Projetos – Domínio atuação D

Apoio à empregabilidade e inclusão dos jovens

No âmbito deste Domínio de Atuação, o Programa apoia projetos que visam criar ou desenvolver mecanismos e instrumentos que visem, designadamente:

  • A capacitação para a empregabilidade, com prioridade aos jovens em situação de vulnerabilidade, incluindo o desenvolvimento de soft skills e a aquisição de competências para o mundo do trabalho
  • O empreendedorismo e criação de emprego, com prioridade aos jovens em situação de vulnerabilidade, incluindo formação e acompanhamento de novos empreendedores
  • A inclusão social de crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade

 D21-201041

Capacitação “4 job”

Promovido por Serviço Jesuíta aos Refugiados
Parceiros: Agrupamento de Escolas Pintor Almada Negreiros, João Líbano Monteiro & Associados, S.A. e Jerónimo Martins SGPS, SA

Este projeto surge das necessidades identificadas pelo promotor em termos de capacitação dos jovens que procuram integração no mercado de trabalho, e resulta da sua experiência com jovens migrantes. Visa desenvolver atividades de valorização pessoal, e seguidamente, estreitar relações entre jovens e potenciais empregadores, culminando com a efetiva integração no mercado de trabalho.

Integrarão o projeto 45 jovens migrantes em situação vulnerável, muitos dos quais à procura de 1.º emprego. Devidamente acompanhados, e cada um seguindo um Plano Individual de Intervenção, estes jovens vulneráveis e em risco de exclusão aperfeiçoarão as suas “soft skills” de forma a estarem melhor preparados para o mercado de trabalho, realizarão estágios não remunerados em empresas, e subsequentemente serão integrados no mercado de trabalho.

A parceria com escolas e entidades privadas é essencial para o sucesso, no que se refere ao desenvolvimento de competências em ambiente escolar, ao treino através de estágio no setor privado, e no apoio ao promotor no desenvolvimento e implementação do plano de comunicação do projeto e disseminação dos seus resultados junto da opinião pública e dos decisores políticos.

Áreas: Jovens; luta contra as discriminações
Projeto iniciado em Novembro de 2014
Apoio: 108.282€


D21-201137

Maior Empregabilidade

Promovido por IPAV – Instituto Padre António Vieira
Parceiros: Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos, Associação Nacional de Escolas Profissionais e Forum Estudante – Press Forum, Comunicação Social SA

O projeto tem como objetivo primordial promover a inclusão social de pessoas em situação de exclusão, através da (re)integração profissional, viabilizada pela capacitação pessoal, social e profissional de grupos socialmente desfavorecidos. A atuação do projeto centra-se, por um lado, na formação dos técnicos e voluntários que apoiam os grupos-alvo, e por outro, no apoio aos grupos-alvo que se pretende reintegrar socialmente. Incluirá a (in)formação e sensibilização de pessoas em situação de exclusão social, a capacitação para a reintegração na sociedade e o apoio e acompanhamento dos destinatários na criação do seu próprio emprego ou na adaptação a novas oportunidades de emprego efetivo, junto de empresas ou pela prestação de serviços úteis e solidários.

O projeto será desenvolvido em articulação com um conjunto diversificado de entidades que pela sua natureza e área de intervenção contribuirão para a prossecução dos objetivos a atingir em cada fase do projeto.

Área-chave: Combate contra desigualdades sociais, pobreza e exclusão
Projeto iniciado em janeiro de 2014
Apoio aprovado: 104.398€
Mais informação:
Rua do Vale Formoso de Cima, nº 49-55
1950-265 Lisboa

Instituto Padre António Vieira

D21-201184

(IN)EET: Capacitação Local para a Empregabilidade Jovem

Promovido por Oikos – Cooperação e Desenvolvimento
Parceiros: Município de Braga, Associação Industrial do Minho e Instituto Português do Desporto e da Juventude

Os NEET (young people not in employment, education or training) são jovens que não estão no sistema de ensino nem estão a trabalhar, necessitando em muitos casos de apoio para ultrapassar essa circunstância e para construir um plano para o seu futuro. O projeto promove a empregabilidade de 100 destes jovens, no distrito de Braga. Aposta numa metodologia pedagógica inovadora em Portugal para a capacitação dos jovens para a empregabilidade, com recurso a uma rede de empresas simuladas.

O objetivo é melhorar as competências pessoais, sociais e de empregabilidade, através de apoio individualizado, treino de competências e contacto direto com potenciais empregadores. Será constituída uma bolsa de mentores, selecionados participantes e formados grupos de trabalho para os processos de coaching e orientação vocacional, depois cada jovem seguirá um de vários Percursos Alternativos de Capacitação para a Empregabilidade (PACE).

