22 de julho: Dia Europeu de Ação pelas Vítimas de Crimes de Ódio

Uma iniciativa do Conselho da Europa em que todos podemos participar.
Dia Europeu de Ação pelas Vítimas de Crimes de Ódio

A 22 de julho de 2011, em Utøya e Oslo, na Noruega, foram massacradas 77 pessoas em ataques motivados pela ideologia de extrema-direita e pelo ódio racista. Trazido à justiça, o agressor considerou serem todas estas pessoas traidoras por apoiar a imigração e o multiculturalismo.

O discurso de ódio e os crimes de ódio são agressões contra os direitos humanos, afetando toda a sociedade. A incitação ao ódio contextualiza os crimes de ódio de uma forma que desumaniza as suas vítimas e providencia uma justificação para todo o género de agressões, o genocídio e a limpeza étnica. Em todos os países da Europa acontecem crimes motivados pelo ódio e o preconceito – os grupos minoritários são os alvos mais vulneráveis, sobretudo as pessoas de etnia Cigana, as pessoas LGBT e as comunidades de imigrantes.

A Campanha contra o Discurso de Ódio peticionou, junto da Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa, pelo estabelecimento de um Dia Europeu de Ação pelas Vítimas de Crimes de Ódio. Assinalado a 22 de julho, desde 2013, visa chamar a atenção para os crimes de ódio que ocorrem na Europa, dar voz às vítimas, expressar solidariedade para com as mesmas, reforçar o cumprimento da lei nesta matéria e educar e consciencializar para que estes crimes sejam prevenidos ou condenados.

 

Mais informação sobre a Campanha
Atualização em 20 julho 2016

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.