Serviços e Programas

Rui Esgaio

Rui Esgaio

Secretário-Geral da Fundação

Secretário-Geral da Fundação e Secretário do Conselho de Administração, Rui Esgaio juntou-se à Fundação Gulbenkian, em 1999, como assessor do Gabinete do Presidente. Licenciado em Economia pela Universidade Católica e pós-graduado em Desenvolvimento e Cooperação Internacional pelo Instituto Superior de Economia e Gestão. Iniciou a sua vida profissional no âmbito do projeto ‘Construir as Vantagens Competitivas de Portugal’, dirigido pelo Prof. Michael Porter, tendo ainda exercido as funções de adjunto do Secretário de Estado da Produção Agroalimentar e, posteriormente, do Secretário de Estado dos Mercados Agrícolas e da Qualidade Agroalimentar.


Rui Goncalves

Rui Gonçalves

Gabinete do Presidente

Diretor do Gabinete do Presidente desde janeiro de 2015, é ainda o Legal Counsel da Fundação bem como o secretário do Conselho de gestão do Instituto Gulbenkian de Ciência, desde março de 2014.
Licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, em 1999, começou a sua colaboração com a Fundação em 2000, como Adjunto do Gabinete do Presidente. Participou num programa de formação na Northern Rock Foundation, no Reino Unido, em 2003, no Marshall Memorial Fellowship do German Marshall Fund of the United States, em 2004 e no Tällberg Emerging Leaders Programme, da Tällberg Foundation, na Suécia, em 2006. A preparar atualmente a sua tese de doutoramento sobre Direito das Fundações, na Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa, foi Visiting Scholar no Max Planck Institute for Comparative and International Private Law, em 2013, e frequentou o Kellogg|Católica Advanced Management Program, em 2014. Lecionou Direito Fiscal das Organizações Sem Fins Lucrativos na Escola de Economia e Gestão da Universidade Católica Portuguesa, no Porto, entre 2006 e 2007. É autor e co-autor de diversas publicações sobre Direito das Fundações e das Organizações Sem Fins Lucrativos, como Sector Não Lucrativo Colectânea de Legislação das Organizações da Sociedade Civil, Universidade Católica Portuguesa (2006), com Raquel Campos Franco, Fundações e Direito da União Europeia: Perspectivas de evolução, nos Estudos Comemorativos dos 10 anos Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa, Almedina, 2008, com Emílio Rui Vilar, ou Defining the Portuguese Foundation Sector, em Developments in Foundation Law in Europe, Springer, 2014.


Penelope Curtis

Penelope Curtis

Museu Calouste Gulbenkian

Diretora do Museu Calouste Gulbenkian desde setembro 2015.

Formou-se em História em Oxford, Arte Moderna no Coutrauld Institute of Art e completou ainda, em Paris, um PhD sobre escultura monumental francesa c.1870-1930. O seu primeiro cargo foi o de curadora de exposições na Tate Liverpool, aquando da sua abertura em 1988.

Entre 1994 e 2010 residiu em Leeds onde foi responsável pelo desenvolvimento do Henry Moore Institute, com um reconhecido programa de exposições, desenvolvimento de coleções e investigação, envolvendo esculturas de todas as épocas e lugares, inseridas em diferentes projetos temáticos. A instituição ficou conhecida por promover novos tipos de bolsas, publicações e programas interdisciplinares a partir das coleções do museu, biblioteca e arquivo.

Assumiu o cargo de diretora na Tate Britain em 2010, onde coordenou várias exposições e foi responsável pela abertura da nova Tate Britain, em 2013, e pela reorganização das galerias. Curtis foi ainda presidente do júri do prémio Turner, um dos mais prestigiados prémios de arte britânicos. Durante o seu período na Tate Britain, supervisionou o Millbank Project e foi co-curadora da exposição sobre Barbara Hepworth (2015).

O seu campo de investigação incide fundamentalmente sobre a arte do período entre guerras, arquitetura e arte contemporânea, sendo frequentemente convidada por artistas a escrever sobre estes temas. Tem realizado conferências em museus e universidades, dentro e fora do Reino Unido. Recentemente foi oradora de um ciclo de conferências na National Gallery (Paul Mellon Lectures) em 2015. As suas publicações incluem Sculpture 1900–1945 no Oxford History of Art (Oxford 1999) e Patio & Pavilion: the place of sculpture in modern architecture (Ridinghouse/Getty 2007).


