19 Janeiro 2021 Parcerias para o Desenvolvimento

Fundação apoia estudo sobre transmissão SARS CoV-2 em Luanda

O estudo que pretende verificar transmissão intrauterina vai ser levado a cabo nos próximos três meses

Maternidade Lucrécia Paim Luanda © DR
Maternidade Lucrécia Paim Luanda © DR

O CISA – Centro de Investigação em Saúde de Angola está a desenvolver um estudo em parturientes da Maternidade Lucrécia Paim, em Luanda, sobre o risco de transmissão de SARS CoV-2 de mãe para filho.

Este estudo, denominado “Estudo SARS CoV-2 em parturientes da Maternidade Lucrécia Paim e o risco de transmissão vertical”, teve início a 1 de janeiro de 2021 e tem como objetivo perceber se o vírus se transmite por via intrauterina e durante a amamentação.

As parturientes fazem um teste rápido à chegada à maternidade, na triagem. Caso o teste dê positivo, seguem para a ala Covid -19 da Maternidade. No internamento, é feito novo teste PCR para confirmar a infeção. Nas 24 horas após o nascimento, o bebé é sujeito a um teste. Passados sete dias do nascimento, são realizados novos testes, ao bebé e à mãe.

Este estudo terá uma duração aproximada de 3 meses. Desde 1 de janeiro, data de início do estudo, foram testadas 1000 grávidas, seis das quais deram resultados positivos à Covid-19.

Na Maternidade Lucrécia Paim, a maior maternidade angolana, nascem em média 80 crianças por dia. A Fundação Gulbenkian tem a decorrer, nesta maternidade, um projeto de apoio à saúde neonatal que, além da formação de recursos humanos, apoia o funcionamento da unidade de cuidados especiais do recém-nascido. 

O CISA foi criado em 2007 numa parceria entre a Fundação, o Camões IP, o Ministério da Saúde de Angola e o Governo Provincial do Bengo. Em 2013, o CISA tornou-se um Instituto público e, em 2019 houve um reenquadramento para a sua autonomia científica.

 

Saber mais