Investir no desenvolvimento sustentável do oceano

Fundação Calouste Gulbenkian e a Fundação Oceano Azul assinam protocolo para os próximos três anos

A Fundação Calouste Gulbenkian e a Fundação Oceano Azul firmaram esta manhã um compromisso de cooperação destinado a promover o desenvolvimento sustentável do mar. Este acordo visa uma união de esforços para a valorização do capital natural marinho, nomeadamente através da promoção de uma nova economia azul e da dinamização de uma sociedade empenhada na conservação do oceano.

A cerimónia de assinatura contou com a presença da Ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, da Presidente do Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian, Isabel Mota, do Presidente do Conselho de Administração da Fundação Oceano Azul, José Soares dos Santos, e com o Administrador da Fundação Calouste Gulbenkian, Pedro Norton, e o CEO da Fundação Oceano Azul, Tiago Pitta e Cunha.

Foi anunciada também a primeira iniciativa ao abrigo deste protocolo que será implementada já em 2018, o programa Blue Bio Value. Este projeto, que envolve um investimento conjunto de um milhão de euros, ao longo de três anos, tem como objetivo criar um programa internacional de aceleração de projetos e startups ligadas à bioeconomia azul. A iniciativa visa atrair projetos e ideias e transformá-las em oportunidades de negócio ao longo da cadeia de valor dos biorrecursos marinhos, incluindo biotecnologia, e que tenham como solução o desenvolvimento de produtos ou serviços sustentáveis.

A Fundação Calouste Gulbenkian e a Fundação Oceano Azul unem assim esforços para contribuir para que Portugal se torne num polo internacional relevante e inovador no desenvolvimento da bioeconomia marinha, promovendo uma utilização mais saudável do oceano.

Este protocolo, é um sinal inequívoco, por parte das duas instituições, da importância da colaboração entre fundações para a implementação de iniciativas que promovem a mudança da sociedade e do planeta.

 

Sobre a Fundação Oceano Azul

A sua génese resulta da convicção de que em tempos de profunda mudança, é necessário alterar comportamentos que permitam a coexistência do desenvolvimento humano e a proteção dos oceanos. Assim, a Fundação nasce, em 2017, de uma vontade de reaproximar Portugal do mar e de ajudar o país a desenvolver uma geração azul e a se posicionar como líder nos temas ligados ao oceano.

A Fundação Oceano Azul tem como pilares da sua atividade a Educação e Literacia, a Conservação e a Capacitação, sob o mote “From the Ocean’s Point of View”.

 

Sobre a Fundação Calouste Gulbenkian

Nascida em 1956 como uma fundação privada portuguesa dedicada a toda a humanidade, tem procurado fomentar o conhecimento e melhorar a qualidade de vida das pessoas através das Artes, da Beneficência, da Ciência e da Educação. Nos próximos cinco anos, a atividade da Fundação estará orientada fundamentalmente para a Coesão e Integração Social, a Sustentabilidade e o Conhecimento.

Criada por testamento de Calouste Sarkis Gulbenkian, a Fundação tem caráter perpétuo e desenvolve as suas atividades a partir da sua sede em Lisboa (Portugal) e das delegações em Paris (França) e em Londres (Reino Unido).

 

Ler Discurso Isabel Mota, Presidente