António Feijó será Presidente da Fundação Gulbenkian a partir de maio 2022

O Conselho de Administração Plenário da Fundação Calouste Gulbenkian, na sua reunião de hoje, elegeu, por voto secreto, António Feijó para seu Presidente, a partir de 3 de maio de 2022.
António Feijó ©DR

António Feijó sucederá a Isabel Mota, que em maio chegará ao fim do seu mandato como presidente, não podendo ser reconduzida, tal como previsto nas normas da Fundação,  por ter atingido o limite de idade.

 

António Feijó

Professor Catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Foi Diretor da Faculdade de Letras e é, atualmente, Pró-Reitor da Universidade de Lisboa. É diretor da Imprensa da Universidade de Lisboa.

PhD (Literatura Inglesa e Norte-Americana) Brown University; MA (Literatura Inglesa e Norte-Americana) State University of New York.

Tem publicações sobre tópicos de literatura inglesa, norte-americana e portuguesa, bem como traduções e versões dramatúrgicas (Shakespeare, Otway e Fernando Pessoa, entre outros).

Em 2015, publicou Uma Admiração Pastoril pelo Diabo (Pessoa e Pascoaes), Imprensa-Nacional Casa da Moeda. Em 2016, publicou uma versão levemente alterada da sua tradução de Hamlet, de Shakespeare. Em 2017 publicou, com Miguel Tamen, A Universidade como deve ser (Fundação Francisco Manuel dos Santos).

Comissariou exposições sobre literatura (Fundação Calouste Gulbenkian 2008) e Fundação Cupertino de Miranda (2018, em colaboração).

Foi presidente do Conselho Geral Independente da RTP.

É Diretor Não-Executivo da Fundação da Casa de Mateus.

É Administrador não executivo da Fundação Calouste Gulbenkian desde 2018.

Atualização em 15 dezembro 2021