8 fevereiro 2019 Língua e Cultura Portuguesas

Eça e a música, o cinema e a mesa

No dia 16 de fevereiro festeja-se a escrita do grande escritor do Realismo português

Fotograma do filme "Os Maias", de João Botelho
Fotograma do filme "Os Maias", de João Botelho

Na reta final da exposição Tudo o que tenho no saco. Eça e Os Maias, festeja-se a escrita do grande escritor do Realismo português com um programa que tem de tudo um pouco.

Este dia começa com uma visita, guiada pela curadora Isabel Pires de Lima, à exposição que termina já no dia 18 de fevereiro.

Segue-se a exibição do filme Os Maias, de João Botelho, que embora não substitua a leitura do romance onde Eça pôs tudo aquilo que dizia ter no saco, permite revisitar, em duas horas e um quarto, a história de Carlos da Maia e de Maria Eduarda e a época em que viveram o seu amor impossível.

Segue-se um espetáculo de música no qual Catarina Molder, Pedro Vieira de Almeida e Sofia Lourenço percorrem músicas que se situam “Entre o Salão e a Ópera” que Carlos da Maia e os seus contemporâneos tanto apreciavam.

À noite, a mesa estará posta para o último jantar queirosiano. A ementa, que segundo o chef Miguel Castro e Silva “respeita a tradição e hábitos da época” não deixando de “refletir alguma modernidade” inclui a sopa de carne com macarrão que Eça refere n’A Relíquia ou o famoso arroz de favas eternizado n’A Cidade e as Serras.

 

PROGRAMA

Sábado, 16 fevereiro

13:30 – Galeria do Piso Inferior
Visita orientada por Isabel Pires de Lima
Saiba mais

15:00 – Auditório 2
Os Maias de João Botelho
Saiba mais

18:30 – Escadaria da Zona de Congressos
Eça de Queirós e a Música – Entre o Salão e a Ópera

Catarina Molder, Pedro Vieira de Almeida e Sofia Lourenço
Saiba mais

20:00 – Sala do Foyer
Jantar Queirosiano
Chef Miguel Castro e Silva
Saiba mais (Esgotado)