Jonathan Howard

Jonathan Howard

Instituto Gulbenkian de Ciência

Jonathan Howard é licenciado em Zoologia (1964) e doutorado (D.Phil) em Imunologia (1969) na Sir William Dunn School of Pathology, Universidade de Oxford.

Trabalhou como Post -Doctoral Fellow no Departamento de Patologia da Universidade de Pensilvânia, onde se tornou Professor Adjunto Associado do Departamento.

Em 1975, mudou-se para o Babraham Institute na Universidade de Cambridge, Reino Unido, e tornou-se Diretor do Departamento de Imunologia.

Em 1994, foi nomeado Professor Catedrático no Institute for Genetics of the University of Cologne, onde mantém um laboratório de investigação científica.

Durante os períodos sabáticos trabalhou na Universidade de Stanford (EUA), no Laboratório Europeu de Biologia Molecular (EMBL) em Heidelberg, Alemanha, e no Medical Research Council Laboratory, em Cambridge, Reino Unido.

Participou em muitos Conselhos Científicos, tendo sido Presidente no Centre d´Immulogie Marseille-Luminy, em França e do Max Planck Institute for Developmental Biology, em Tubingen, Alemanha.

Jonathan Howard foi eleito membro da European Molecular Biology Organisation (EMBO) em 1993 e Fellow of the Royal Society em 1995.

É diretor do Instituto Gulbenkian de Ciência desde Outubro 2012, sucedendo a António Coutinho que exerceu funções desde 1998.


João Vieira

Biblioteca de Arte e Arquivos

Diretor da Biblioteca de Arte e Arquivos, João Vieira iniciou a sua colaboração com a Fundação em 2001, como consultor para os Arquivos. Entre novembro de 2014 e maio de 2017 exerceu o cargo de diretor-adjunto dos Arquivos Gulbenkian.

É licenciado em História pela FCSH da Universidade Nova de Lisboa (1982-86) e pós-graduado em Ciências Documentais – Arquivos pela FL da Universidade de Lisboa (1987-89).

Começou a sua atividade profissional como arquivista em 1987, na Comissão de Reforma e Reinstalação do Arquivo Nacional Torre do Tombo, tendo depois colaborado com o Instituto Português de Arquivos e com a Direção-Geral do Tesouro. A partir de 1994 assumiu funções dirigentes no âmbito da Direção-Geral dos edifícios e Monumentos Nacionais, tendo assumido responsabilidade sobre as áreas dos arquivos, biblioteca, investigação e inventário do património arquitetónico. Entre 2007 e 2014 foi diretor do SIPA – Sistema de Informação para o Património Arquitetónico (Forte de Sacavém).

Foi consultor para assuntos e projetos arquivísticos junto de diversas entidades públicas e privadas, designadamente: Gabinete do Secretário de Estado do Tesouro (1993-94); Gabinete do Ministro da Educação (1996-97); Instituto Histórico da Educação (1999-2002); Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação/Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação (1997-2001). Foi Perito da Comissão de Recrutamento e Seleção para a Administração Pública (CReSAP) (2013-2014). Desde 2009, é membro do Conselho Científico da Fundação Instituto Arquiteto Marques da Silva, Universidade do Porto.

Entre 2004 e 2012 foi assistente-convidado nos cursos de pós-graduação e de mestrado em Ciências da Informação Documental nas Universidades Nova de Lisboa e de Évora.

Desde 2008 que colabora com o International Council on Archives, tendo, na sequência de eleição, exercido as funções de Secretary e Chair da Section on Architectural Records para os quadriénios de 2004-2008 e 2008-2012, respetivamente. É membro do Editorial Board de COMMA, International Journal on Archives.

Participou, como conferencista, moderador e ou organizador em diversas reuniões técnicas e científicas de âmbito nacional e internacional, designadamente sobre ciências da Informação e Documentação e sobre património arquitetónico e urbanístico e artes associadas. Coordenou e participou em projetos de investigação científica, de exposição e de edição nas referidas áreas, sendo autor de múltiplos estudos publicados sobre essas temáticas.


Margarida Abecasis

Margarida Abecasis

Bolsas Gulbenkian

Diretora do Serviço de Bolsas Gulbenkian.

