Boas Escolhas, Melhor Saúde

Promover boas escolhas dos clínicos e cidadãos para reduzir a sobreutilização de cuidados de saúde desnecessários através da ciência comportamental.

 

Promotor: Ministério da Saúde, Fundação Calouste Gulbenkian
Público-alvo: Profissionais de saúde e utentes do Serviço Nacional de Saúde
Parceiros: Ordem dos Médicos, Centro Hospitalar Universitário de São João, EPE, Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro, EPE, Administração Regional de Saúde do Centro, Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, Administração Regional de Saúde do Norte, Institute for Healthcare Improvement, Behavioral Insights Team
Âmbito territorial: Região Norte, Região Centro e Região de Lisboa e Vale do Tejo
Duração: mar 2019 – mar 2022
Fase do Projeto: Em desenvolvimento
ODS: 3. Saúde de qualidade

Pretende-se reduzir o uso excessivo e desadequado de cuidados clínicos e de terapêuticas desnecessárias, que se tem tornado um problema de crescente importância clínica, económica e social com impactos ao nível da efetividade, do desenvolvimento e sustentabilidade dos sistemas de saúde e do grau de confiança e satisfação dos cidadãos.

Foi definido como objetivo demonstrar, em parceria com o Ministério da Saúde, a Ordem dos Médicos e o Institute for Healthcare Improvement, que as ciências de implementação e comportamentais podem ajudar a reduzir em cerca de 20% o sobreconsumo de antibióticos e benzodiazepinas, prevenindo assim resistências aos antimicrobianos e dependência de ansiolíticos, e reduzir também a sobreutilização de testes de diagnóstico, servindo de modelo à definição de estratégias para outras áreas no futuro.


Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

 

Garantir o acesso à saúde de qualidade e promover o bem estar de todos, em todas as idades