Apoio à Maternidade Lucrécia Paim

O projeto tem tido um impacto relevante na redução da mortalidade neonatal da principal maternidade de Luanda.
Maternidade Lucrécia Paim, Luanda © DR
Maternidade Lucrécia Paim, Luanda © DR

Tendo como ponto de partida o facto de Angola apresentar taxas de mortalidade materno-infantil muito elevadas, a Fundação Calouste Gulbenkian tem vindo a apoiar, desde 2019, a unidade de cuidados perinatais da Maternidade Lucrécia Paim, em Luanda – onde nascem, em média, 80 crianças por dia.

Através deste projeto, o hospital público, que é também um centro de referência na prestação de cuidados de saúde a mulheres grávidas e recém-nascidos, tem tido apoio à formação de recursos humanos, à realização de estágios em Portugal, à contratação de técnicos de saúde, à reabilitação e aquisição de equipamento e material complementar para a unidade de cuidados especiais, na revisão de procedimentos, definição de protocolos e assessoria técnica aos profissionais que prestam assistência ao recém-nascido.

 

Realizado com a colaboração da Sociedade Portuguesa de Neonatalogia, este acompanhamento e monitorização regulares têm contribuído para um impacto relevante na redução da mortalidade neonatal da principal maternidade de Luanda.

Assista ao vídeo e fique a conhecer esta instituição de saúde, os seus profissionais e os desafios que enfrentam, no dia a dia, na redução da mortalidade neonatal na maternidade.

 

Devido à pandemia por Covid-19, a conclusão desta fase do projeto, prevista para o final de 2020, foi adiada para o final de 2021.

Saiba mais sobre o projeto