Gulbenkian investe na integração de crianças ucranianas

No âmbito da iniciativa de apoio à Comunidade Ucraniana, a Fundação Gulbenkian vai financiar projetos que promovam a integração de crianças ucranianas até aos seis anos através da metodologia “Grupos ABC – Aprender, Brincar, Crescer”.

Face às consequências da guerra na Ucrânia, no âmbito da qual muitas famílias e crianças ucranianas procuram refúgio em Portugal, a Fundação Calouste Gulbenkian decidiu apoiar projetos que promovam a integração de crianças até aos seis anos que não tenham resposta de creches ou jardins de infância. O processo de integração proposto será feito com recurso à metodologia de playgroups “ABC – Aprender, Brincar, Crescer” (GABC).

Esta iniciativa está integrada no apoio de emergência de 1M€ anunciado pelo Conselho de Administração da Fundação Gulbenkian em março passado, para o alívio da crise humanitária provocada pela guerra. Até ao momento, a Fundação já alocou 500 mil euros para o apoio a organizações humanitárias que ajudam os refugiados nos países fronteiriços mais pressionados – nomeadamente a Polónia, como as ONG “Polish Humanitarian Action” e “Jesuit Refugee Service Poland”, e o EPIM – European Programme for Integration and Migration –, tendo ainda destinado 250 mil euros a associações ucranianas em Portugal.

Os GABC são conjuntos de cinco a 10 crianças e seus cuidadores que se reúnem duas vezes por semana, em espaços de tipologias diversas – escolas, bibliotecas, instituições públicas e de solidariedade locais, espaços públicos, mercados, estabelecimentos comerciais – para interagirem e brincarem em conjunto. Cada sessão é dinamizada por um ou dois monitores que, ao longo de cerca de duas horas, promovem contextos de socialização e de experimentação estimulantes, através de brincadeiras e atividades informais favoráveis à aprendizagem.

A experiência dos últimos anos, em Portugal e noutros países europeus, demonstra que estas sessões privilegiam as relações interpessoais e a criação de um clima empático, de respeito, cooperação e partilha, que facilitam a inclusão social e promovem o desenvolvimento cognitivo, emocional, social das crianças. Estas sessões promovem ainda o desenvolvimento de competências parentais e a empregabilidade das famílias.

As entidades interessadas em acolher os playgroups – pessoas coletivas, públicas ou privadas, sem fins lucrativos, legalmente reconhecidas e com atividade na área da Educação ou da Ação Social – poderão submeter a sua candidatura até 20 de abril. A formação dos monitores para implementação da metodologia será promovida por vários parceiros, entre os quais o Ministério da Educação e a Fundação Bissaya Barreto.

Através deste concurso, que representa um investimento de 250 mil euros, a Fundação Calouste Gulbenkian vai garantir o funcionamento dos GABC até ao final do mês de setembro de 2022, com o objetivo de atingir um total de 1000 crianças beneficiárias. Depois desta data, os Playgroups serão suportados pelo Instituto da Segurança Social (ISS-IP), que se associa a este projeto.

Saber mais

Sobre os GABC

A implementação desta metodologia em Portugal resultou de um projeto-piloto que envolveu cerca de 500 famílias nos distritos do Porto, Aveiro, Coimbra, Lisboa e Setúbal, entre outubro de 2015 e novembro de 2016, cofinanciado pela Comissão Europeia e coordenado pelo Ministério da Educação e Ciência, em parceria com a Fundação Calouste Gulbenkian, a Fundação Bissaya Barreto, o ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa, a Universidade de Coimbra e o Alto Comissariado para as Migrações (ACM). Saiba mais sobre os GABC.

Atualização em 08 abril 2022

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.