Para onde vai a Europa?

Slider de Eventos

Conferência com transmissão em direto através do Facebook


TRANSMISSÃO


PROGRAMA

09:30 – 9:45   Sessão de abertura

Isabel Mota, Presidente da Fundação Calouste Gulbenkian

 

09:45 – 10:30   A Europa na ordem global do século XXI

Mário Centeno, Ministro das Finanças do Governo português e Presidente do Eurogrupo

 

10:30 – 11:00    Coffee-Break

 

11:00 – 12:30   Reforma do euro, perspetivas financeiras e orçamentais da União Europeia

Giorgos Papakonstantinou, antigo Ministro das Finanças da Grécia e Professor da Escola de Governança Transnacional do Instituto Universitário Europeu de Florença.

Mesa-redonda

Elisa Ferreira, Vice-Governadora do Banco de Portugal
Klaus Regling, Economista e Administrador Executivo do Mecanismo de Estabilidade Europeu
Vitor Bento, Economista e Presidente do Conselho de Administração da SIBS
Vitor Martins, Economista e antigo Secretário de Estado dos Assuntos Europeus do Governo português (moderador).

 

12:30 – 14:00   Pausa para almoço

 

14:00 – 15:30   A União Europeia depois do Brexit:
Tensões centrífugas e integração diferenciada

Federico Fabbrini, Diretor do Brexit Institute na Escola de Direito e Governação da Universidade de Dublin

Mesa-redonda

António Cabral, Economista e antigo Diretor-Geral-Adjunto dos Assuntos Económicos e Financeiros da Comissão Europeia 
Paulo Portas, antigo Vice-Primeiro Ministro de Portugal
Luísa Meireles, diretora de Informação da LUSA – Agência de Notícias de Portugal (moderadora).

 

15:30 – 16:00   Coffee-Break

 

16:00 – 17:30   O populismo e as eleições para o Parlamento Europeu

Carlos Jalali, Professor de Ciência Política na Universidade de Aveiro.

Mesa-redonda

Madeleine de Cock Buning, professora e antiga Presidente do Grupo de Peritos de Alto Nível da Comissão Europeia sobre fake news e desinformação
Mark Leonard, Diretor do European Council on Foreign Relations
Marlene Wind, Diretora do Centro de Política Europeia da Universidade de Copenhaga
Miguel Poiares Maduro, Diretor da Escola de Governança Transnacional do Instituto Universitário Europeu de Florença (moderador).

 

17:30 – 18:00   Para Onde Vai a Europa?

Joseph Weiler, Professor na Escola de Direito da Universidade de Nova Iorque e senior fellow no Centro de Estudos Europeus da Universidade de Harvard.

 

Download do Programa

ORADORES

Alex Ellis ingressou como Diretor Geral no Departamento para a Saída da União Europeia (DExEU) em janeiro de 2017. Anteriormente, foi Embaixador do Reino Unido no Brasil, entre 2013 e 2016. Alex Ellis tem uma vasta experiência na União Europeia, principalmente em Bruxelas, como Membro do Gabinete do Presidente da Comissão Europeia. No exercício dessa função, foi responsável pelas áreas da energia, mudanças climáticas, concorrência, desenvolvimento, comércio e estratégia. Antes disso, trabalhou na Delegação do Reino Unido na União Europeia, particularmente nas negociações para estabelecer o euro, o orçamento de sete anos e, mais tarde, questões institucionais, nomeadamente o Tratado de Nice. Foi também o Coordenador de Whitehall para as negociações de alargamento concluídas em 2003. Além de ter exercido funções como Embaixador britânico em Portugal de 2007 a 2010, Alex Ellis foi também Diretor de Estratégia no Ministério dos Negócios Estrangeiros e Chefe da Equipa responsável pelos assuntos económicos e da União Europeia na Embaixada do Reino Unido em Madrid. Iniciou a sua carreira no âmbito do serviço público como Membro da equipa de apoio à transição para a democracia multipartidária na África do Sul, após a libertação de Nelson Mandela.

António Cabral licenciou-se em Economia no Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras (ISCEF), em 1971, tendo iniciado a sua carreira profissional no Secretariado Técnico da Presidência do Conselho, mais tarde integrado no Ministério das Finanças como Departamento Central de Planeamento. Em 1978 integrou os quadros de Banco de Portugal, no Departamento de Estatística e Estudos Económicos, do qual foi Diretor Adjunto. De 1988 a 2014 foi funcionário da Comissão Europeia, onde, até 2004, trabalhou na Direção Geral dos Assuntos Económicos e Financeiros, da qual chegou a ser Diretor Geral Adjunto. De 2004 a 2014 foi Conselheiro Especial do Presidente da Comissão, José Manuel Durão Barroso. Lecionou diferentes matérias na Universidade Católica Portuguesa, tendo participado em diversas conferências e publicado vários artigos e livros.

