18 Dezembro 2019

Carlos Moedas é o mais novo administrador da Gulbenkian

O Conselho de Administração da Fundação Gulbenkian elegeu, por unanimidade, o novo membro executivo, que completa o conjunto de nove elementos do Conselho de Administração da Fundação.

Cerimónia de tomada de posse do Engº Carlos Moedas

Carlos Moedas foi empossado administrador executivo da Fundação Gulbenkian numa cerimónia que contou com a presença de atuais e antigos membros do Conselho de Administração e restantes funcionários da Fundação.

Durante a cerimónia, a presidente da Fundação, Isabel Mota, destacou o serviço prestado por Carlos Moedas ao país, num percurso “que foi sempre muito exigente e desafiante”. Sem enunciar os inúmeros cargos que desempenhou nos últimos anos, sublinhou “as suas qualidades pessoais, com especial destaque para a lealdade com que sempre honrou o serviço à causa pública, mas também a mundividência, sem assombro, com que passou pela Comissão Europeia, sendo internacional e europeu, sem ser apátrida.” Isabel Mota referiu ainda a inteligência, o caráter, a experiência internacional e a convicção de Carlos Moedas, qualidades “presentes na decisão unânime do Conselho de Administração de o cooptar.”

Por seu lado, Carlos Moedas lembrou os momentos em que se cruzou com a Fundação Gulbenkian, enquanto criança em Beja, até aos tempos mais recentes, sublinhando a sua relevância para o país. O novo administrador disse ainda que aceitou o convite pela “coragem” da atual presidente na reconfiguração dos ativos da Fundação, abrindo caminho a uma estratégia mais sustentável. 

Carlos Moedas (1970) tem uma licenciatura em engenharia civil pelo Instituto Superior Técnico e um MBA pela Harvard Business School. Começou a sua carreira como engenheiro no Grupo Suez em Paris, foi quadro da Goldman Sachs e do Deutsche Bank em Londres. Eleito deputado à Assembleia da República em 2011, foi nomeado secretário de Estado-adjunto do Primeiro Ministro, cargo que ocupou até 2014. A 1 de novembro desse ano tomou posse como Comissário Europeu da Investigação, Ciência e Inovação, fazendo parte da equipa de Jean-Claude Juncker até novembro de 2019.

Leia o discurso completo de Isabel Mota.