Margarida Abecasis nasceu em Lisboa, em 1951. É Licenciada em Economia pelo Instituto Superior de Economia em Lisboa.

Ingressou na Fundação Calouste Gulbenkian como Diretora-Adjunta do Serviço de Educação e Bolsas. Atualmente exerce as funções de Diretora do Serviço de Bolsas Gulbenkian.

Como experiência profissional anterior desempenhou o cargo de Presidente da Comissão Diretiva do Instituto para a Inovação na Formação (INOFOR) do Ministério da Segurança Social e do Trabalho, de 2000 a 2003, tendo ainda exercido funções de Subdiretora-Geral do Emprego e Formação Profissional, de 1991 a 1999, acumulando com as funções de Vice-Presidente da Comissão Interministerial para o Emprego.

De 1987 a 1991 foi Assessora do Gabinete do Secretário de Estado do Emprego e Formação Profissional.

No âmbito da Cooperação, participou em projetos em todos os Países Africanos Lusófonos, designadamente em matérias de apoio ao desenvolvimento dos sistemas educativos e de formação profissional e participou em projetos de cooperação como consultora externa do BIT e da OCDE.

Publicou diversos artigos e trabalhos na área do emprego, da educação e da formação.


Razmik Panossian

Razmik Panossian

Comunidades Arménias

Razmik Panossian, doutorado pela London School of Economics and Political Science, é diretor do Serviço das Comunidades Arménias da Fundação Gulbenkian, desde 1 de fevereiro de 2013. Autor de um vasto trabalho publicado sobre questões arménias, Razmik Panossian dispõe de grande experiência em senior management, incluindo a administração de programas no valor de milhões de dólares, bem como a distribuição de subsídios internacionais de desenvolvimento. Entre outros cargos, trabalhou para o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento.


Risto Nieminen

Risto Nieminen

Música

Risto Nieminen é o diretor do Serviço de Música da Fundação Calouste Gulbenkian desde abril 2009.

Nieminen é mestre em Musicologia e Literatura pela Universidade de Helsínquia, e entre vários cargos que desempenhou, foi administrador da Orquestra Sinfónica da Rádio da Finlândia, entre 1989 e 1991, e diretor artístico do IRCAM (Institut de Recherce et Coordination Acoustique/Musique) do Centro Georges Pompidou, em Paris, entre 1991 e 1996.

Integrou a Direção da Associação Europeia de Festivais, entre 1997 e 2001, e em 1998 recebeu o grau de Cavaleiro das Artes e das Letras de França.

Risto Nieminen substituiu Luís Pereira Leal, que exerceu funções desde 1978.


Luísa Valle

Luísa Valle

Desenvolvimento Humano

Diretora do Programa Gulbenkian de Desenvolvimento Humano.

Luísa Valle, nasceu em Lisboa, em 1950.

Licenciada em Engenharia Química pelo Instituto Superior Técnico e pós-graduada em Estudos Europeus pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, integrou os quadros de pessoal da Direção-Geral dos Combustíveis (1974-1979) e do Laboratório Nacional de Engenharia e Tecnologia Industrial (1979-1987). Em 1987 foi requisitada para a Direção-Geral do Desenvolvimento Regional, tendo exercido inúmeros cargos de direção e gestão em programas do Ministério do Planeamento e da Administração do Território.

Entre 1998 e 1999 foi assessora do Gabinete do Secretário de Estado da Indústria e Energia e entre 1999 e 2000 assume a função de Chefe de Gabinete do Secretário de Estado do Orçamento.

É em 2000 que ingressa na Fundação Calouste Gulbenkian onde, depois de exercer o cargo de Diretora-Adjunta dos Serviços Centrais e do Serviço de Saúde e Desenvolvimento Humano, é atualmente Diretora do Programa Gulbenkian de Desenvolvimento Humano.


Jorge Soares

Jorge Soares

Inovar em Saúde

Diretor do Programa Gulbenkian Inovar em Saúde desde Março 2009

Jorge Soares foi Professor Catedrático de Anatomia Patológica na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa e na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa, Diretor do Departamento Patologia Morfológica do Instituto Português de Oncologia de Lisboa.