Áreas: Jovens; combate contra desigualdades sociais, pobreza e exclusão
Projeto iniciado em Novembro de 2014
Apoio: 112.853€


D21-201227

JEVE – Jovens para o Empreendedorismo Verde e Empregabilidade

Promovido por PEEP – Educar para Empreender (Associação)
Parceiros: Associação The K-Evolution, Nordland Research Institute e Bifrost University

A criação do próprio emprego e de novas empresas relacionadas com a economia verde requer não apenas um conjunto de competências para o empreendedorismo, mas também a capacidade de reconhecer oportunidades relacionadas com o ambiente e a sustentabilidade na criação de empregos verdes. Este projeto propõe-se preparar jovens nesse sentido, combinando formação técnica com a escolaridade formal. Uma vez reunido um conjunto apropriado de jovens, a capacitação nesta área será promovida através do desenvolvimento de uma ferramenta de formação online dedicada a esta área, bem como de formação presencial.

O projeto incluirá ainda a elaboração de um policy brief destinado a promover políticas públicas favoráveis, que proporá nomeadamente um conjunto de indicadores de avaliação e um inventário de competências necessárias a Portugal em matéria de economia verde. Crucialmente, o projeto conta com a transferência de práticas inovadoras dos parceiros norueguês e islandês, fazendo uso da sua experiência em empreendedorismo verde, com a adaptação de boas práticas para Portugal.

Áreas: Jovens; combate contra desigualdades sociais, pobreza e exclusão
Projeto iniciado em Novembro de 2014
Apoio: 99.798€
http://www.jeve.pt/

Peep - Educar para empreender

D21-201259

DEE – Desenvolvimento, Empreendedorismo, Empregabilidade

Promovido por Rumo, Cooperativa de Solidariedade Social, Crl
Parceiros: Associação Empresarial da Região de Lisboa, Associação Portuguesa de Emprego Apoiado e Acessível Êxito – Associação

Este projeto vai desenvolver, após cuidado diagnóstico, várias atividades para capacitar grupos de jovens com vista à inclusão social e à participação cívica, promovendo percursos integrados de inserção no mercado de trabalho. Vai definir, implementar e animar uma rede e plataforma interinstitucional de promoção de qualificação, empregabilidade, empreendedorismo e criação de emprego jovem.

Participarão no projeto associações juvenis, empresas, ONG e entidades públicas, apostando-se na promoção do empreendedorismo nas escolas e na compatibilização das necessidades do mercado de trabalho com as competências dos candidatos. Realça ainda a importância de concertar as diferentes visões que jovens e empresas têm sobre o apoio à empregabilidade e inclusão dos jovens. O projeto prevê a realização de processos experimentais em dois contextos territoriais distintos.

Áreas: Jovens; combate contra desigualdades sociais, pobreza e exclusão
Projeto iniciado em Setembro de 2014
Apoio: 97.576€

 

D21-201338

InSOCIALCHANGE – Integrating Mentoring, Coaching and Teaching to support youngsters

Promovido por RH +50 Associação Quadros Seniores
Parceiros: Agrupamento de Escolas Amadora Oeste, Stiftelsen Mangfold i arbeidslivet (MIA), e Youth Association For Sport and Tourism “Zdravetz”

Utilizar o conhecimento e experiência de profissionais seniores para ajudar jovens a adquirir capacidades e competências adequadas ao mercado de trabalho é o principal objetivo deste projeto. Os cursos profissionais públicos carecem atualmente de alguns dos conteúdos-chave para a competitividade no mercado laboral, e este projeto, a implementar no concelho da Amadora, irá disseminar uma metodologia de intervenção inovadora, agregando ferramentas de mentoring, coaching e formação/ensino profissional, recorrendo à experiência de quadros séniores que atuarão como mentores e coachers.
Desenhado para promover a empregabilidade de jovens em risco de exclusão social, a expetativa é que o projeto melhore as capacidades relacionais e de trabalho em grupo, bem como a autoconfiança, dos jovens participantes. Será também colmatada a necessidade de atualização de competências dos professores na questão da empregabilidade, e organizados seminários de partilha de experiencias entre seniores, empresários, professores, jovens e comunidade educativas.

