Guilherme d’Oliveira Martins integra Academia Brasileira de Letras

O administrador executivo da Fundação Calouste Gulbenkian foi eleito Sócio Correspondente da Academia Brasileira de Letras, assumindo a cadeira anteriormente ocupada por Eduardo Lourenço.
©Márcia Lessa

Os restantes novos membros estrangeiros da Academia agora eleitos são: Benjamin Moser, escritor e historiador norte-americano, Julio María Sanguinetti, antigo Presidente do Uruguai, também editor e colunista editor e colunista, e Telmo dos Santos Verdelho, professor Catedrático da Universidade de Aveiro.

Comentando esta nomeação, Guilherme d’Oliveira Martins refere que “É uma honra poder suceder a Eduardo Lourenço na Academia Brasileira de Letras, fundada por Machado de Assis. Mas a responsabilidade é imensa, em nome das culturas da língua portuguesa. A liberdade e a cooperação são mais necessárias que nunca em nome de uma cultura de paz”.

Formado e Mestre na área do Direito, Guilherme d’Oliveira Martins é Doutor Honoris Causa pela Universidade Lusíada, pela Universidade Aberta e pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP). Nos Governos de Portugal foi, sucessivamente, Secretário de Estado da Administração Educativa (1995-1999), Ministro da Educação (1999-2000), Ministro da Presidência (2000-2002) e Ministro das Finanças (2001-2002). Foi Presidente da SEDES – Associação para o Desenvolvimento Económico e Social (1985-1995), Vice-Presidente da Comissão Nacional da UNESCO (1988-1994) e Presidente da Comissão da Convenção de Faro do Conselho da Europa (2005).