Filmes apoiados pela Fundação selecionados em Roterdão

As curtas-metragens Miragem Meus Putos, de Diogo Baldaia, Sunstone, de Filipa César e Louis Henderson, Tudo o que imagino, de Leonor Noivo e as longas-metragens A Fábrica de Nada, de Pedro Pinho, Tempo Comum, de Susana Nobre e Fátima, de João Canijo.

Os filmes de seis realizadores portugueses, cujos percursos têm sido apoiados pela Fundação, foram selecionados para a 47ª edição do Festival Internacional de Cinema de Roterdão, um dos maiores festivais de cinema da Europa, que começa no próximo dia 24 de janeiro, na Holanda.

Miragem Meus Putos, de Diogo Baldaia, fará a sua estreia internacional e estará em competição no Festival, na secção de curtas “Ammodo Tiger”. O filme é um retrato do sentimento de desconexão vivido por três jovens adolescentes num ambiente urbano e angariou o prémio de melhor curta-metragem portuguesa do 14.º IndieLisboa. Noutras secções do Festival Internacional de Cinema de Roterdão dedicadas às curtas-metragens, serão exibidas, em estreia internacional, Sunstone, da portuguesa Filipa César e do britânico Louis Henderson, e Tudo o que imagino, de Leonor Noivo.

No que diz respeito às longas-metragens, participam ainda os filmes A Fábrica de Nada, de Pedro Pinho, exibido em antestreia nacional na Fundação em setembro de 2017; Tempo Comum, de Susana Nobre, integrada na secção “Bright Future”; e Fátima, de João Canijo, apoiado na pós-produção pela Fundação, na secção “Voices”.

A 47.ª edição do Festival decorrerá de 24 de janeiro a 4 de fevereiro.

Atualização em 16 Janeiro 2018