Novos números da Colóquio-Letras

A Voz na Literatura e José Saramago são os temas centrais dos dois novos números da Colóquio-Letras.

Na edição nº 209, com o tema A Voz na Literatura, são exploradas algumas dimensões do fenómeno literário afetadas pela voz enquanto medium da literatura, o que pressupõe a relevância do estudo da dimensão vocal do fenómeno literário para se alcançar uma versão mais completa – ao mesmo tempo moderna e arcaica – da literatura.

As dimensões da voz são estudadas em obras de Homero, Gil Vicente, Camões, Manuel Bandeira Augusto de Campos e José Emílio-Nelson.

Na secção de documentos, Mariana Maurício revela um conjunto de cartas que a pianista Maria da Graça Amado da Cunha (1919-2001) — notável intérprete da música de Fernando Lopes Graça — escreveu aos amigos Ilse Losa, José Rodrigues Miguéis e Alberto de Lacerda. Trata-se de uma pequena amostra retirada das mais de mil páginas escritas e enviadas pela pianista aos correspondentes que manteve entre 1934 e 2000.

Para ilustrar este número, João Penalva criou a série O Telefone de Jean Heiberg.

 

A evocação de Saramago

O número 210 da revista associa-se às comemorações do centenário do nascimento de José Saramago. Ao conjunto de artigos sobre a sua obra — da autoria de Carlos Reis, Orlando Grossegesse, Sara Grünhagen, Carlos Nogueira e José Cândido Oliveira Martins —, juntam-se depoimentos — de Jenaro Talens, Lídia Jorge, Ana Margarida Carvalho, José Luís Peixoto — que enriquecem a visão do homem para lá do escritor.

A Pedro Tamen, desaparecido no verão passado, é dedicado o ensaio de Catherine Dumas — centrado na “poética do envelhecimento” dos seus últimos livros —, bem como a série fotográfica de Manuel Valente Alves, inspirada num verso do poeta (“Do lume sabes só que é porta”).

Destaque para a criação literária, em prosa e em verso, de duas autoras brasileiras, Luciana Hidalgo e Nina Rizzi, que nos surpreendem pela invenção dos seus universos, entre a subversão do mito, por parte da prosadora, e o trabalho sobre a língua oral e popular, por parte da poeta.

Ambas as revistas podem ser adquiridas online ou presencialmente na loja da Fundação.

Atualização em 11 maio 2022

Utilização de Cookies

Definições de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.
Para obter mais informações ou alterar as suas preferências, prima o botão "Definições de cookies" abaixo.