Desempenhou vários cargos: Diretor do Instituto de Medicina Legal de Lisboa (2001-03). Presidente da Sociedade das Ciências Médicas de Lisboa (2003-05), da Sociedade Portuguesa de Anatomia Patológica (1997-99), da Sociedade Portuguesa de Senologia (2004-06). Presidente do Pathology Group Steering Committee e Membro do Executive Board da Organization of European Cancer Institutes (1997-99), Presidente do Comité Executivo da Divisão Portuguesa da International Academy of Pathology (1993-95), Membro do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida (2003-08), Presidente da Conselho Científico das Ciências da Saúde e da Vida da Fundação para a Ciência e Tecnologia (2013- ), Membro do Governing Board da Program Harvard Medical School – Portugal, Membro do Conselho Geral da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa. É autor de cerca de duas centenas de trabalhos científicos de patologia e de oncologia.


Rui Vieira Nery

Rui Vieira Nery

Língua e Cultura Portuguesas

Diretor do Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas desde 2012.

Rui Vieira Nery nasceu em Lisboa em 1957 e iniciou os seus estudos musicais na Academia de Música de Santa Cecília, prosseguindo-os no Conservatório Nacional de Lisboa. Licenciado em História pela Faculdade de Letras de Lisboa (1980), doutorou-se em Musicologia pela Universidade do Texas em Austin (1990), que frequentou como Fulbright Scholar e bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian. Professor da Universidade de Évora e da Universidade Nova de Lisboa, orientou um vasto número de mestrados e doutoramentos em universidades portuguesas, espanholas e francesas. É investigador do Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos de Música e Dança e do Centro de Estudos de Teatro. Na Fundação Calouste Gulbenkian foi Diretor-Adjunto do Serviço de Música (1992-2008) e Diretor do Programa Gulbenkian Educação para a Cultura (2008-2012), e é presentemente Diretor do Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas (desde 2012).

Como musicólogo, é autor de diversos estudos sobre História da Música Portuguesa, dois dos quais receberam o Prémio de Ensaismo Musical do Conselho Português da Música (1984 e 1992), bem como de largo número de artigos científicos publicados em revistas e obras coletivas especializadas, tanto portuguesas como internacionais. Exerce também uma atividade intensa como conferencista, no plano nacional como em vários países da Europa, nos Estados Unidos e no Brasil. Os seus temas de investigação incluem a problemática do Maneirismo e do Barroco na Música ibérica e os processos de interpenetração cultural na Música portuguesa, do Vilancico à Modinha e ao Fado.

Como crítico e colunista musical, colaborou nos semanários Expresso e O Independente. É colaborador regular da Antena Dois da Radiodifusão Portuguesa, para a qual foi autor, entre outros, dos programas Sons Intemporais e Matrizes, bem como, com Vanda de Sá, do programa Ressonâncias. Participou em numerosos documentários radiofónicos e televisivos para a RTP, BBC, Radio France, NDR, Al Jazeera, TV Cultura e outras emissoras nacionais e internacionais. Foi consultor musical da Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses, da Régie Cooperativa Sinfonia e da Fundação de Serralves. De Novembro de 1991 a Junho de 1992 foi responsável pela conceção do projeto artístico do Centro de Espetáculos do Centro Cultural de Belém. Foi Comissário Nacional para as Comemorações do Centenário da República e Presidente da Comissão Científica da candidatura do Fado à Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade (UNESCO). É Académico Correspondente da Academia Portuguesa da História e foi condecorado em 2002 com a Comenda da Ordem do Infante D. Henrique por serviços prestados à Cultura portuguesa. É ainda Membro Honorário do Fórum Ibero-Americano de Artes e recebeu em 2012 o Prémio CICOP Internacional de Património Cultural Imaterial atribuído pelo Centro Internacional de Conservação de Património. Entre Outubro de 1995 e Outubro de 1997 desempenhou as funções de Secretário de Estado da Cultura no XIII Governo Constitucional. É desde 2010 membro individual do Conselho Nacional de Cultura.


Maria Hermínia Cabral

Maria Hermínia Cabral

Parcerias para o Desenvolvimento

Maria Hermínia Cabral de Oliveira, nasceu em Luanda, em 1963, é licenciada em Economia, pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto, em 1985, e mestre em Cooperação e Desenvolvimento Internacional, pelo Instituto Superior de Economia e Gestão, da Universidade Técnica de Lisboa, em 1997.