Carlos Jalali é doutorado em Ciência Política pela Universidade de Oxford. É Professor Associado na Universidade de Aveiro, onde dirige o Mestrado em Ciência Política e o Programa Doutoral da Universidade de Aveiro e da Universidade da Beira Interior (UA-UBI) em Ciência Política, sendo também Coordenador da linha Políticas Públicas, Instituições e Inovação, na unidade de investigação em governança, competitividade e políticas públicas (GOVCOPP). O seu trabalho centra-se nas instituições políticas, sistemas partidários, comunicação política e comportamento eleitoral em Portugal. É autor de diversos artigos e capítulos em revistas científicas e livros nacionais e internacionais, entre os quais se inclui, mais recentemente, o ensaio Partidos e Sistemas Partidários (Fundação Francisco Manuel dos Santos, 2017). É, desde 2016, Presidente da Associação Portuguesa de Ciência Política.

Elisa Ferreira é licenciada em Economia pela Universidade do Porto (1977), mestre e doutorada pela Universidade de Reading (1981-1985), com Equivalência a Doutoramento em Economia pela Universidade do Porto (1986). Administradora do Banco de Portugal, desde junho de 2016, é Vice-Governadora desse mesmo Banco, desde setembro de 2017. Foi Deputada ao Parlamento Europeu (2004-2016), tendo integrado, ao longo de todo este período, a Comissão dos Assuntos Económicos e Monetários, na qual foi a Coordenadora e Porta-Voz do Grupo Parlamentar dos Socialistas e Democratas. Foi ainda Relatora (coordenadora) das posições do Parlamento Europeu de várias propostas legislativas relacionadas com o sistema financeiro e com matérias de política económica, orçamental e fiscal. Antes de ingressar no Parlamento Europeu, foi Deputada à Assembleia da República portuguesa (2002-2004), Ministra do Planeamento (1999-2002) e Ministra do Ambiente (1995-1999) do Governo português. Foi também Vice-Presidente da Associação Industrial Portuense (1992-1994) e Vice-Presidente da Comissão de Coordenação da Região Norte (1998-1992), entidade que integrou em 1979. Entre 1989 e 1992, desempenhou funções de Vogal do Conselho de Administração do Instituto Nacional de Estatística. É Docente da Faculdade de Economia da Universidade do Porto desde 1977.

Federico Fabbrini é Professor Catedrático de Direito Europeu na Faculdade de Direito e Administração da Universidade de Dublin e o Diretor do Instituto Brexit. É doutorado em Direito pelo Instituto Universitário Europeu e um Advogado amplamente reconhecido em Itália. Anteriormente, exerceu cargos académicos na Holanda e na Dinamarca. É autor de Fundamental Rights in Europe (Oxford University Press, 2014) e de Economic Governance in Europe (Oxford University Press, 2016). É ainda editor, entre outros, de The Law & Politics of Brexit (Oxford University Press, 2017). Colabora regularmente com instituições da União Europeia e Governos nacionais, tendo já apresentado o seu trabalho, nomeadamente ao Parlamento Europeu, ao Banco Central Europeu, à Comissão Europeia, ao Tribunal Europeu de Justiça, à Agência dos Direitos Fundamentais, ao Tribunal da Associação Europeia de Comércio Livre (EFTA) e à Autoridade de Conduta Financeira do Reino Unido.

 

Giorgos Papakonstantinou é Economista, tendo exercido cargos políticos ao mais alto nível, como Ministro do Governo grego e Membro do Parlamento grego e do Parlamento Europeu. Como Ministro das Finanças da Grécia, no início da crise da zona euro, desempenhou um papel fundamental na conceção e negociação do programa de apoio à Grécia e das políticas económicas e financeiras associadas da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional. Posteriormente, como Ministro do Meio Ambiente e Energia, adotou políticas para promover a agenda de crescimento sustentável da Grécia. Giorgos Papakonstantinou é licenciado pela Faculdade de Economia da Universidade de Londres, mestre pela Universidade de Nova Iorque e doutorado em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade de Londres. Desde que abandonou os cargos públicos, concentrou o seu trabalho na análise de políticas económicas e financeiras e questões de governação. Atualmente é Professor em tempo parcial na Escola de Governação Transnacional do Instituto Universitário Europeu, onde lidera o estudo de Transformação da Governação Global, um grande projeto de pesquisa e análise de políticas cujo objetivo é compreender a transformação da governação global em curso em várias áreas e avaliar a eficácia dos modelos de governação global emergentes. Algumas das suas obras publicadas são, por exemplo, Game Over: The Inside Story of the Greek Crisis (2016) e Post-Crisis Europe (Agenda Publishing, 2019), no prelo.

