20 Fevereiro 2019 Parcerias para o Desenvolvimento

Apoio à saúde materna e neonatal em Angola

© Márcia Lessa
Maria Manuela Mendes (Diretora da Maternidade Lucrécia Paim) Guilherme d'Oliveira Martins (Administrador da Fundação Calouste Gulbenkian) e Joana Saldanha (Presidente da Sociedade Portuguesa de Neonatologia) © Márcia Lessa

Nos próximos dois anos, a Fundação vai apoiar a formação de recursos humanos e o funcionamento da unidade de cuidados especiais do recém-nascido na Maternidade Lucrécia Paim, em Angola – a maior maternidade angolana e hospital de referência para atendimento materno e neonatal.

O objetivo é contribuir para melhorar as condições de assistência ao recém-nascido, reduzindo a taxa de mortalidade neonatal na maternidade. O projeto, que conta com a parceria da Sociedade Portuguesa de Neonatologia, prevê a formação e a capacitação de profissionais nos cuidados especiais dos recém-nascidos, de forma a torná-los mais aptos a identificar e lidar com situações de risco na assistência às grávidas e no parto.

Este projeto começou no final do ano passado com uma missão de diagnóstico e desenho do projeto. No protocolo que formaliza esta parceria prevê-se que sejam realizadas missões periódicas no país de pediatras neonatalogistas portugueses, para apoio à formação de recursos humanos in loco e assessoria técnica ao funcionamento da unidade especial de cuidados especiais ao recém-nascido. A parceria estabelece ainda a realização de estágios, em unidades de saúde portuguesas, destinados a profissionais de saúde angolanos, bem como missões de profissionais da área da obstetrícia para apoio à formação de recursos humanos, de forma a identificar e resolver potenciais situações de risco na assistência às grávidas e no parto. O acordo prevê também a aquisição de material complementar para a unidade de cuidados especiais, o apoio à definição do seu protocolo de funcionamento e assessoria à sua organização.

Atualização em 06 Agosto 2019