22 de julho: Dia Europeu de Ação pelas Vítimas de Crimes de Ódio

Uma iniciativa do Conselho da Europa em que todos podemos participar.

A 22 de julho de 2011, em Utøya e Oslo, na Noruega, foram massacradas 77 pessoas em ataques motivados pela ideologia de extrema-direita e pelo ódio racista. Trazido à justiça, o agressor considerou serem todas estas pessoas traidoras por apoiar a imigração e o multiculturalismo.

O discurso de ódio e os crimes de ódio são agressões contra os direitos humanos, afetando toda a sociedade. A incitação ao ódio contextualiza os crimes de ódio de uma forma que desumaniza as suas vítimas e providencia uma justificação para todo o género de agressões, o genocídio e a limpeza étnica. Em todos os países da Europa acontecem crimes motivados pelo ódio e o preconceito – os grupos minoritários são os alvos mais vulneráveis, sobretudo as pessoas de etnia Cigana, as pessoas LGBT e as comunidades de imigrantes.

A Campanha contra o Discurso de Ódio peticionou, junto da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa, pelo estabelecimento de um Dia Europeu de Ação pelas Vítimas de Crimes de Ódio. Assinalado a 22 de julho, desde 2013, visa chamar a atenção para os crimes de ódio que ocorrem na Europa, dar voz às vítimas, expressar solidariedade para com as mesmas, reforçar o cumprimento da lei nesta matéria e educar e consciencializar para que estes crimes sejam prevenidos ou condenados.

 

Mais informação sobre a Campanha