Biblioteca de Maputo com espólio de arte africana

A biblioteca do Centro Cultural Português de Maputo reabriu ao público com uma nova coleção de livros de arte, de forte componente africana, apoiada pela Fundação Calouste Gulbenkian. O novo acervo bibliográfico vai permitir a artistas e criadores um maior contacto com a investigação e a produção artística contemporânea do continente africano. 

Este espaço de cultura da capital moçambicana serve uma média anual de 25 mil leitores, maioritariamente estudantes do ensino médio e superior em Maputo e tem cerca de 17 mil títulos de todas as áreas do conhecimento.
Nesta requalificação foram criadas condições para o acesso digital aos registos das obras, através de um catálogo online que vai permitir trabalhar em rede com a biblioteca do Centro Cultural Português, polo da Beira, através do site www.camoes-ccpmocambique.co.mz.

No dia da reabertura, que contou com a presença do administrador da Fundação Gulbenkian Guilherme d’Oliveira Martins, foi inaugurada a instalação Lugar e Leitura – Uma abordagem silenciosa do artista moçambicano Jorge Dias.