Áreas: Jovens; promoção de parcerias entre ONG e autoridades públicas
Projeto iniciado em Outubro de 2014
Apoio: 117.969€

 

D21-201350

A New Deal for Youth Employment

Promovido por Monte – Desenvolvimento Alentejo Central, ACE
Parceiros: Universidade de Évora através do ICAAM – Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais Mediterrânicas e Associação dos Jovens Agricultores do Sul

Dirigido aos jovens do Alentejo Central, região com elevado nível de despovoamento e fraca dinâmica empresarial, o projeto fomenta a empregabilidade e inclusão no setor agrícola, numa perspetiva de dinamização económica e social do espaço rural. Para atingir este objetivo, serão dinamizadas redes para a promoção da inovação e empregabilidade, iniciativas para o reforço do empreendedorismo e investimentos que contribuam para a criação de emprego e aumento da cadeia de valor dos produtos agrícolas da região.

O projeto integra também duas ações de cooperação com centros de investigação em inovação e desenvolvimento rural, da Noruega, para as ONG portuguesas e norueguesas aprofundarem conhecimentos e trocarem experiências. O reforço de competências dos jovens será conseguido através da realização de ações de formação e de informação, contacto com boas práticas e estágios em explorações e empresas agrícolas, além do acompanhamento técnico.

Áreas: Jovens; promoção da participação cívica
Projeto iniciado em Outubro de 2014
Apoio: 124.643€


D21-201381

REDECOOL Emprego – Redes Colaborativas para o Emprego Local Jovem

Promovido por Animar – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local
Parceiro: Cooperativa António Sérgio para a Economia Social

Este projeto pretende promover a empregabilidade, reforçar a participação cívica e a inclusão dos jovens, nomeadamente os que se encontram em situações de maior vulnerabilidade. As medidas nacionais e locais de apoio ao emprego não tomarem em consideração o contexto distintivo destes jovens, os quais irão beneficiar, no âmbito deste projeto, de acompanhamento de proximidade que permitirá abordar as várias dimensões (social, psicológica, familiar, económica, escolar) dos seus problemas.

Serão, nomeadamente, criadas e dinamizadas 7 Redes Colaborativas para o Emprego Local Jovem em diferentes pontos do país, através das quais se procurará o envolvimento destes jovens para o desenvolvimento das suas competências e a sua integração no mercado de trabalho. O promotor irá contar com a colaboração de 7 organizações locais com experiência de trabalho com o desemprego local. O parceiro irá assegurar a ligação com os promotores de emprego, e a disseminação do produtos e recursos educacionais a criar, construídos a partir do conhecimento adquirido e das necessidades efetivas dos jovens apoiados pelo projeto.

Áreas: Jovens; criação de redes e plataformas de ONG
Projeto iniciado em Novembro de 2014
Apoio: 118.363€

Animar - Associação Portuguesa para o desenvolvimento local

D21-201466

Carta de condução para o emprego jovem

Promovido por PROEFA – Associação para a Promoção da Educação e Formação de Adultos
Parceiros: Talentus – Associação Nacional de Formadores e Técnicos de Formação e SEIVA – Associação ao Serviço da Vida

Portugal tem hoje uma taxa de desemprego jovem de cerca de 35%, e são urgentemente necessárias respostas práticas para a integração profissional. O objeto deste projeto será a criação da Carta de Condução para o Emprego Jovem, um título de validação da preparação e capacitação individual para a concretização do objetivo de emprego. Incluirá uma componente teórica de “código” e outra prática de “condução”, em ambiente laboral. Abrangerá o emprego por conta de outrem, o emprego verde e o empreendedorismo.

Será realizado um estudo diagnóstico das principais debilidades sentidas no acesso ao emprego, e seguidamente, criados manuais tanto para jovens (Livro de Código para o Emprego Jovem e Manual de Condução para o Emprego Jovem) como para formadores. Prevê-se também a formação de 14 formadores. Toda a metodologia será então testada e implementada, culminando na atribuição das primeiras 20 Cartas de Condução em Emprego Jovem. O projeto prevê ainda a criação de um portal online.

Área: Jovens; igualdade de género
Projeto iniciado em Abril de 2015
Apoio: 70.522€
www.proefa.pt

Carta de condução para o emprego jovem

D21-201201

TERRA JOVEM

Promovido por APPJ – Associação de Promoção de Públicos Jovens em Risco
Parceiros: Direção Regional da Juventude, Direção Regional da Solidariedade Social e Associação de Municípios da Ilha de S. Miguel

Para promover a empregabilidade de jovens em situação de vulnerabilidade nos Açores, o projeto procurará a dinamização de respostas locais de inserção em atividades agrícolas e artesanais, com a participação da comunidade. É realçada a formação transversal em competências para a empregabilidade, o empreendedorismo e a formação em contexto real de trabalho junto dos jovens. O projeto prevê uma atividade de mapeamento de território para identificar recursos públicos, privados, individuais ou coletivos da comunidade, a partir da qual serão dinamizados workshops locais de partilha de ideias e constituída uma rede.

