Colóquio-Letras: primeiro volume do ano

O poeta brasileiro Manuel Bandeira e a escritora portuguesa Maria Velho da Costa são os nomes em destaque neste número da revista.

Num texto de homenagem a Eduardo Lourenço, Presidente do Conselho Editorial da Colóquio-Letras à data da sua morte e colaborador de longa data da Fundação Calouste Gulbenkian, Nuno Júdice, diretor da Revista, enaltece, neste número, «a sua “inteligência feita voz” descrevendo-o como “o último dos grandes pensadores e intelectuais que acompanharam a nossa segunda metade do século XX e o início deste século”.

Destaca-se o dossiê consagrado a um dos grandes poetas da língua portuguesa do século XX, Manuel Bandeira, e à estreita ligação entre as poesias portuguesa e brasileira que nele, juntamente com Cecília Meireles, Carlos Drummond de Andrade, Vinicius de Moraes, Murilo Mendes e João Cabral de Melo Neto, teve uma das grandes referências.

A escritora Maria Velho da Costa é também evocada num conjunto de artigos e testemunhos que abordam aspetos múltiplos da sua atividade literária e ensaística. O número inclui ainda outros temas e autores da cultura portuguesa, com destaque para José Régio, Fernanda Botelho, Ruy Belo, Mário Cláudio e Maria Alberta Menéres.

Na secção de documentos revela-se um artigo de Carlos Queiroz sobre Almada Negreiros, e publicam-se textos inéditos de José Gardeazabal e Marco Lucchesi. As habituais recensões críticas ocupam-se de livros de poesia, ficção, ensaio e crónica, recentemente publicados.

Destaque, ainda, neste número, para as ilustrações do pintor Avelino Sá, que estabelecem sugestivos diálogos entre a literatura e as artes plásticas.

 

Clara Rowland, Professora associada da FCSH da Universidade Nova de Lisboa, fala sobre Manuel Bandeira