Iniciou a sua vida profissional, em 1985, na Comissão de Coordenação da Região Norte (CCRN), na Divisão de Estudos e Planeamento (sector Pescas), tendo integrado a equipa do Projeto de Gestão Integrada dos Recursos Hídricos do Norte.

Foi docente da Universidade do Minho (Análise de Custos Industriais) e da Faculdade de Economia da Universidade do Porto (Contabilidade de Custos) entre 1985 e 1988.

Entre 1988 e 1991, foi adjunta dos Secretários de Estado Adjunto do Ministro da Agricultura e da Agricultura. Em 1991, foi nomeada adida para a cooperação junto da Embaixada de Portugal em Angola. Entre 1993 e 1995, foi adjunta dos Secretários de Estado do Ambiente e do Planeamento e Desenvolvimento Regional. Foi assessora para os Assuntos Europeus na Assembleia da República, entre 1997 e 2002.

Entre 2002 e 2003, foi Chefe do Gabinete do Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação e, entre 2003 e 2004, Vice-Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte.

Entre 2004 e 2005 exerceu as funções de Secretária de Estado Adjunta e do Desenvolvimento Regional do XV Governo Constitucional e de gestora do Programa Operacional Saúde (Saúde XXI).

Prémio do Instituto da Cooperação Portuguesa para o “Melhor Aluno do Mestrado em Desenvolvimento e Cooperação Internacional”, em 1997. Integrou o Júri dos Prémios “Novo Norte” do Programa Operacional Norte, nas edições de 2010 e 2011.

É Diretora do Programa Gulbenkian Parcerias para o Desenvolvimento desde 2012, depois de ter desempenhado os cargos de diretora adjunta do Serviço de Saúde e Desenvolvimento Humano e coordenadora do Programa Gulbenkian Ambiente e do Programa de Formação Médica Avançada.


Manuel Carmelo Rosa

Manuel Carmelo Rosa

Qualificação Novas Gerações

Diretor do Serviço de Educação e Bolsas desde 1999, tendo anteriormente sido Diretor do Serviço de Cooperação para o Desenvolvimento.

É Licenciado em Direito, pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Assegurou a docência de sessões de seminário do curso de mestrado em Relações Interculturais da Universidade Aberta, sob o tema “Educação e Desenvolvimento”, até 2004.

Tem ainda participado na preparação e execução de diversos Programas e Projetos no domínio educativo e de formação e publicou, em coautoria, dois livros sobre ensino superior. Tem realizado conferências sobre educação e formação em reuniões e seminários nacionais e internacionais e sido docente de ações de formação no país e no estrangeiro.

Foi Subdiretor Geral do Ensino Superior (1986-1990); Presidente de uma Comissão negociadora Sindical para o Ensino Superior (1995-1997); Membro efetivo do Comité Consultivo do Programa ERASMUS e consultor da Comissão Europeia para o Programa ALFA; Coordenador Geral dos Projetos de Cooperação com o BIRD; Chefe de Gabinete do Secretário de Estado do Ensino Superior do V Governo Constitucional; Membro do Conselho Nacional de Educação (1997-2002) e da sua Comissão Coordenadora; Membro da Comissão de Reconhecimento de Graus Académicos Estrangeiros (Doutoramentos).


Francisca Moura

Francisca Moura

Oceanos e Cidades

Nasceu em Lisboa, em 1953. É licenciada em Economia pelo Instituto Superior de Economia da Universidade Técnica de Lisboa. Desde setembro de 2012 exerce as funções de Diretora das Iniciativas Gulbenkian Oceanos e Cidades.

Ingressou na Fundação Calouste Gulbenkian em 1990, tendo desempenhado as funções de Diretora Adjunta do Serviço de Ciência, entre 1996 e 2012.
Iniciou a sua carreira profissional na Fundação para a Ciência e a Tecnologia (ex-JNICT) em 1979, tendo desempenhado diversas funções.


João Caraça

Luís Madureira Pires

Cidadania Ativa EEA Grants

Gestor do Programa Cidadania Ativa desde janeiro de 2013.

Licenciado em Ciências Económicas pela Universidade Livre de Bruxelas (Bélgica), foi docente na Universidade Católica Portuguesa entre 1980 e 1984. Integrou a partir de 1979 a equipa de negociações de adesão de Portugal à Comunidade Europeia. Entre 1986 e 1995 desempenhou os cargos de Subdiretor e Diretor Geral do Desenvolvimento Regional, sendo responsável pela gestão do FEDER e do Fundo de Coesão e pela coordenação da aplicação dos fundos estruturais comunitários em Portugal.