Espera-se o envolvimento das ONG, uma melhor articulação entre as respostas existentes e a criação de outras, tal como a definição de uma marca transversal para a comercialização dos vários produtos desenvolvidos pelos jovens.

Área: Problemas das crianças e jovens
Projeto iniciado em Outubro de 2014
Apoio: 31.885€


D21-201221

MES – Marvila Empreendedora e Sustentável

Promovido por Seacoop, CRL
Parceiros: Fermenta – Associação e Santa Casa da Misericórdia de Lisboa

Este projeto potenciará o desenvolvimento sustentável da freguesia de Marvila, em Lisboa, através do fortalecimento da economia local. No seu âmbito, serão lançadas iniciativas–piloto, territorialmente sustentáveis, para a promoção do empreendedorismo jovem e desenhada uma estratégia de médio e longo prazo.

Sendo mais do que um projeto de inclusão social e profissional de indivíduos em situação de vulnerabilidade, as suas iniciativas promovem as dimensões económica, ambiental, cultural e de governação. Envolve um sistema de apoio ao empreendedorismo de base local, à empregabilidade e geração de rendimento. Integra um clube de produtores, nomeadamente para hortas, produtos alimentares caseiros ou artesanato urbano. Propõe a criação de clubes de consumidores, apostando na proximidade dos produtores locais, de um laboratório de inovação local, de uma marca local.

Áreas: Jovens; promoção da cidadania ativa
Projeto iniciado em Setembro de 2014
Apoio: 109.943€

 

D21-201490

Social Angels

Promovido por SOL DO AVE – Associação para o Desenvolvimento Integrado do Vale do Ave
Parceiro: Município da Póvoa de Lanhoso

Os “Anjos Sociais” serão uma comunidade empreendedora a criar no âmbito deste projeto na Póvoa de Lanhoso, envolvendo 50 jovens finalistas de cursos de formação profissional que se preparam para a entrada no mercado de trabalho, necessitando de caminhos para a empregabilidade; e 30 entidades públicas e privadas que enquadrarão projetos de empreendedorismo destes jovens.

O projeto é constituído por cinco componentes de ação: “choque empreendedor” para alertar a comunidade acerca da necessidade da sua mobilização para o empreendedorismo; identificação e estruturação de projetos e mobilização de novos atores estratégicos; consolidação de projetos e criação de redes de colaboração na comunidade em geral; oficinas de formação na área de Direitos Humanos, promovendo a criação de jovens empresários respeitadores desses direitos; e avaliação do projeto e criação de um guia de boas práticas que facilite a replicação do mesmo.

Áreas: Jovens; defesa dos Direitos Humanos, incluindo os direitos das minorias
Projeto iniciado em Outubro de 2014
Apoio: 64.697€
http://www.soldoave.pt/

Social Angels

D21-201530

IDEARIA

Promovido por CooLabora, CRL
Parceiros: GICC – Teatro das Beiras, Município da Covilhã e Universidade da Beira Interior

O projeto pretende ser uma solução alternativa e complementar às políticas públicas de empregabilidade jovem e fomento do empreendedorismo, graças à sua flexibilidade e enfoque nas necessidades específicas dos jovens. Tem como objetivo o desenvolvimento de competências sociais dos jovens através da sua participação em atividades experimentais que combinam arte, inovação e empreendedorismo social.

Os resultados esperados incluem o desenvolvimento de competências sociais através de oficinas artísticas e itinerários de formação, a promoção do empreendedorismo, disponibilizando uma plataforma para a experimentação e para a orientação de apoio às ideias empreendedoras; e através da criação de um manual de empreendedorismo social e um guia de boas práticas para o emprego jovem.
Os parceiros, imprescindíveis ao projeto, irão nomeadamente providenciar suporte logístico, técnico e de incubação, coordenarão e dinamizarão a intervenção artística, e assegurarão a coordenação científica e os processos de aconselhamento.

Áreas: Jovens; promoção da cidadania ativa
Projeto iniciado em Novembro de 2014
Apoio: 104.704€
www.coolabora.pt


D21-201727

Jovens Empreendedores com Futuro

Promovido por Associação das Aldeias de Crianças SOS de Portugal
Parceiros: Lojas Francas de Portugal, S.A. e Influe Portugal, Sistemas de Informação, S.A.

O projeto visa formar um grupo multirracial de 30 jovens institucionalizados para o empreendedorismo e para a empregabilidade. Pela experiência do promotor, a transição da institucionalização na juventude para a plena integração no mercado de trabalho e na sociedade não é um processo fácil, e quase nunca ocorre aos 18 anos.

As atividades a desenvolver incluem um programa de atividades concertadas com vista ao desenvolvimento de “soft skills” e à aquisição de competências para a prossecução de projetos empresariais conducentes ao autoemprego. Estes jovens serão assim estimulados para o empreendedorismo, e ajudados a ultrapassar os fatores de vulnerabilidade que são forçados a enfrentar. Serão ainda capacitados técnicos e voluntários, criado um manual de formação de jovens empresários, e fortalecida a ligação entre empresas, escolas e as comunidades locais envolvidas.
Os parceiros do projeto, bem como outras entidades envolvidas a um nível informal, irão proporcionar aos jovens um contacto prático com a realidade empresarial e uma oportunidade de desenvolvimento de “soft skills” e competências técnicas e de empreendedorismo. Espera-se que estes relacionamentos sejam uma ponte para futuros estágios e empregos.

Áreas: Jovens; capacitação das ONG
Projeto iniciado em Novembro de 2014
Apoio: 61.565€


D21-201151

TRAD(E)-IN – Tradição e Inovação para a Empregabilidade

Promovido por Caritas da Ilha Terceira
Parceiro: Fundação de Ensino Profissional da Praia da Vitória

Este projeto irá procurar revitalizar atividades tradicionais com potencial económico em Angra do Heroísmo, favorecendo a integração escolar e a empregabilidade de jovens especialmente vulneráveis de faixas etárias distintas, abordando desta forma o elevado nível de abandono escolar e desemprego jovem. O projeto contará com o apoio de escolas e outros parceiros locais.

Uma das três componentes a implementar será o desenvolvimento de itinerários vocacionais em ambiente escolar, centrado em atividades tradicionais, uma oferta atualmente inexistente na região. Será também apoiada a formação e reconversão de competências nas atividades tradicionais, com acompanhamento individual. O projeto terá também uma componente de apoio ao empreendedorismo nas atividades tradicionais, à criação de auto-emprego e à organização dos produtores. Prevê-se ainda a criação de uma estrutura de suporte à atividade económica de jovens com maior grau de vulnerabilidade.

Área: Jovens; combate contra desigualdades sociais, pobreza e exclusão
Projeto iniciado em Abril de 2015
Apoio: 68.678€
www.caritas.pt


D21-201173

ACOLHER – Cooperação intergeracional para um Turismo Ético e Responsável em meio rural

Promovido por Associação Fragas Aveloso
Parceiro: Associação Cultural de Nodar

Este projeto atuará em zonas rurais na região Centro, onde os jovens têm poucas saídas profissionais. O objetivo é capacitar 20 jovens em situação de vulnerabilidade como mediadores locais de atividades de Turismo Ético e Responsável (TER) com o envolvimento das comunidades locais, e criar uma rede de coordenação de jovens mediadores locais. Com a dinamização deste conjunto de iniciativas, espera-se operar alterações no tecido social através da promoção de turismo com moldes responsáveis e defensores do património ambiental, cultural e histórico.

Importa notar que o desemprego feminino é particularmente gravoso neste meio. O projeto incluirá o empoderamento de 15 mulheres das aldeias para o desenvolvimento de novas atividades económicas no âmbito do TER, contribuindo para assegurar uma base de sustentabilidade local e para a promoção da igualdade de género. Prevêem-se ainda outras iniciativas, entre as quais o estabelecimento de novas parcerias com entidades interessadas no turismo na região.

Área: Jovens; combate contra desigualdades sociais, pobreza e exclusão
Projeto iniciado em Abril de 2015
Apoio: 58.363€
https://www.facebook.com/


D21-201230

Umbrella Skills

Promovido por FigueiraViva – Ass. de Cooperação e Solidariedade para o Desenvolvimento
Parceiro: Ass. Comercial e Industrial da Figueira da Foz

O projeto irá estimular o empreendedorismo e a criação de emprego para jovens em situação de vulnerabilidade, através (a) do desenvolvimento de ciclos de formação específica na área do empreendedorismo ministrada por especialistas em várias áreas relevantes; (b) do acompanhamento, por uma rede de 12 mentores, dos jovens empreendedores no desenvolvimento dos seus projetos de negócio e no processo de aproximação ao tecido empresarial; e (c) do potenciamento das estruturas locais de apoio ao empreendedorismo nos municípios da Figueira da Foz e de Condeixa, onde o projeto será implementado.

Incluirá três ciclos de formação de 6 meses cada, envolvendo um total de 45 jovens. Cada ideia de negócio terá um mentor responsável pelo acompanhamento direto e individualizado até ao encerramento do projeto. Empreendedores locais disponibilizar-se-ão, a título voluntário, para partilhar a sua experiência empreendedora através de conversas informais. No final, é esperado ter seis negócios em fase de incubação.

