Estágios de curta duração para profissionais de saúde dos PALOP

A experiência de Avantino Sebastião, médico angolano especialista em Pneumologia no único hospital pediátrico de Luanda, o Hospital David Bernardino

A 6 de julho, o Programa Gulbenkian Parcerias para o Desenvolvimento abriu uma nova edição do concurso destinado aos profissionais de saúde dos PALOP para estágios de curta duração nos hospitais portugueses. Desta vez, as bolsas vão essencialmente para os profissionais das áreas clínicas de anestesiologia, cirurgia geral, ginecologia e obstetrícia, medicina interna e pediatria.

Entre os 71 profissionais de saúde que já obtiveram bolsa da Fundação Gulbenkian está Avantino Sebastião, médico angolano especialista em Pneumologia no único hospital pediátrico de Luanda, o Hospital David Bernardino.

A bolsa trouxe-lhe a possibilidade de entrar por três meses no Hospital D. Estefânia, em Lisboa, na área de pneumologia pediátrica, uma das mais necessitadas ao nível da capacitação de quadros em Luanda. Avantino Sebastião formou-se em medicina geral em Cuba, onde também se especializou em pediatria, e está há 12 anos no David Bernardino, onde enfrenta diariamente situações complexas, “Em Angola somos poucos profissionais de saúde, o número de médicos por habitante é muito reduzido e muitas vezes os enfermeiros têm de ser capacitados para o trabalho dos médicos”. Segundo as estatísticas da Global Health Workforce, da Organização Mundial de Saúde, existem em Angola 1,6 médicos por 10 000 habitantes, num país com cerca de 24 milhões de habitantes. Com um fluxo de doentes muito elevado, Avantino Sebastião chega a ver, em época de chuvas e calor, entre 300 e 350 doentes na urgência, e 60 a 70 no internamento.
A bolsa permitiu a Avantino Sebastião “colher muitos frutos da experiência no Hospital D. Estefânia e aperfeiçoar técnicas usadas para o diagnóstico e tratamento de doenças.” A broncoscopia, técnica usada para a extração de corpos estranhos alojados nas vias respiratórias, é uma das ferramentas mais úteis, por exemplo. “Esta era uma das áreas na qual tínhamos mais necessidade de formação”, diz o médico angolano, que promete vir a transmitir estes novos conhecimentos aos colegas do serviço de pneumologia pediátrica no Hospital David Bernardino. O CISA – Centro de Investigação em Saúde de Angola, o projeto lançado pela Fundação Calouste Gulbenkian, em parceria com o Ministério da Saúde de Angola, o Governo Provincial do Bengo e o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, desenvolve também um projeto nesta área, no Hospital Geral do Bengo.

 

Atualização em 14 Outubro 2016