Colocar o Noroeste no mapa

Quatro municípios e quatro universidades, em conjunto com a COTEC, assinaram ontem no Porto, o protocolo de criação da Plataforma de Cooperação Noroeste Global destinada a potenciar o valor estratégico da macrorregião do Noroeste para a economia nacional.

Unidos na vontade de aumentar a capacidade de inovação e internacionalização da região noroeste, enquadrada pelos municípios de Aveiro, Braga, Guimarães e Porto, os presidentes de câmara e reitores presentes foram unânimes no elogio às potencialidades de cooperação e ao compromisso coletivo que esta Plataforma representa.

Esta iniciativa nasce como resultado do estudo apoiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, coordenado por Félix Ribeiro e João Ferrão, que faz um levantamento do Noroeste em termos geográficos, demográficos e ambientais.  O estudo, agora editado em livro, descreve as principais atividades, clusters de empresas exportadoras e polos de indústria pesada, bem como os polos de Ensino Superior, centros de investigação e de competência das Universidades e dos Politécnicos desta macrorregião.

Convicto das potencialidades e do valor estratégico do noroeste, o presidente da Fundação Calouste Gulbenkian considera que este é um dos maiores desafios do tempo presente, já que esta região é “um dos grandes motores de desenvolvimento do país”. Artur Santos Silva lembrou que este estudo foi apoiado pela Fundação Gulbenkian no quadro da Iniciativa Cidades e que ele foi uma forma da Fundação “contribuir para o debate público informado”, mas também para desencadear os contactos que levaram à criação desta Plataforma.

Por seu lado, perante uma plateia constituída por dirigentes da COTEC, pelos presidentes de câmara de Aveiro, Braga, Guimarães, pela vice-presidente da Câmara do Porto e pelos reitores das universidades do Porto, Minho e Aveiro, o secretário de Estado do Desenvolvimento Regional disse acreditar nas capacidades deste projeto e nas suas potencialidades. Castro Almeida aplaudiu o facto da Plataforma juntar o lado científico, as empresas e os decisores políticos locais.

A Plataforma agora criada será coordenada pelo antigo vice-reitor da universidade do Porto ,Jorge Moreira Gonçalves, e terá competências específicas na área dos Projetos de Investigação e de Investimento, para melhor competir na captação de fundos estruturais e de investimento estrangeiro.

A Plataforma terá ainda de criar a marca Noroeste Global enquanto macrorregião fundamental para o desenvolvimento português.