Das práticas coloniais e relações sociais e de poder. Descolonizar o pensamento

Visita-conversa

«Eu (não) estou aqui. De onde venho, onde moro, que línguas falo, que histórias guardo? Que histórias ficaram por contar?» A exposição de Irineu Destourelles (Santo Antão, Cabo Verde, 1974) convoca, através da escrita e da imagem, memórias e silêncios, lugares e corpos que são ao mesmo tempo vividos na primeira pessoa e coletivamente. Nesta visita podes ficar a conhecer melhor este artista, a sua arte, as suas memórias e a diáspora africana que o marcaram. 

Com Rita Fabiana

 
A Fundação Calouste Gulbenkian reserva-se no direito de recolher e conservar registos de imagens, sons e voz durante o Dia Aberto Universidades, para a difusão e preservação coletiva da memória da sua atividade cultural e artística.
Caso pretenda obter algum esclarecimento, poderá contactar-nos através de privacidade@gulbenkian.pt.

 

Próximas sessões

Sobre a atividade:

Duração: 40 min

Mínimo de participantes: 5

Máximo de participantes: 25

Língua: Português

Onde:

Local: Coleção Moderna—Espaço Projeto

Para quem:

Detalhes da atividade:

Época:

Ciclo:

Tipo:

Equipa educacional: