Profissionais de saúde dos PALOP em estágio

18 médicos e enfermeiros vão estagiar em serviços públicos de saúde portugueses

A 3.ª edição do programa de estágios de curta duração para profissionais de saúde dos PALOP e Timor Leste, promovido pelo Programa Gulbenkian Parcerias para o Desenvolvimento, contará este ano com 18 médicos e enfermeiros de Cabo-Verde, Angola, Moçambique e São Tomé e Príncipe. O objetivo deste programa de estágios é a formação e atualização técnica destes profissionais em serviços públicos de saúde portugueses. A especialização em cuidados hospitalares é o traço comum entre os técnicos de saúde selecionados para os estágios, que vão decorrer sobretudo em hospitais e centros de saúde de Lisboa, Coimbra e Porto, com a duração máxima de três meses.

A atualização de conhecimentos, para dar resposta aos novos desafios de contexto epidemiológico e institucional dos PALOP e de Timor Leste, e o contributo para a correção dos principais fatores de desmotivação dos profissionais de saúde foram algumas das razões que levaram a Fundação Calouste Gulbenkian a criar este programa de estágios, lançado em 2011. Nas duas edições anteriores foram apoiados 38 médicos e enfermeiros oriundos de Moçambique, Angola, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde, Guiné-Bissau e Timor Leste.

A formação e especialização de recursos humanos na área da saúde é um dos eixos prioritários do Programa Gulbenkian Parcerias para o Desenvolvimento, que tem como objetivo contribuir para o reforço das capacidades de pessoas e organizações nestes países.