Área: Jovens; igualdade de género
Projeto iniciado em Abril de 2015
Apoio: 68.491€
https://www.facebook.com/umbrellaskills

Umbrella skills

D21-201742

Cowork Social – Promoção do empreendedorismo de inovação social por jovens desempregados

Promovido por E&O – Engenho & Obra
Parceiros: Associação de Jovens Ecos Urbanos, RH Positivo – Soluções de Recursos Humanos, Unipessoal Lda e Freguesia de Paranhos

O objetivo deste projeto é a promoção do empreendedorismo de inovação social junto de jovens desempregados da Área Metropolitana do Porto. Pretende-se que pelo menos vinte jovens desenvolvam e concretizem projetos empresariais de inovação social, através da participação num programa de formação, aconselhamento e tutoria a ser desenvolvido em dois espaços de co-working geridos pelos parceiros do projeto.

Este processo incluirá um intenso período de incubação de seis meses, de arranque dos projetos empresariais a desenvolver. Os jovens terão acesso a aconselhamento e tutoria que lhes permitirá desenvolver as suas ideias de negócio e iniciar a sua atividade empresarial em condições que irão aumentar as suas probabilidades de sucesso. Complementarmente, o projeto assegurará formação e capacitação em matérias relacionadas com problemáticas sociais, e abordar temas como o desenvolvimento sustentável.

Área: Jovens; promoção de parcerias entre ONG e autoridades públicas
Projeto iniciado em Abril de 2015
Apoio: 76.472€
http://coworksocial.pt/

Cowork social

D21-201059

PROMove-te: Equipa Móvel de Apoio Psicossocial a Crianças e Jovens com Problemas de Saúde Mental

Promovido por Associação de Reabilitação e Integração Ajuda
Parceiros: Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar e Logframe – Consultoria e Formação, Lda.

Apesar de cerca de 20% da população padecer de pelo menos um problema de saúde mental antes dos 18 anos de idade, Portugal tem escassos serviços clínicos e de reabilitação para abordar estas questões específicas. O presente projeto visa desenvolver um serviço integrado e pró-ativo para crianças e jovens adultos até aos 25 anos, para responder a estas doenças e à exclusão social associada às mesmas.

Será desenvolvido um projeto-piloto de prestação de cuidados integrados e assertivos através de uma equipa móvel de apoio psicossocial, numa lógica de intervenção sistémica. O objetivo será promover a evolução favorável do problema de saúde mental, capacitar a rede de suporte para apoiar o processo de recuperação e inclusão, identificar os fatores-chave para o sucesso da intervenção em rede e disseminar boas práticas.
O projeto irá contribuir para a empregabilidade dos jovens beneficiados. Cada parceiro utilizará as suas competências específicas em matéria de intervenção clínica, treino de competências para integração dos beneficiários, e avaliação e monitorização do projeto.

Áreas: Jovens; defesa dos Direitos Humanos, incluindo os direitos das minorias
Projeto iniciado em Setembro de 2014
Apoio: 109.170€
http://www.aria.com.pt/html/promovete_homepage.html

PROMove-te

D21-201110

Ser e crescer Barnabé

Promovido por Acreditar – Associação de Pais e Amigos de Crianças com Cancro
Parceiro: Asociación Infantil Oncológica de Madrid

O promotor e o seu parceiro foram fundadas por pais de crianças com cancro em Portugal e Espanha, e ambas se dedicam a proporcionar a melhor qualidade de vida possível às crianças e famílias que vivem com esta grave doença, estando a intervir junto dos sobreviventes de cancro infantil. Estes sobreviventes constituem a imagem de esperança para aqueles que atualmente vivem a doença, e eles próprios necessitam de apoio no seu percurso de sobrevivência ao cancro, o qual deixa sequelas físicas e psicológicas para a vida.
O projeto visa proporcionar atividades específicas de inclusão pela cultura, artes e desporto com o objetivo de normalizar a condição física e psicológica destas crianças e jovens. Para os jovens, com maior nível de maturidade e de compreensão face à doença, irá ainda propor atividades que os estimulem a participar ativamente na resolução dos seus problemas específicos. Procurará também intervir na sociedade, consciencializando e desmistificando aspetos ligados ao cancro, e através da disseminação de informação sobre direitos e serviços de apoio às crianças e jovens.

