Gulbenkian Carbono Azul, um projeto pioneiro em Portugal

Projeto pretende mapear e caracterizar os ecossistemas de carbono azul existentes em Portugal continental e promover o investimento na sua conservação e restauro
©DR

A Fundação Calouste Gulbenkian lança o Gulbenkian Carbono Azul, um projeto que vai mapear todos os ecossistemas marinhos e costeiros com potencial para sequestrar dióxido de carbono da atmosfera. No âmbito deste projeto, pioneiro em Portugal, será ainda disponibilizada uma carteira de intervenções de proteção e restauro destes ecossistemas que serão depois disponibilizados a empresas e outros agentes interessados em investir em carbono azul.

Neste mapeamento, feito de norte a sul de Portugal Continental, os ecossistemas – que incluem pradarias marinhas, sapais e florestas de algas – estarão devidamente caracterizados (com localização, dimensão, condição em que se encontra, taxa anual de sequestro de carbono, entre outras características), de modo a definir as medidas de proteção e restauro adequadas a cada um. A disponibilização desta informação tem como intuito fomentar o investimento em conservação e restauro ecológico destes habitats marinhos e costeiros, vitais para o combate à crise climática e proteção da biodiversidade e para alcançar as metas do Acordo de Paris de 2015.

Para demonstrar o seu potencial e atrair outros investidores, a Fundação Gulbenkian fará o primeiro investimento nesta carteira nacional de carbono azul, financiando um projeto-piloto de conservação ou restauro, de forma a compensar o volume da pegada carbónica não mitigável da Fundação em 2021 (2.238 toneladas de dióxido de carbono equivalente, que incluem as emissões de gases de efeito estufa provenientes da eletricidade ou calor adquiridos e consumidos).

O Gulbenkian Carbono Azul pretende assim atuar como impulsionador do mercado de carbono azul em Portugal, estando prevista a construção de uma rede de potenciais financiadores interessados em apoiar estes projetos. A Fundação funcionará ainda como facilitador do crescimento deste mercado.

Liderado e coordenado pela Fundação Calouste Gulbenkian, este projeto é desenvolvido em parceria com o CCMAR – Universidade do Algarve e a ANP | WWF – Associação Natureza Portugal, em associação com a WWF.

O lançamento do Gulbenkian Carbono Azul inscreve-se na participação da Fundação Calouste Gulbenkian na Conferência do Oceano das Nações Unidas, que decorre em Lisboa entre 27 de junho e 1 de julho.

Atualização em 07 junho 2022

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.