste Gulbenkian, tendo em conta a sua Missão, a sua Visão e os respetivos Valores. Por esta razão, deve ser assumida como um complemento a seguir por todas as Unidades Orgânicas e respetivos Colaboradores envolvidos na referida atividade.  

A FCG pretende que as suas Lojas sejam, por excelência, um veículo de divulgação e promoção do seu património e das suas atividades e que constituam, por isso, um instrumento de angariação e de fidelização de públicos-alvo.

Consciente da exigência e diversidade dos seus públicos, a FCG estabelece as seguintes orientações estratégicas para as suas Lojas:

  • Exposição e venda exclusiva de publicações editadas ou apoiadas pela Fundação Calouste Gulbenkian ou relacionadas com atividades promovidas nos seus espaços;
  • Exposição e venda privilegiada de artigos, criados em regime de exclusividade, que permitam novos olhares sobre o património da Fundação;
    • Gestão integrada de linhas de artigos, direcionados para os diversos públicos tendo em conta as diferenças de interesses e de possibilidades, que complementem a experiência da sua visita e da sua participação nas principais atividades da Fundação;
    • Procura permanente de opções de artigos coerentes com os princípios do desenvolvimento sustentável;
    • Comprometimento com a qualidade do atendimento assegurado pelas equipas das lojas de modo a refletir as preocupações da Fundação com todos os fatores de desempenho dos serviços disponibilizados e a contribuir para o interesse dos públicos em manter a ligação com a Fundação;
    • Promoção de um diálogo construtivo com o público de modo a reforçar os mecanismos de obtenção de informação relativa ao desempenho das lojas para melhor perceção de oportunidades de melhoria.

 

Como princípios de atuação diária, necessários à concretização das orientações anteriores, consideram-se:

  • Brio Profissional

    Todos os Colaboradores devem ter as competências adequadas às suas funções e desempenhá-las com o máximo rigor e de acordo com os procedimentos aplicáveis.

    As equipas das lojas devem ainda ter especial cuidado com a sua apresentação e atitude, bem como com a harmonia dos espaços de atendimento, de forma coerente com a imagem institucional da Fundação.

  • Espírito de Equipa

    Independentemente da função e atribuições individuais, todos os Colaboradores devem desenvolver a sua atividade num genuíno espirito de entreajuda e de responsabilidade solidária em prol do desempenho de toda a equipa.

  • Cumprimento de Requisitos

    A FCG deve assegurar a identificação, e respetivo cumprimento, de todos os requisitos aplicáveis à venda de produtos.

    Para além dos requisitos legais e regulamentares relacionados com os produtos ou com as suas embalagens, devem ser salvaguardados quaisquer outros que a FCG estabeleça com instituições no âmbito das publicações em regime de apoio ou com outras Partes Interessadas relevantes.

  • Satisfação dos Públicos

    A FCG procura, de forma contínua e sustentada, melhorar os procedimentos necessários à garantia da satisfação dos públicos das lojas, quer a nível da gama de produtos disponibilizados quer a nível da qualidade do atendimento.

    Para identificação de eventuais oportunidades de melhoria, a FCG compromete-se a implementar, de forma sistematizada, mecanismos proativos de avaliação da satisfação dos seus públicos.

  • Proteção do Ambiente

    A FCG deve assegurar o controlo de todos os fatores que, associados aos seus artigos ou aos seus procedimentos, possam contribuir para a preservação do ambiente.

    Os materiais a utilizar nos artigos e as respetivas embalagens devem ser escolhidas, sempre que possível, com base em critérios ambientais com o intuito da proteção do ambiente.

    Todos os Colaboradores e demais Partes Interessadas envolvidas na atividade das lojas, devem estar conscientes da importância do seu contributo para a otimização da utilização dos recursos e para a adequada gestão dos resíduos provenientes do seu trabalho.

  • Promoção da Saúde e da Segurança no Trabalho

    A FCG deve definir e implementar procedimentos que assegurem a minimização dos riscos de exposição dos seus Colaboradores.

    Todos os Colaboradores devem cumprir os procedimentos previamente definidos.

  • Melhoria Contínua

    A FCG deve, de forma sistematizada, definir objetivos e desenvolver ações que promovam a melhoria contínua da eficácia e da eficiência do sistema de gestão da qualidade aplicável, quer na perspetiva interna quer na perspetiva dos públicos e de outras Partes Interessadas relevantes de forma coerente com os princípios do desenvolvimento sustentável e demais orientações incluídas na presente Política da Qualidade.

Atualização em 06 junho 2022

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.