Centro Cultural Português de Maputo vai ter núcleo de artes

Acervo bibliográfico constituído por publicações especializadas em arte

Um acervo bibliográfico constituído por publicações especializadas em arte, com uma forte componente africana, vai ser criado na biblioteca do Centro Cultural Português em Maputo, com o apoio da Fundação Gulbenkian. Além do acervo e da sua atualização durante dois anos, o projeto inclui o reforço de meios informáticos e de gestão documental e a formação de recursos humanos.

Este novo núcleo de artes será de grande utilidade para estudantes, curadores e críticos de arte que, como refere a diretora de cultura da Universidade Eduardo Mondlane, “começam a surgir e poderão beneficiar deste importante projeto”. Para Alda Costa “o meio artístico de Maputo é carente de publicações especializadas, de informação atualizada sobre o mundo da arte, de possibilidades de ver arte através de uma biblioteca bem apetrechada”. O protocolo de parceria com o Camões-Instituto da Cooperação e da Língua foi assinado a 9 de janeiro, na Fundação Calouste Gulbenkian.

Este apoio, concedido através do Programa Gulbenkian Parcerias para o Desenvolvimento, segue-se a outros já atribuídos em Moçambique, nomeadamente ao Núcleo de Arte de Maputo, à Escola de Artes Visuais de Maputo, à Companhia Nacional de Canto e Dança e recentemente à CulturArte – Centro de Dança Contemporânea.