3 Setembro 2020 Cultura

Lídia Jorge na nova Colóquio/Letras

O número 205 da revista Colóquio/Letras é dedicado à obra de Lídia Jorge, cujo primeiro romance celebra este ano o 40º aniversário. A edição conta ainda com inéditos de Ruben A. e trabalhos sobre papel de Ana Ruepp.

Colóquio/Letras 205

O novo número da revista Colóquio/Letras (set./dez.) dedica um extenso dossiê à obra de Lídia Jorge, passados 40 anos sobre a publicação de O Dia dos Prodígios, o seu primeiro romance. Agnès Levécot, Franklin Nelson, Conceição Brandão, Ana Paula Ferreira, Paulo de Medeiros, entre outros, apresentam diferentes leituras a partir de uma obra que, desde o início, tem vindo a refletir sobre a realidade do país e a questioná-la, sempre com uma liberdade de escrita que lhe confere um lugar cimeiro no nosso panorama atual. O dossiê inclui o conto inédito da autora «Os Sete Viajantes ou Arte Povera».

Destaca-se também, nas restantes secções da revista, um conjunto de inéditos de Ruben A., de quem se celebra este ano o centenário de nascimento. O mesmo sucede com João Cabral de Melo Neto, a quem se presta homenagem com dois textos sobre a sua vida e obra.

Esta edição da revista conta ainda com um conjunto de ilustrações – incluindo a capa – de Ana Ruepp, uma artista de uma nova geração, com uma linguagem estética muito própria.

O número 205 da Colóquio/Letras será apresentado no dia 15 de outubro, na sala 2 da Fundação Calouste Gulbenkian, às 18h30, juntamente com o número anterior dedicado à Geração de 70, publicado em maio deste ano. A apresentação, a cargo de Carlos Reis, contará com a presença da escritora.

A revista está à venda na Loja da Fundação Calouste Gulbenkian e na Feira do Livro.