Assentar sobre a subida das águas (2016)

Sónia Baptista

Slider de Eventos

“Num mundo flutuante não há finca-pé.” O trabalho recente de Sónia Baptista explora a inefável relação entre a escrita e a sua performance, no qual as palavras e a sintaxe formam uma cadência que determina a forma como o corpo se articula. Assentar sobre a subida das águas faz parte de uma série de monólogos-performance autobiográficos — dos quais se apresenta ainda In the fall the fox, e na queda raposar —, que vagueiam pela identidade da autora, esbatendo a fronteira entre o pessoal e o político. Neste trabalho foca uma “visão poética da possibilidade, mais que certa, e iminente, de uma catástrofe ou acontecimento catastrófico.” E relaciona esse sentimento trágico de irreversibilidade com a aceitação de um estado líquido de flutuação que é metáfora “da precariedade como forma de impermanência”.

Espetáculo falado em português (sem legendas).


FICHA TÉCNICA

Sónia Baptista Direção, Conceção, Escrita e Interpretação
Héloise Marechal e Sónia Baptista Vídeo
Maria do Mar Violino
Pedro Vaz Pintura
Sónia Baptista e Lara Torres Figurino
Sónia Baptista e Raquel Melgue Livro
Raquel Melgue Coordenação, execução técnica e fotografia original
Alkantara, Transforma Coprodução
Fundação Calouste Gulbenkian, Cão Solteiro Apoio
AADK Produção

Agradecimentos
Ana, Teresa, Horácio, Brigitte, Eduarda, Ana Vidigal, Clarissa Sacchelli, Luís Firmo,Thomas Walgrave, Cláudia Galhós, Liliana Coutinho, Isaque Ferreira, Nuno Moura, João Concha, Paula Sá Nogueira, Sofia Campos, José Manuel Bernardo

Assentar sobre a subida das águas recebeu a bolsa de apoio à criação da Fundação Calouste Gulbenkian em 2016.
Estreia: 31 de maio 2016, Alkantara Festival, Sala Mário Viegas, Lisboa.


Sónia Baptista (Lisboa, 1973) tem o Curso de Intérpretes de Dança Contemporânea do Fórum Dança e o grau Mestre em Coreografia e Performance da Universidade de Roehampton em Londres. No seu trabalho explora e experimenta com as linguagens da Dança, Música, Literatura, Teatro e Vídeo. Em 2001, foi-lhe atribuído o Prémio Ribeiro da Fonte de Revelação por Haikus. Tem oito livros publicados e inúmeros ensaios, poemas e escritos em revistas e plataformas digitais. Colabora em projetos de pedagogia, criação, escrita e reflexão. Artista Associada da AADK Portugal.


P DE DANÇA

Ao longo de dois fins de semana alargados, a dança regressa aos auditórios da Fundação com a apresentação de duas dezenas de criações apoiadas pela Gulbenkian ao longo dos últimos anos e que, em alguns casos, nunca foram apresentadas em Portugal. Mostra com a curadoria de João dos Santos Martins.

Ver programação

A Fundação Calouste Gulbenkian reserva-se o direito de recolher e conservar registos de imagens, sons e voz para a difusão e preservação da memória da sua atividade cultural e artística. Caso pretenda obter algum esclarecimento, poderá contactar-nos através de [email protected].