No início de 1995 optou pelo sector privado, desenvolvendo atividade de consultoria na área do planeamento e desenvolvimento regionais e dos fundos estruturais da UE, tanto em Portugal como em nove países da Europa de Leste. Tem vários livros publicados sobre estas temáticas em Portugal e no estrangeiro. Foi consultor da Administração portuguesa, da Comissão Europeia, do Banco Mundial e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Foi agraciado em 1994 com a Comenda da Ordem do Infante D. Henrique.


miguel-magalhaes

Miguel Magalhães

Delegação em França

Diretor da Delegação em França da Fundação Calouste Gulbenkian.

Miguel Magalhães está desde 2011 na Delegação da Fundação Calouste Gulbenkian em França, onde até 2016 desempenhou funções de adjunto do Diretor da Delegação, com responsabilidades de programação cultural e de comunicação. Começou a trabalhar na Fundação Gulbenkian em 2005, em Lisboa, onde foi assistente de direção nos programas Estado do Mundo (2005-2007), Distância e Proximidade (2008) e Próximo Futuro (até 2011). Em 2011 estabeleceu-se em Paris, tendo acompanhado a mudança de instalações da Delegação do edifício da Avenue d’Iéna (antiga residência de Calouste Gulbenkian), onde funcionava desde 1965, para o Boulevard de La Tour Maubourg, com a nova direção assumida por João Caraça a partir de 2012. Licenciado em Direito (Universidade Católica Portuguesa, Porto), fez um Master em Arts Management (City University, Londres) e integrou o Advanced Management Program na escola de negócios INSEAD (Fontainebleau, França). Começou o seu percurso profissional no Teatro Nacional de S. João (1996-2000), onde foi assessor da Direção administrativa e financeira, entre outras responsabilidades, e entre 2000 e 2003 foi Diretor artístico do Casino da Póvoa. Paralelamente, tem desenvolvido a sua atividade de investigador na área das Políticas culturais e Gestão das organizações culturais. Foi coautor de “Estratégias para a Cultura da cidade de Lisboa”, estudo encomendado pela Câmara Municipal de Lisboa ao centro de investigação Dinâmia (ISCTE). Foi professor convidado na Escola Superior de Teatro e Cinema (Lisboa), na Universidade do Algarve e integrou a equipa docente do Curso de Gestão/Produção das Artes do Espectáculo do Fórum Dança (Lisboa). Membro da comissão de mecenato da Fondation nationale des arts graphiques et plastiques (França) durante o biénio 2016-2017.


Andrew Barnett

Andrew Barnett

Delegação no Reino Unido

Diretor da Delegação de Londres da Fundação Calouste Gulbenkian desde setembro de 2007.

Andrew Barnett desempenhou as funções de Diretor do Departamento de Policy Development and Communications na Joseph Rowntree Foundation. Anteriormente tinha assumido o cargo de Diretor do Departamento de Comunicação no Sports Council do Reino Unido e de Diretor do Departamento de Public Affairs no National Consumer Council. Assumiu cargos no HSBC Holdings, na Arts Council of England e no Foyer Federation for Youth, tendo prestado colaboração na presidência do Grupo Parlamentar Inter-Partidário para os Sem-abrigo e Alojamento.

É membro do DV8 Physical Theatre, Administrador da Addaction – a maior instituição de caridade no Reino Unido para a droga e álcool – e membro do Conselho de Administração do Collaborate Institute, sediado na Universidade London South Bank, que promove a colaboração entre empresas e instituições sociais e públicas.

Colaborou, na qualidade de voluntário, na presidência da administração do instituição de solidariedade social People Can e do SPACE Studios, uma instituição de caridade para as artes sediada em Londres, assumiu também funções de diretor do Yorkshire Housing.

Natural de South Wales, Australia, Barnett fez a sua formação no King’s School, Bruton em Somerset e na Universidade de St. Andrews.
É membro da Royal Society of Arts e um entusiasta por arte contemporânea, abstrata e Aborígene.