Áreas: Jovens; promoção da participação cívica
Projeto iniciado em Setembro de 2014
Apoio: 102.118€


D21-201244

ECOAR – Empregabilidade e Competências através da Arte

Promovido por PELE, Associação Social e Cultural
Parceiros: Direcção Geral da Reinserção e Serviços Prisionais e Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto

Esta proposta visa atender à insuficiente resposta formativa e à pouca, ou inexistente, oferta cultural em contexto prisional. Pretende também efetivar processos de inclusão com certificação de “soft skills” para a empregabilidade entre os reclusos. Trata-se de utilizar ferramentas artísticas, como teatro e música, na avaliação e certificação de competências, de modo a potenciar o processo de reinserção na sociedade e a facilitar a integração no mercado de trabalho. Através de jogos, exercícios e improvisações, os grupos de jovens participam numa construção coletiva que culmina em apresentação final.

O projeto vai também capacitar instituições e técnicos para a mediação de questões de jovens que cumpriram, ou cumprem, medidas judiciais. A ser implementado no norte do país, pretende disseminar a metodologia, a nível nacional e internacional, podendo ser replicado em contexto prisional ou junto de grupos igualmente vulneráveis. Incluirá ainda a preparação de um documentário e de um manual em português e inglês.

Áreas: Jovens; capacitação das ONG
Projeto iniciado em Novembro de 2014
Apoio: 74.916€
http://www.apele.org/


D21-201300

JAM – Jovens, Arte e Movimento

Promovido por Associação Par – Respostas Sociais
Parceiros: One Beat Filts All – EKA Unity, Escola Digital Rumos e Direcção Geral da Reinserção e Serviços Prisionais

O projeto destina-se a jovens em situação de risco em centros de acolhimento e a jovens institucionalizados em centros educativos. Vai promover o desenvolvimento pessoal e social com recurso à arte, trabalhando em conjunto componentes psicossociais e artísticas, e favorecer a integração socioprofissional. Pretende ainda ser um projeto-piloto, contribuindo para a reflexão sobre políticas públicas e novos modelos de integração de jovens em situações de vulnerabilidade.

Para atingir os objetivos, será realizado um treino de competências sociais, pessoais e académicas aliado a oficinas artísticas, complementando ações já desenvolvidas nas casas de acolhimento e centros educativos, e envolvidos os seus técnicos nas referidas atividades. As propostas abordam um maior aproveitamento das estruturas escolares, o reforço das ligações entre o meio escolar e o mercado de emprego, a promoção de ações de inclusão pela cultura e o acesso às tecnologias de informação. Prevê-se que as atividades contribuam para a estruturação de projetos de vida dos jovens beneficiários e para uma melhor compreensão do ambiente social e económico em que se inserem.

Áreas: Jovens; promoção de parcerias entre ONG e autoridades públicas
Projeto iniciado em Setembro de 2014
Apoio: 115.144€
http://www.par.org.pt/


D21-201411

Transição para a Vida Adulta e Autodeterminação

Promovido por ASSOL – Associação de Solidariedade Social de Lafões
Parceiros: Pais em Rede, Associação e Instituto Universitário de Ciências Psicológicas Sociais e da Vida, Cooperativa ISPA, CRL

O projeto visa contribuir para a construção de um projeto de vida autónoma de alunos com necessidades educativas especiais que frequentam as escolas regulares, com currículos específicos individuais que facilitem o seu processo de transição para a vida adulta, através do envolvimento da comunidade na realização de experiências de trabalho em contextos reais.

O projeto intervirá em agrupamentos de escolas de três regiões (Lisboa, Braga e Viseu). O promotor conta com uma experiência rica nesta matéria, e pretende com este projeto dar resposta a solicitações colocadas por pais destes jovens – o maior desafio a responder reside na falta de preparação existente em muitas regiões do país para desenvolver este trabalho de integração comunitária.

Os parceiros contarão com os núcleos locais da Associação Pais em Rede, que acompanharão as famílias envolvidas e farão uma avaliação independente da sua satisfação; e com o ISPA, que assegurará a consistência da metodologia e avaliará os resultados conseguidos.

Áreas: Jovens; defesa dos Direitos Humanos, incluindo os direitos das minorias
Projeto iniciado em Novembro de 2014
Apoio: 117.285€

 

D21-201432

Projet’Arte

Promovido por Centro Social de Soutelo
Parceiros: Assistência aos Tuberculosos do Norte de Portugal e Associação Social Estrelas de Silveirinhos

O “Projet’Arte” é um projeto inovador de inclusão social e de empregabilidade para crianças e jovens dos 6 aos 30 anos em situação socialmente vulnerável, utilizando a arte como instrumento de trabalho. Os destinatários irão assistir a diversos workshops de formação para aperfeiçoamento de competências pessoais, sociais e profissionais, arte e workshops formativos respeitando os tempos de aprendizagem de cada indivíduo. O propósito será a construção de percursos formativos integrados, tendo em conta as suas expectativas, motivações, interesses e experiências de vida, construindo um percurso integrado, com o objetivo da integração social e profissional.