Isabel Mota é Presidente do Conselho de Administração da Fundação Calouste Gulbenkian desde maio de 2017, tendo sido Membro do Conselho de Administração da mesma Fundação entre 1999 e 2017. É também Presidente do Conselho de Supervisão da Partex Holding, Presidente do Conselho de Administração da Maison du Portugal – André de Gouveia, da Cité Internationale Universitaire de Paris e Membro não executivo do Conselho de Administração do Banco Santander-Totta, desde julho de 2015. Licenciada em Finanças pela Universidade de Lisboa (1973), foi Assistente no Instituto Superior de Economia (1973-1975), Subdiretora no Gabinete para a Cooperação Económica Externa do Ministério das Finanças (1978-1986) e Conselheira na Representação Permanente de Portugal em Bruxelas (1986). Posteriormente foi Secretária de Estado do Planeamento e do Desenvolvimento Regional do Governo português (1987-1995) e responsável ​​pelas negociações com a União Europeia dos Fundos Estruturais e de Coesão para Portugal. Foi ainda Administradora do Instituto para a Formação de Executivos da Universidade Nova de Lisboa (1977) e Membro do Conselho Geral da Telecel Vodafone (2001-2003), tendo também coordenado a elaboração da Estratégia Nacional de Desenvolvimento Sustentável para Portugal (2004). Além disso, foi Conselheira do Conselho Económico e Social de Portugal (até 2016) e é, desde 2011, vogal do Conselho das Ordens Honoríficas Portuguesas.

Joseph Weiler é Professor na Faculdade de Direito da Universidade de Nova Iorque e Senior Fellow do Centro de Estudos Europeus de Harvard. Até há pouco tempo, foi Presidente do Instituto Universitário Europeu, em Florença. Anteriormente foi Assistente de Manley Hudson, lecionando Direito Internacional na Faculdade de Direito de Harvard. Joseph Weiler é Editor-Chefe da Revista Europeia de Direito Internacional (European Journal of International Law – EJIL) e do International Journal of Constitutional Law (ICON).

Joseph Weiler is University Professor at New York University (NYU) Law School and Senior Fellow at the Centre for European Studies at Harvard. Until recently he served as President of the European University Institute, in Florence. Previously he served as Manley Hudson Professor of International Law at Harvard Law School. Professor Weiler is Editor-in-Chief of the European Journal of International Law (EJIL) and the International Journal of Constitutional Law (ICON).

Klaus Regling é o atual e o primeiro Diretor Executivo do Mecanismo Europeu de Estabilidade, tendo sido indicado pelo Conselho de Governação para um mandato renovável de cinco anos. É também CEO do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF), posição que ocupa desde a fundação do FEEF em junho de 2010. Klaus Regling é Economista e trabalha há 40 anos em altos cargos do setor privado e público na Europa, Ásia e Estados Unidos, incluindo uma década no Fundo Monetário Internacional (FMI), em Washington e Jacarta, e outra década junto do Ministro das Finanças alemão, onde trabalhou na preparação da União Económica e Monetária da Europa. Entre 2001 e 2008, foi Diretor Geral para os Negócios Económicos e Financeiros da Comissão Europeia. Em 2008-2009, passou um ano em Singapura a pesquisar sobre integração financeira e monetária na Escola de Políticas Públicas Lee Kuan Yew. Abriu posteriormente em Bruxelas um negócio de consultoria económica e financeira. Previamente tinha adquirido experiência no setor privado como Diretor Executivo do Moore Capital Strategy em Londres (1999-2001) e como Economista na Associação de Bancos alemã. Klaus Regling estudou Economia na Universidade de Hamburgo e de Regensburg.

Luísa Meireles é licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, tendo abandonado a advocacia ao fim de 10 anos para se dedicar por inteiro ao jornalismo, altura em que começou a trabalhar de forma permanente no jornal Expresso (1989). Tem uma pós-graduação em Estudos Europeus pelo Instituto de Estudos Europeus da Universidade Católica de Lisboa e o curso de Auditora do Instituto de Defesa Nacional. É Membro do Centro de Estudos Eurodefense-Portugal e da Association Euromed-IHEDN (Institut des Hautes Etudes de Défense National). Como Jornalista, cobriu como enviada especial os anos do fim da União Soviética e a transição de regimes em todo o Centro e Leste europeu, incluindo as guerras dos Balcãs. Especializou-se nas áreas de Defesa e Segurança e Assuntos Europeus. Foi Editora de Internacional do jornal Expresso (2000-2006) e Redatora Principal na secção de Política do mesmo jornal (2006 e 2018). Em outubro de 2018 assumiu o cargo de Diretora de Informação da Agência de Notícias de Portugal – Lusa. Publicou os livros E Depois do Iraque? (2003), em parceria com o General Loureiro dos Santos, e General Loureiro dos Santos – uma biografia (2018).