António Repolho Correia

António Repolho Correia

Centrais

Diretor dos Serviços Centrais da Fundação Calouste Gulbenkian desde fevereiro de 2001.

Economista, começou a sua carreira no Ministério das Finanças em 1977, como Técnico Superior do Gabinete de Estudos e Planeamento, onde se manteve até 1983. Entre outros cargos, foi Chefe de Divisão da Direção Geral do Tesouro (1985-1987), Chefe de Gabinete da Secretária de Estado do Planeamento e do Desenvolvimento Regional (1987-1995) e Membro da Comissão de Fiscalização do INGA, do Conselho Fiscal do IPE – Águas de Portugal e do Conselho Fiscal da Agência de Inovação.

António Repolho Correia foi Administrador por parte da Teixeira Duarte – Engenharia e Construções S.A. das empresas do sector do Ambiente participadas por aquela empresa: Recolte – Recolha, Tratamento e Eliminação de Resíduos S.A e Indáqua – Industria e Gestão de Águas S.A. Foi também Membro da Direção da Associação das Empresas Portuguesas para o sector do Ambiente.


Elisabete Caramelo

Elisabete Caramelo

Comunicação

Diretora de Comunicação desde abril de 2006

Elisabete Caramelo nasceu em Lisboa, a 28 de maio de 1963. É licenciada em Comunicação Social pela Universidade Nova de Lisboa e exerceu a profissão de jornalista durante onze anos. Iniciou a sua carreira profissional na Agência Noticiosa Portuguesa, ANOP, colaborou em vários jornais, revistas e televisão, mas foi a rádio que mais marcou a sua carreira. Com um curso de formação profissional em “Jornalismo de rádio” (duração de 6 meses), integrou o grupo fundador da rádio TSF onde chegou a editora-chefe e de onde saiu, em 1996, para a Presidência da República. Durante dez anos, foi consultora para a Comunicação Social do Presidente da República, Dr. Jorge Sampaio.


Gonçalo Leónidas Rocha

Gonçalo Leónidas Rocha

Finanças e Investimentos

Gonçalo Leónidas Rocha nasceu em Lisboa em 1966. É licenciado em Administração e Gestão de Empresas pela Universidade Católica de Lisboa e Doutorado em Finanças pela Nova School of Business and Economics.

Foi diretor da Bolsa de Valores de Lisboa, diretor geral da Caixa Económica Comercial e Industrial, diretor do Banco Cisf e da Cisf Dealer, diretor da RTP, membro da Alta Direção do Millennium bcp e Partner da consultora Roland Berger.

Foi ainda administrador dos CTT (correios), Banco Postal (banca), Previsão (fundos de pensões), Multicert (certificação digital), Porto TV (televisão) e Presidente do Conselho de Administração da Payshop (serviços de carregamento de telemóveis e cobranças de faturas) e da Telepost (impressão e envelopagem de faturas).

É desde março de 2014 Diretor de Finanças e Investimentos da Fundação Calouste Gulbenkian e Administrador do grupo Partex Oil & Gas.

É Professor Assistente na NOVA School of Business and Economics e no Lisbon MBA.


Nuno Prego

Nuno Prego

Marketing e Transformação Digital

Diretor de Marketing e Transformação Digital desde janeiro de 2016.

De 2004 a 2015, desempenhou diversas funções na Portugal Telecom, nomeadamente Investor Relations Officer (2004-2008), Chefe de Gabinete do Presidente Executivo e Diretor de Estratégia (2008-2014), Administrador Executivo da PT Investimentos Internacionais (2011-2014), e Membro do Comité de Gestão da PT Portugal com responsabilidade pela Unidade de Transformação Digital (2014-2015).

De 1996 a 2003, trabalhou no mercado financeiro tendo sido Diretor Adjunto do departamento de research do Banco Finantia (1996-1999), Gestor de Fundos no BPI Fundos (1999-2000), e Head of Equity Research no BCP Investimento (2001-2003). Durante este período, acompanhou diversos setores de atividade, nomeadamente telecomunicações, eletricidade, pasta e papel, entre outros.

Nuno Prego é licenciado em Economia pela Universidade Nova de Lisboa e detém a designação de Chartered Financial Analyst atribuída pelo CFA Institute.


