PARTIS – Práticas Artísticas para a Inclusão Social – 1ª edição

Programa de apoio a projetos que privilegiam a arte como meio de intervenção social junto de grupos em situação de vulnerabilidade ou exclusão

 

2ª edição

 

Arrancou em 2015 a segunda edição do PARTIS, um programa que permite tornar realidade a convicção da Fundação Gulbenkian de que a arte é motor de inclusão e mudança social, pelo seu poder único de unir as pessoas.

Foi desenhado para apoiar projetos que utilizem as práticas artísticas – música, fotografia, vídeo, teatro, dança e circo – como ferramentas que criem pontes entre comunidades que habitualmente não se cruzam, representando um investimento de cerca de um milhão de euros para um período de 3 anos.

No quadro da segunda edição, foram recebidas 160 candidaturas de norte a sul do país, e foram selecionados 16 novos projetos para apoiar no triénio 2016-2018.

Os projetos que integraram a primeira edição, alguns ainda em curso, concluíram o seu segundo ano de vida tendo dinamizado 7963 atividades, 321 eventos públicos (37.636 visitantes/público) e chegado a cerca de 5791 participantes diretos. Estes projetos envolvem 181 profissionais a full time, 104 voluntários e 287 organizações parceiras (públicas e privadas – com e sem fins lucrativos).

 

Projetos apoiados:

Integrar pela Arte – Este Espaço que Habito

Desenvolvido em seis centros educativos dos distritos da Guarda, Porto, Coimbra e Lisboa, este projeto, promovido pelo Movimento de Expressão Fotográfica, utiliza a fotografia como meio facilitador de aquisição de competências, quer escolares quer sociais. São abrangidos cerca de 200 jovens entre os 14 e os 20 anos com medidas tutelares de internamento.

Ler artigo no jornal Público sobre o projeto “Integrar pela Arte – Este Espaço que Habito”
Saber mais: integrarpelaarte.wordpress.com

 

Sons à Margem

Projeto na área da música urbana, da responsabilidade da Associação Sombras das Palavras, que promove o desenvolvimento de capacidades técnicas e artísticas em cerca de 30 jovens, entre os 16 e os 30 anos, de bairros e territórios sensíveis dos concelhos de Loures e Seixal.

Saber mais: www.facebook.com/sonsamargem

 

Festival de Música de Setúbal e Ensemble Juvenil

Cerca de 4500 jovens desfavorecidos, excluídos ou com deficiência participam na concretização deste projeto em articulação com músicos clássicos provenientes do conservatório. Um festival anual, oficinas e a criação de um “Ensemble Juvenil” inclusivo são algumas das atividades a desenvolver no quadro deste projeto da A7M Associação Festival de Música de Setúbal.

Saber mais: www.facebook.com/festivalmusicasetubal

 

Orquestra Geração Centro Cultural de Amarante

Projeto de inclusão social através da prática orquestral, dirigido a 46 crianças e jovens em risco de exclusão no concelho de Amarante. A orquestra funciona, por um lado, como forma de combater o insucesso e o abandono escolares e, por outro, como estratégia de apoio à integração dos que se encontram em situação de maior vulnerabilidade num concelho onde se verifica uma grande desigualdade social. O projeto é promovido pelo Centro Cultural de Amarante.

Saber mais: www.orquestra.geracao.aml.pt

 

Mala Mágica – Artes Circenses para a Cidadania

Através das competências técnicas, artísticas, expressivas e comunicacionais, sustentadas na matriz das artes circenses, o Chapitô pretende melhorar o desenvolvimento pessoal e social e contribuir para a inclusão de 90 jovens tutelados pela justiça nos centros educativos da Bela Vista e Navarro de Paiva, em Lisboa.

Saber mais: chapito.org

 

Ópera na Prisão: D. Geovanni 1003 – Leporello 2015

No estabelecimento prisional e na prisão escola de Leiria, 50 reclusos dos 16 aos 25 anos vão ser envolvidos na recriação e interpretação da ópera Don Giovanni. A ópera foi o meio selecionado pela Sociedade Artística Musical dos Pousos para trabalhar as competências destes jovens reclusos e promover a sua autoestima, autocontrolo e formação pessoal e cívica.

Saber mais: www.samp.pt

 

IBISCO – DE (Departamento Educativo)

Em bairros vulneráveis dos concelhos de Setúbal e Loures, o teatro foi escolhido para trabalhar a autoestima, a motivação e a concentração de 35 crianças e pré-adolescentes em situação de insucesso escolar, absentismo ou desmotivação. O projeto é promovido pela Associação Teatro IBISCO.

Ler reportagem sobre este projeto na newsletter nº 155 da Fundação Gulbenkian (pág. 4-9) (PDF 8 MB)

 

Mãos que cantam

A Associação Histórias para Pensar desenvolveu este projeto de inclusão social de 25 alunos surdos através da sua participação num coro, em Oeiras. Tal como o nome do projeto indica, as mãos são a linguagem utilizada por estes artistas não ouvintes, que atuam em colaboração com artistas ouvintes.