Madeleine de Cock Buning é Professora a tempo parcial na Escola de Governação Transnacional do Instituto Universitário Europeu. Aí leciona Políticas Digitais, Economia e Sociedades. Em 2018, presidiu ao Grupo de Peritos de Alto Nível da Comissão Europeia (High-Level Expert Group – HLEG) para notícias falsas e desinformação, instituído pela Comissão para determinar, para seu uso, formas de reação à disseminação de notícias falsas no espaço online e fora dele. É atualmente Presidente da Direção de Comissários da Autoridade Holandesa para os Média e, até 2017, liderou o Grupo de Reguladores Europeus para os Serviços de Comunicação Audiovisual. É Juíza Honorária do Tribunal de Recurso de Haia e Professora na Faculdade de Direito, Economia e Governance da Universidade de Utrech com a cátedra de Direitos de Copyright e Média e Direito da Comunicação.

 

Mário Centeno é Ministro das Finanças do Governo português (desde 2015), Presidente do Eurogrupo e Presidente do Conselho de Governadores do Mecanismo Europeu de Estabilidade (desde 2018). É licenciado em Economia pelo Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) da Universidade Técnica de Lisboa (1990), mestre em Matemática Aplicada pelo mesmo Instituto (1993), mestre em Economia pela Universidade de Harvard (1998) e doutorado em Economia pela mesma Universidade (1995-2000). Mário Centeno é Professor Catedrático do ISEG, tendo publicado, no âmbito das suas áreas de interesse de investigação (economia do trabalho, econometria, microeconomia e teoria dos contratos) inúmeros livros e artigos científicos. Anteriormente, foi Economista no Banco de Portugal (2000-2004), Membro do Conselho Editorial do Portuguese Economic Journal (desde 2001), Membro da Comissão Executiva da European Association of Labor Economists (2003-2005), Diretor-Adjunto do Departamento de Estudos Económicos do Banco de Portugal (2004-2013), Membro do Comité de Política Económica da Comissão Europeia (2004-2013), Membro da Comissão do Livro Branco das Relações Laborais (2006-2007), Presidente do Grupo de Trabalho para o Desenvolvimento das Estatísticas Macroeconómicas, no Conselho Superior de Estatística (2007-2013) e Consultor do Conselho de Administração do Banco de Portugal (desde 2014).

Mark Leonard é co-Fundador e Diretor do Conselho Europeu de Relações Externas, o primeiro grupo de estratégia pan-europeu. Os seus temas de eleição são geopolítica e geoeconomia, China e as instituições da União Europeia. É autor de uma coluna paga sobre assuntos globais no Project Syndicate. Anteriormente trabalhou como Diretor de Política Externa no Centro para a Reforma Europeia e foi Diretor do Centro de Política Externa, um organismo estratégico que criou aos 24 anos sob o patrocínio do antigo Primeiro-Ministro britânico Tony Blair. Na década de 90, trabalhou para o organismo estratégico Demos onde o seu artigo BritainTM contribuiu para o nascimento do movimento “Cool Britannia”. Passou algum tempo em Washington como participante transatlântico do Programa do Fundo Marshall Alemão dos Estados Unidos e em Pequim como aluno visitante da Academia Chinesa de Ciências Sociais. Foi também Diretor do Conselho da Agenda Global do Fórum Económico Mundial sobre geoeconomia até 2016. Galardoado no Fórum Económico Mundial como “Jovem Líder Global”, é orador, autor prolífico e comentador regular sobre temas globais, futuro da Europa, política interna chinesa e práticas de diplomacia e de negócios num mundo em rede. Mark Leonard é autor de dois bestsellers: Why Europe will run the 21st Century (tradução portuguesa: Século XXI – A Europa em Mudança), publicado em 2005 e traduzido para 19 línguas; e What does China think? (traduzido em português no Brasil: O que a China pensa?), publicado em 2008 e traduzido para 15 línguas.

