Cadernos Arte e Comunidade: Ética e Arte Participativa

Um diálogo entre Arlene Goldbard e François Matarasso serve de mote para o primeiro “Caderno Arte e Comunidade”, onde se partilham reflexões e aprendizagens das iniciativas PARTIS.

Composto por três partes, este caderno destina-se a “relembrar aos artistas que trabalham em prol da transformação social a importância que a ética tem no seu ofício, bem como a necessidade de investigar, aprofundar e, talvez mais do que tudo, conversar sobre os desafios que lhe dizem respeito”, lê-se na introdução.

Mais do que oferecer respostas, a intenção da publicação – disponível em formato digital e gratuito, em português e inglês – é “apresentar perguntas adequadas que estimulem os leitores a pensar por si” sobre um tema muito amplo e complexo, a partir da perspetiva de dois interlocutores com décadas de trabalho e uma vasta experiência na área da arte participativa: a escritora, ativista cultural e artista visual Arlene Goldbard, residente nos EUA, e o também escritor, investigador e artista comunitário François Matarasso, autor do livro Uma Arte Irrequieta (publicado pela Fundação Gulbenkian em 2019).

O caderno abre com um ensaio introdutório da autoria de Matarasso, intitulado “Uma Reflexão Preliminar Sobre Arte, Transformação Social e Ética”. Segue-se depois um diálogo entre os dois autores, adaptado a partir de uma sessão online sobre ética e arte participativa, que ocorreu a 29 de janeiro de 2021 e envolveu quase uma centena de intervenientes dos projetos ao abrigo das iniciativas PARTIS da Fundação Calouste Gulbenkian. Já o terceiro e último capítulo disponibiliza um guia para a prática dos workshops sobre ética e arte participativa que Arlene Goldbard facilita nos Estados Unidos há vários anos.

Esta é a primeira edição de uma série de publicações denominadas “Cadernos Arte e Comunidade”, que querem partilhar reflexões e aprendizagens destas iniciativas com todos os que se empenham em alargar o horizonte das artes, contribuindo para esbater as barreiras da arte participativa e renovar a esperança no nosso futuro comum.

As iniciativas PARTIS, que decorrem desde 2013 – e que, com a parceria da Fundação “la Caixa”, a partir de 2020, ganharam a designação “PARTIS & Art for Change” – são uma aposta da Fundação Calouste Gulbenkian no apoio a projetos artísticos com impacto social, partindo da convicção de que a democratização do acesso e a participação de todos na criação e na fruição artística e cultural são chaves para a construção de comunidades mais sustentáveis, coesas e justas.

 

Ver publicação