Rigoletto

Met Opera in HD

Slider de Eventos


Programa

New York Metropolitan Opera Orchestra
Daniele Rustioni Maestro
Bartlett Sher Encenação
Michael Yeargan Cenografia
Catherine Zuber Figurinos
Donald Holder Desenho de luzes

Rosa Feola Soprano
Varduhi Abrahamyan Meio-Soprano
Piotr Beczała Tenor
Quinn Kelsey Barítono
Andrea Mastroni Baixo

Por ordem de entrada em cena:

Piotr Beczała Duque de Mântua
Scott Scully Borsa
Sylvia D’Eramo Condessa Ceprano
Quinn Kelsey Rigoletto
Jeongcheol Cha Marullo
Christopher Job Conde Ceprano
Craig Colclough Monterone
Andrea Mastroni Sparafucile
Rosa Feola Gilda
Eve Gigliotti Giovanna
Catherine MiEun Um pajem
Yohan Yi Um guarda
Varduhi Abrahamyan Maddalena

 

Giuseppe Verdi (1813 – 1901)
Rigoletto
Ópera em três atos

Libreto de Francesco Maria Piave, baseado na peça Le Roi s’Amuse de Victor Hugo.

Ato I
Alemanha, durante o período da República de Weimar
Durante um baile no seu Palácio, o Duque de Mântua, galanteador, descreve a suas aventuras e conquistas e o seu interesse particular por uma jovem desconhecida que viu na igreja. Entretanto, o Duque tenta seduzir a Condessa Ceprano, enquanto Marullo conta aos seus amigos cortesãos que Rigoletto, o bobo da corte, corcunda, tem uma amante. Rigoletto zomba do Conde Ceprano pela infidelidade no seu casamento e o Conde promete vingança. O Conde Monterone, cuja filha foi seduzida pelo Duque, interrompe a festa e clama por vingança. Rigoletto ridiculariza Monterone, que lança uma praga ao bobo aterrorizado. Naquela noite, Rigoletto recusa os serviços oferecidos por Sparafucile, um assassino profissional. Sua filha Gilda, única fonte de felicidade de Rigoletto, cumprimenta-o afetuosamente quando ele entra no pátio. Gilda quer conhecer a sua história familiar, mas Rigoletto revela somente que a mãe dela está morta. Rigoletto pede à governanta, Giovanna, que observe Gilda de perto, e ordena a Gilda que nunca saia de casa. Gilda não revela ao seu pai que está apaixonada por um homem que ela vê na igreja e que, na verdade, é o Duque disfarçado. Assim que Rigoletto deixa Gilda sozinha, o Duque, vestido como um estudante pobre, diz a Gilda que a ama. Após a partida do Duque, Rigoletto volta para a casa e descobre os cortesãos do Duque a raptarem Gilda, que eles acreditam ser a nova amante do nobre. Os cortesãos enganam Rigoletto dizendo que estão a levar a Condessa Ceprano e ele é convencido a ficar de olhos vendados e a segurar uma escada, inadvertidamente contribuindo para o rapto da sua própria filha.

Ato II
O Duque alegra-se ao saber que Gilda foi raptada e corre para a encontrar no seu quarto. Rigoletto tenta esconder a sua infelicidade e procura desesperadamente pistas que possam conduzi-lo à sua filha. Quando Rigoletto compreende o que aconteceu, ele implora aos cortesãos do Duque que lhe devolvam a sua filha. Gilda corre para fora do quarto do Duque e relata ao seu pai os acontecimentos daquela noite. Ao ver o Conde Monterone a caminho da prisão, Rigoletto jura vigar-se do Duque.

Ato III
Rigoletto leva Gilda à taberna de Sparafucile para que ela veja o Duque a namorar a irmã do assassino, Maddalena. Rigoletto ordena-lhe que volte para casa e vista roupas de homem, preparando-se para uma viagem a Verona. Assim que Gilda parte, Sparafucile encontra Rigoletto fora da taberna; decidem que o Duque será assassinado e que Rigoletto regressará à meia-noite para recolher o corpo. Maddalena escuta a ameaça de assassinato e tenta convencer o Duque a deixar a taberna. Quando este se recusa a partir, ela implora ao seu irmão para matar antes Rigoletto. Sparafucile recusa fazê-lo. Enquanto isso, Gilda volta à taberna, escuta a conversa entre Maddalena e Sparafucile e resolve sacrificar-se para salvar o Duque. Gilda bate à porta da taberna e é rapidamente morta e colocada num saco que Rigoletto recolhe, exaltado. Enquanto rema para o meio do rio para se livrar do corpo dentro do saco, Rigoletto escuta o Duque a cantar na taberna. Sobressaltado, Rigoletto rasga o saco e descobre a sua filha agonizando. Esta morre implorando o perdão do pai. Rigoletto percebe, dolorosamente, que a maldição de Monterone se realizou.


Mecenas Principal Gulbenkian Música

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.