Ler reportagem sobre este projeto na newsletter nº 161 da Fundação Gulbenkian (pág. 4-6) (PDF 8 MB)

 

Refúgio e Teatro: dormem mil gestos nos meus dedos

Projeto dirigido a requerentes de asilo e refugiados, da responsabilidade do CPR – Conselho Português para os Refugiados. Promovendo uma relação estreita entre o teatro e a aprendizagem da Língua Portuguesa, este projeto engloba duas vertentes numa relação dinâmica: sessões de expressão dramática regulares no Centro de Acolhimento e acompanhamento artístico do Grupo de Teatro RefugiActo. O teatro constitui-se, assim, como um lugar onde se procura recuperar o sentimento de pertença, a identidade cultural, onde se partilham emoções e histórias, um lugar-refúgio.

Saber mais: refugiados.net

 

Há festa no Campo

Com este projeto, a Associação EcoGerminar pretende reativar o sentimento de pertença das populações das aldeias, bem como fortalecer os laços comunitários e inter-relacionais através de uma cidadania participativa e construtiva. Pretende-se promover um clima de troca de experiências, conhecimentos e de partilha de memórias entre 150 residentes das aldeias de Juncal do Campo e Freixial do Campo (Castelo Branco), maioritariamente idosos, em que tudo será orientado com o objetivo de preparar eventos comunitários e artísticos: “as festas na aldeia”.

Saber mais: www.facebook.com/hafestanocampo

Ler reportagem sobre este projeto no PÚBLICO, 01.03.2015

 

O mundo à nossa volta

Projeto da Associação Filhos de Lumière dirigido a 120 crianças e jovens em risco dos concelhos de Lisboa, Moita e Serpa, que tem como objetivo a realização de oficinas de cinema das quais resultarão filmes feitos em articulação com as famílias, os professores e cineastas.

Saber mais: osfilhosdelumiere.com

Ler reportagem sobre o projeto na newsletter nº156 da Fundação Calouste Gulbenkian (pág. 4-7) (PDF 7 MB)

 

Companhia Limitada

A dança e o teatro funcionam, neste projeto, como meio para combater a solidão de 64 pessoas que vivem em situação de isolamento na zona da Mouraria, em Lisboa. A ideia, da responsabilidade da organização Sou Largo, é gerar uma rede de relações e de atividades que tragam estas pessoas à rua ou que entrem nas suas casas, nos casos de pessoas sem autonomia.

Saber mais: Facebook Companhia Limitada

 

CBR Linhas Art Lab

Em Coimbra, 25 jovens oriundos de contextos de exclusão participam neste projeto de formação artística multidisciplinar que desenvolverá os seus currículos tendo o teatro, a música, a dança, a arte pública e as artes plásticas como base da aprendizagem. O projeto é promovido pela Oficina Municipal do Teatro – O Teatrão e tem um forte envolvimento com a comunidade.

 

URB

Projeto da OCT Terratreme Oficina que envolve 50 pessoas de todas as idades, residentes em zonas urbanas periféricas com problemas sociais graves, e que visa desenvolver um guião e identificar atores e restante staff técnico para a filmagem e realização de uma série televisiva de 55 episódios sobre a vida nos contextos sociais mais fragilizados das grandes cidades.

Saber mais: www.facebook.com/urb.miniserie

 

MARGENS – Entre o Artístico e o Social / Um Projeto de Empatias

Ao desenvolver este projeto, a Academia de Produtores Culturais pretende envolver 20 homens sem-abrigo do albergue noturno do Poço dos Negros na preparação do Festival TODOS/2014. Ser-lhes-á dada formação em artes performativas, em artes criativas e em produção, sendo simultaneamente feito um trabalho de valorização pessoal e humana.

Saber mais: festivaltodos.com

 

Daqui p’ra cá

Em Leiria, 10 crianças de etnia cigana residentes num bairro social e 10 crianças que frequentam uma escola de dança (todas entre os 6 e os 13 anos) serão as protagonistas deste projeto, que pretende fomentar a aproximação entre estes dois grupos através de experiências de dança, expressão dramática e fotografia. A iniciativa é da responsabilidade da Associação InPulsar.

Saber mais: www.inpulsar.pt

 

Vitória 283

Projeto promovido pelo Teatro Mala Voadora que estimula o acesso à cultura, nomeadamente a espetáculos de teatro, dança e cinema, de crianças entre os 6 e os 12 anos que vivem em condições socioeconómicas adversas na freguesia da Vitória, Porto. As crianças são convocadas a responder de forma criativa (pela produção de diversos materiais/produtos), ao longo de todo o processo, aos desafios colocados pelos diferentes mediadores artísticos, de acordo com a sua especificidade.  

Saber mais: malavoadora.pt

 


PARTIS II

Resultados Concurso PARTIS 2015 Lista de projetos selecionados para apoio no âmbito da segunda edição do concurso PARTIS Download (PDF 324 KB)