Almada Negreiros, o bailarino

De Luís Guerra

Slider de Eventos

Almada Negreiros, o bailarino é uma viagem coreográfica, concebida e interpretada por Luís Guerra, e apresentada como uma espécie de jogo fantasioso onde se brinca sem pudor com elementos mais ou menos verídicos da vida daquele que foi um dos artistas mais marcantes da arte moderna em Portugal: Almada Negreiros.

Tendo como ponto de partida São Tomé e Príncipe, onde este nasceu, Luís Guerra pretendeu criar uma partitura que incluísse vários aspetos da vida do artista, incidindo na sua provável gestualidade e expressão física, e imaginando, simultaneamente, o ritmo e a cadência do seu processo mental e interior.

Ao longo de uma hora de convocação, espera-se que, através do corpo de Luís Guerra, possa Almada Negreiros, o bailarino, comparecer, dando-se a conhecer, mesmo que por um instante ou de raspão, ao público.

No mesmo dia, no âmbito do ciclo dança não dança, sob o mote Os Portugueses não têm Corpo, é igualmente apresentada a performance Talvez ela pudesse dançar primeiro e pensar depois, de Vera Mantero, seguida de uma conversa com ambos os artistas, Paulina Santos (CNB) e moderação de Alexandre Melo.

Imagem © Manuel Guerra

Luís Guerra (1985, Lisboa) é um artista português que se expressa através da dança, da pintura e da escrita. Estudou dança no Conservatório Nacional, coreografia na Fundação Gulbenkian, massagem no Instituto de Medicina Tradicional e pintura e desenho na Ar.Co, onde atualmente frequenta o curso avançado de artes visuais. Trabalha regularmente com outros criadores enquanto intérprete. 

dança não dança

Este evento insere-se no ciclo de (re)performances, filmes e conversas que constitui o primeiro eixo do programa dança não dança – arqueologias da Nova Dança em Portugal. Saber mais


Ficha técnica

Criação e interpretação da dança, texto e cinco pinturas antropomórficas

Luís Guerra

Voz convidada

Kátia da Conceição Neto 

Máscaras

Artesãos da Roça Agostinho Neto

Tecido

Gisela

Colete

Carol Carvalho (bordado) e D. Luzia (confeção)

Oito pinturas manuseadas

Carla Santos 

Música

Ruy Coelho e Claude Debussy

Apoio técnico e desenho de luz

Anatol Waschke 

Interpretação em Língua Gestual Portuguesa

Hands Voice

Encomenda e produção

dança não dança / Fundação Calouste Gulbenkian

A Fundação Calouste Gulbenkian reserva-se o direito de recolher e conservar registos de imagens, sons e voz para a difusão e preservação da memória da sua atividade cultural e artística. Caso pretenda obter algum esclarecimento, poderá contactar-nos através do formulário Pedido de Informação.

Definição de Cookies

Definição de Cookies

Este website usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. Podendo também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.