Preparad@ para mudar o mundo?

Haverá, por esse país fora, muitas e boas ideias capazes de dar solução a problemas com que se depara a sociedade. Se é o seu caso, está na hora de mostrar o que vale.

A Fundação Calouste Gulbenkian acredita que os profissionais das novas tecnologias – programadores, gestores, engenheiros, criativos, designers ou outros – têm as ferramentas necessárias para dar resposta a muitos dos problemas que se vivem, dia após dia, nas sociedades modernas. Às vezes, falta só ligar a ficha à tomada certa e fazer a ligação.

Estes dois mundos (o tecnológico e o social) têm encontro marcado nos dias 5 e 6 de maio, no Porto, para uma Hackathon – uma maratona de programação com a qual a Fundação pretende promover o desenvolvimento de soluções tecnológicas para certos problemas sociais. Durante 48 horas, que se perspetivam de trabalho árduo e muito divertimento, terá oportunidade de apresentar uma app, um jogo, um caminho na Web, um dispositivo ou aquilo que considerar a melhor solução para o desafio proposto.

Além de sair de Lisboa e de se realizar no norte do país, 2018 traz à Hackathon outras inovações. Aos desafios lançados nas edições anteriores – a integração de refugiados e migrantes e o bem-estar dos idosos – junta-se, este ano, mais um: o de encontrar soluções capazes de gerar bem-estar entre as camadas mais jovens. Além disso, foi também criado um bootcamp, onde as equipas que desejem continuar a desenvolver o seu projeto terão acompanhamento e apoio para lá da Hackathon. No final deste percurso, as melhores equipas serão convidadas a apresentar os seus projetos na Web Summit, no início de novembro.

Até lá, basta estar atent@, porque a organização já anda pelo país à procura das melhores ideias. 

Ir para o site Hack for Good Gulbenkian