Formação em Português na Guiné-Bissau

Reforço de competências em língua portuguesa para estudantes guineenses do ensino universitário

De 25 de agosto a 23 de setembro, realizou-se a primeira iniciativa Kripor (aglutinação de “português” com a palavra “kriol” – língua falada por 44 por cento da população na Guiné-Bissau), que pretende reforçar as competências no domínio do português de estudantes guineenses candidatos a bolsas de estudo em Portugal.

Cerca de 20 alunos frequentaram um curso intensivo de Língua Portuguesa, como forma de se prepararem para o ensino universitário português. A formação incidiu no domínio de conhecimentos e ferramentas apropriadas às exigências do ensino superior, como a elaboração de relatórios, apresentações, sínteses e projetos de investigação.

O Kripor tem o apoio do Camões – Instituto da Cooperação e da Língua e é o primeiro projeto da futura associação Mais Valia, que será criada no próximo ano. Inspirada no projeto-piloto com o mesmo nome, desenvolvido desde final de 2012 pela Fundação Calouste Gulbenkian, o Mais Valia reuniu uma bolsa de voluntariado de competências, formada por profissionais com mais de 55 anos, para missões de curta duração nos PALOP.