Cyborg Sunday (2014)

Dinis Machado

Event Slider

Dinis Machado cultivou o seu percurso por entre estudos de dança, teatro e artes visuais. Faz parte de uma geração de artistas que não encontraram o seu lugar em Portugal. Vive em Estocolmo desde 2012, viajando frequentemente pela Europa entre residências e apresentações.

Cyborg Sunday foi criado em 2014 e ecoava precisamente a fragmentação de uma geração que se espalhou pela Europa perante a crise económica vivida em Portugal no início dos anos 2010. Cinco performers recordavam em voz alta memórias ficcionais que se materializam numa estrutura de sensações físicas que ganham forma no espaço. Convidada agora a revisitar esta peça e perante a crise pandémica atual, Dinis Machado convida um elenco residente em Lisboa para interpretar o trabalho e que, nas suas palavras “reflete gerações e fluxos emergentes que habitam e lutam por possibilidades agora” na cidade que deixou.


FICHA TÉCNICA

Dinis Machado (SE/PT) Dramaturgia, coreografia e realização plástica
ODETE (PT), Jaja Rolim (BR/PT), Nëss (PT), a.Ves (PT) Interpretação
Anna Koch (SE), Vicky Malin (UK), ODETE (PT), Nikolas Kasinos (CY), Isadora Monteiro (PT) e Catherine Long (UK) Criado originalmente em parceria
Pedro Machado (BR/UK/PT) Olhar externo
ImPulsTanz (Viena), Dance4 (Nottingham), Lugar Instável (Porto) e Weld (Estocolmo) Residências
BARCO (PT), Weld (SE), NEC/Teatro Municipal do Porto (PT) e Dance4 (UK) Coprodução
ImPulsTanz no âmbito do “Life Long Burning” financiado pelo programa da União Europeia Cultura 2013-2018 / Desenvolvido com o apoio para as artes do Arts Council England Apoio

Cyborg Sunday recebeu a bolsa de apoio à internacionalização da Fundação Calouste Gulbenkian em 2015.
Estreia: 12 de fevereiro 2015 em Weld, Estocolmo.


Dinis Machado nasceu no Porto em 1987, viveu em Lisboa de 2005 a 2012 quando passou a viver em Estocolmo. Com formação em Dança e Artes Visuais, os seus trabalhos desenvolvem-se a partir do cruzamento destas duas áreas: onde o gesto concreto de construção plástica de objectos, espaços e corpos é recuperado e trabalhado como material coreográfico. Trabalha como performer para teatro e dança desde 1994. Em maio de 2014 concluiu o MA em Coreografia na DOCH (Estocolmo) dirigido por Jefta Van Dinther e Frederic Gies.


P DE DANÇA

Ao longo de dois fins de semana alargados, a dança regressa aos auditórios da Fundação com a apresentação de duas dezenas de criações apoiadas pela Gulbenkian ao longo dos últimos anos e que, em alguns casos, nunca foram apresentadas em Portugal. Mostra com a curadoria de João dos Santos Martins.

Ver programação

A Fundação Calouste Gulbenkian reserva-se o direito de recolher e conservar registos de imagens, sons e voz para a difusão e preservação da memória da sua atividade cultural e artística. Caso pretenda obter algum esclarecimento, poderá contactar-nos através de [email protected].