Cristina Pires

Cristina Pires

Orçamento, Planeamento e Controlo

Diretora do Serviço de Orçamento, Planeamento e Controlo desde 2000, Cristina Pires começou a sua carreira na Fundação em 1996 como diretora-adjunta do mesmo serviço.

Licenciada em Economia pelo Instituto Superior de Economia da Universidade Técnica de Lisboa, iniciou a sua vida profissional no Ministério da Administração Interna, em 1978, na Direção-Geral de Ação Regional e Local.

Na Fundação, foi responsável pela concretização de um projeto de reengenharia de processos de trabalho, que abrangeu as áreas de contabilidade, património, tesouraria, vendas, compras, armazéns, recursos humanos, controlo orçamental e indicadores de gestão.


Ana Rijo da Silva

Ana Rijo da Silva

Recursos Humanos

Responsável pelo Serviço de Recursos Humanos desde setembro de 2002.

Ana Maria Garrido Rijo da Silva nasceu em 1961 e licenciou-se em Economia e em Administração e Gestão de Empresas na Universidade Católica Portuguesa, tendo feito Pós-graduação em Ciências Atuariais na mesma instituição. Em 1992 concluiu o MPhil em Business Studies na Universidade de Warwick. Entre 1984 e 1988, foi Assistente no Departamento de Gestão da UCP, onde é atualmente responsável por disciplinas na área comportamental e dos recursos humanos. Em 1991 lecionou, como Docente Convidada, na Warwick Business School.

Durante a década de noventa, teve a seu cargo a coordenação e a direção de diversos cursos e áreas científicas em instituições ligadas à Universidade Católica Portuguesa, como a Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais, o Instituto Universitário de Desenvolvimento Social ou a Faculdade de Ciências Humanas. Exerceu ainda variados cargos de Consultoria e foi membro da Comissão para a Reorganização da Administração Fiscal (1997-1998) e da Comissão para a Elaboração da Lei Orgânica do Ministério da Justiça (1999). Como membro do Consórcio “European Summer School for Advanced Management” (1992-1995), organizou em Lisboa a 5ª ESSAM, que decorreu em junho de 1993.

Coordena os cursos de pós-graduação em Gestão de Recursos Humanos da Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais desde 1995.

É Diretora da Revista Recursos Humanos Magazine desde 1999.

Ingressou na Fundação Calouste Gulbenkian em 2000, como responsável pelo Núcleo de Desenvolvimento de Recursos Humanos do SRH.


Paulo Jorge Pereira

Sistemas de Informação

Diretor adjunto, responsável pelo Serviço de Sistemas de Informação da Fundação Calouste de Gulbenkian desde Outubro de 2015. Paulo Jorge Pereira iniciou a sua colaboração com a Fundação em Setembro de 2014, como coordenador do SSI. Neste período foi responsável pela definição da estratégia e arquitetura de sistemas de informação que suportam o programa de transformação digital da organização, bem como, pela implementação de vários projetos de transformação e gestão dos sistemas de informação.

De 2000 a 2014, desempenhou funções de coordenação técnica e gestão na Direção de Sistemas de Informação da Vodafone Portugal, nomeadamente, Head of IT Architecture and Strategy (2006-2014) cujas principais responsabilidades foram, a definição do modelo de governo, estratégia e arquitetura de sistemas de informação, elaboração do roadmap de transformação aplicacional, desenho de arquitetura e análise técnica de novas soluções, coordenação e gestão de projetos de transformação digital e a estruturação e gestão do programa de inteligência operacional e melhoria contínua dos sistemas de informação. De 2004 a 2006 foi responsável pela arquitetura e implementação do sistema Unified Front End, solução que unificou todos os processos de suporte a clientes e vendas para as lojas e call centers da Vodafone PT num único front end aplicacional, alicerçado por uma arquitetura orientada a serviços (SOA) cujo contributo foi decisivo para o sucesso do programa de CRM e CVM da Vodafone Portugal. De 2000 a 2004 desempenhou as funções de Head of Web Services Development, responsável pela área de desenho e desenvolvimento web (Vodafone.pt, My Vodafone, Yorn.net e Intranet).

De 1995 a 2000, desempenhou funções de analista/programador de sistemas informáticos nos CTT – Correios de Portugal tendo participado na analise e desenvolvimento de vários sistemas entre os quais, o sistema de gestão das encomendas comerciais, Track & Trace, Intranet CTT e Web Site CTT.