Projeto Oncologia Cabo Verde mereceu avaliação “muito positiva”

O projeto “Oncologia Cabo Verde”, da Fundação Gulbenkian, trabalha desde 2018 para melhorar os cuidados de saúde na área da oncologia, em Cabo Verde
Hosp. Agostinho Neto © Paulo Teixeira

A introdução de novas práticas e procedimentos, a melhoria da capacidade de diagnóstico e o aumento do número e do tipo de cirurgias realizadas foram alguns dos principais resultados salientados na avaliação externa levada a cabo pela consultora portuguesa Logframe ao projeto “Oncologia Cabo Verde”. Este projeto, que a Fundação Calouste Gulbenkian está a desenvolver com o Ministério da Saúde cabo-verdiano, decorre desde 2018 nos Hospitais Dr. Agostinho Neto, na Praia, e Dr. Baptista de Sousa, no Mindelo.

Esta avaliação, cujos resultados são considerados “muito positivos”, mostra um aumento de 80% das cirurgias oncológicas e de 18% das sessões de quimioterapia, bem como uma diminuição de 30% no número de evacuações de doentes para Portugal, entre 2017 e 2020. Estes resultados contribuíram para a diminuição da taxa de mortalidade por cancro, em 3%, entre 2018 e 2020, tendo a coordenadora do Programa nacional de prevenção e controlo das doenças oncológicas, Carla Barbosa, salientado o seu impacto na melhoria do diagnóstico de cancro da mama e próstata.

Hospital Agostinho Neto, Praia © Paulo Teixeira
Hospital Agostinho Neto, Praia © Paulo Teixeira

Mas a avaliação incidiu também sobre o efeito de algumas medidas no futuro desta área – a criação de um registo oncológico no hospital Agostinho Neto, que se pretende venha a ter um âmbito nacional, foi considerado um “passo importante para uma melhor avaliação da incidência dos diferentes tumores”. Também se perspetivam mudanças na área da formação e outras áreas, que possam beneficiar do mundo digital – porque apesar de a pandemia pela COVID-19 ter afetado as atividades de formação inicialmente previstas, acabou por acelerar a adaptação da formação ao contexto digital.

A relação entre o investimento efetuado e os resultados obtidos foi superior ao expectável, pelo que a avaliação aponta para a “necessidade de expandir, consolidar e aprofundar as intervenções já iniciadas, com o objetivo de continuar a melhorar os cuidados oncológicos em Cabo Verde”.

O projeto “Oncologia Cabo Verde” está articulado com os eixos prioritários do Plano estratégico nacional de Cabo Verde para esta área e tem como objetivo contribuir para a melhoria dos cuidados de saúde na área da oncologia em Cabo Verde, através da atualização técnica e da melhoria do desempenho dos profissionais de saúde, dos procedimentos e de boas práticas nesta área.

 


Atualização em 20 julho 2022

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.