Esta “Incubadora de Competências” irá colocar em linha as reais competências dos destinatários do projeto e as ofertas existentes no mercado de trabalho, estimulando cada individuo a trabalhar um conjunto de competências necessárias na área do empreendedorismo e para integrar com sucesso o mercado de trabalho. O projeto tem ainda em vista pugnar pela melhoria das políticas públicas existentes através da identificação de novas formas de mitigar o desemprego jovem e os custos sociais e económicos associados a este problema.

Áreas: Jovens; promoção da cidadania ativa
Projeto iniciado em Outubro de 2014
Apoio: 114.130€


D21-201631

Opré Chavalé

Promovido por Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres
Parceiro: Letras Nómadas

A falta de preparação educacional orientada para o mercado de trabalho e de competências que, no resto da sociedade, são adquiridas através da socialização, leva ao afastamento dos jovens ciganos de possíveis empregos. O projeto pretende contribuir para mudar esta situação. São propostas ações que vão capacitar estes jovens para quebrar as barreiras que os separam do ensino superior. A igualdade de género merecerá um destaque especial no programa de capacitação e na seleção de um grupo piloto onde as candidatas terão prioridade, pois são alvo de discriminação na própria comunidade, considerada muito patriarcal.

A iniciativa prevê também a informação e sensibilização da comunidade cigana, das populações em contacto mais direto com esta comunidade e de instituições ligadas à educação. Será realizada uma campanha e um trabalho a nível local com mediadores/as, sendo promovido o voluntariado junto de estudantes do ensino superior que, integrados num programa de aconselhamento, acompanharão de perto os jovens ciganos a frequentar o ensino superior.

Áreas: Jovens; luta contra as discriminações
Projeto iniciado em Novembro de 2014
Apoio: 67.378€
http://plataformamulheres.org.pt/projectos/opre-chavale/

Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres

D21-201719

Young heArt

Promovido por Fundação Aga Khan
Parceiros: Associação para a Defesa do Património, Ambiente e Direitos Humanos, Agrupamento de Escolas de Alcabideche e Agrupamento de Escolas Frei Gonçalo de Azevedo

Este projeto destina-se a jovens na Área Metropolitana de Lisboa, na maioria com pais imigrantes oriundos dos PALOP, com idades entre os 15 e os 24 anos, que frequentemente não estudam nem trabalham, com baixas qualificações e que carecem de um projeto de vida estruturado. Irá promover as competências necessárias para a procura ativa de emprego e a reintegração no sentido da educação e/ou formação.

Este projeto desenvolverá em aula uma abordagem piloto, baseada nas competências culturais e desportivas existentes na comunidade, e de referência para os alunos, incentivando a proximidade entre a escola e a comunidade e dando destaque a intérpretes que são referências para os alunos e uma mais-valia para o currículo do ensino. Serão reconhecidos e validados talentos culturais, artísticos e desportivos dos jovens, desenvolvidas “soft skills” e descobertas vocações e capacidade empreendedora através de aprendizagem em contexto de trabalho. Será ainda promovida a participação cidadã dos jovens nas suas comunidades.

Áreas: Jovens; promoção de parcerias entre ONG e autoridades públicas
Projeto iniciado em Setembro de 2014
Apoio: 106.382€
https://www.facebook.com/youngheartlx

Young heArt

D21-201410

EmPoderar: do Sonho à Ação

Promovido por REDE Portuguesa de Jovens para a Igualdade de Oportunidades entre Mulheres e Homens
Parceiro: Associação para o Desenvolvimento das Mulheres Ciganas Portuguesas

As jovens mulheres ciganas têm particular dificuldade no acesso ao mercado de trabalho e à participação cívica, e este projeto destina-se a melhorar esse acesso, fomentando a inclusão social e a igualdade de género. As beneficiárias serão empoderadas com competências para alcançar estes objetivos, integradas num programa de mentoria. Através de encontros de desenvolvimento de competências, sob metodologias de educação não formal, serão construídos conhecimentos e competências que conduzam ao seu desenvolvimento pessoal e à sua capacitação para a inclusão na esfera pública.
As jovens desenvolverão então projetos de intervenção, com o apoio da equipa do projeto e das mentoras, podendo estes ser de intervenção social, em linha com os objetivos do projeto, ou de empreendedorismo social. Será publicada uma compilação das atividades e métodos do projeto, facilitando a futura disseminação, e realizados seminários destinados a dar visibilidade na comunidade e nos media às jovens e ao seu trabalho.

Área: Jovens; igualdade de género
Projeto iniciado em Abril de 2015
Apoio: 52.706€
https://www.facebook.com/empoderar.amucip.rede