Marlene Wind é Professora de Ciência Política e Diretora do Centro de Política Europeia na Universidade de Copenhaga. É também Professora no iCourts, Centro de Excelência, na Faculdade de Direito da mesma Universidade. Em 2018-2019, é Professora Visitante e Especialista em Direito Global na Universidade de Lovaina, Bélgica. Marlene Wind é doutorada pelo Instituto Universitário Europeu, em Florença, e pertence ao Conselho de Administração deste instituto há 12 anos. Tem publicado intensivamente nos últimos 25 anos sobre assuntos europeus, direito e política e acabou de publicar uma obra sobre populismo e integração europeia: The Tribalization of Europe – defense of our liberal values, que será publicado este ano (até agora) em castelhano, inglês e dinamarquês. Marlene Wind é, há várias décadas, comentadora regular sobre assuntos europeus nos média dinamarqueses e escreve uma coluna bimensal no principal jornal diário dinamarquês Berlingske.

Miguel Poiares Maduro é Diretor da Escola de Governação Transnacional do Instituto Universitário Europeu e foi Ministro-Adjunto e do Desenvolvimento Regional do Governo português (2013-2015). É licenciado pela Faculdade de Direito Da Universidade de Lisboa e doutorado pelo Instituto Universitário Europeu de Florença, onde obteve os prémios da melhor tese de doutoramento e de melhor investigador do Departamento de Direito. Foi Advogado Geral no Tribunal de Justiça das Comunidades Europeias até outubro de 2009. Foi também Membro do Grupo de Alto Nível da União Europeia sobre Liberdade de Media e Pluralismo; Professor da Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa, com a qual continua a colaborar; Professor convidado da Yale Law School, do Centro de Estudos Constitucionais de Madrid, da Universidade de Chicago e da London School of Economics. Leciona igualmente na Universidade Católica Portuguesa e no Colégio da Europa. Foi ainda Presidente do Comité de Governação da Fédération Internationale de Football Association (FIFA), entre 2016 e 2017. É autor de numerosas publicações, de entre as quais se destaca: We the Court – The European Court of Justice and the European Economic Constitution (Hart Publishing, 1997); A Constituição Plural – Constitutionalismo e União Europeia (Principia, 2006) e The Past and Future of EU Law (com Loic Azoulai: Hart Publishing, 2009). Foi distinguido, em 2010, com o Prémio Gulbenkian de Ciência.

Paulo Portas é licenciado em Direito pela Universidade Católica Portuguesa, tendo trabalhado sobretudo como Jornalista e como Político. Tendo começado como Jornalista no jornal O Tempo, A Tarde e O Semanário, fundou depois o jornal O Independente, no qual foi Jornalista e Diretor (1988-1995). Foi também Presidente do CDS – Partido Popular, Autarca, Deputado à Assembleia da República portuguesa, Deputado ao Parlamento Europeu, Ministro de Estado, da Defesa e dos Assuntos do Mar (2002-2005), Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros (2011-2013) e Vice-Primeiro Ministro (2013-2015) do Governo português. Tendo deixado a política ativa em 2016, Paulo Portas é atualmente Professor na Nova School of Business and Economics da Universidade Nova de Lisboa, Vice-Presidente da Câmara do Comércio e Indústria Portuguesa, Presidente do Conselho Consultivo Estratégico da Mota-Engil para a América Latina, Conselheiro da Mex Gas Internacional, comentador político, orador e conferencista.

Vitor Bento é licenciado em Economia, mestre em filosofia, certificado em Corporate Governance pelo INSEAD (Insead IDP-C), tendo finalizado a parte curricular de doutoramento em estudos estratégicos (tese em curso). É Presidente do Conselho de Administração da SIBS, Presidente da European Card Payments Association, Membro do Board da PWNLisbon, do Conselho Superior da Universidade Católica e do Conselho Geral do Instituto Português de Corporate Governance e Presidente do Conselho Fiscal da CoRe Capital. É também Consultor da Fundação Calouste Gulbenkian e da Semapa. Anteriormente foi Conselheiro de Estado e, além de Gestor no setor privado, desde 2000 desempenhou também várias funções no setor público, como Diretor no Banco de Portugal, Diretor-Geral do Tesouro, Presidente da Junta de Crédito Público e Fundador e primeiro Presidente da Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública portuguesa. Em termos europeus, foi Membro do Subcomité de Política Cambial dos Bancos Centrais europeus e do Comité Monetário da Comunidade Económica Europeia, tendo ainda integrado, por nomeação do Presidente da Comissão Europeia, o Grupo de Trabalho que estudou as possibilidades de mutualização das dívidas europeias e de criação de Eurobills. Vitor Bento é Professor Catedrático convidado no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas e Executivo convidado na formação de executivos da Nova Business School da Universidade Nova de Lisboa. É comentador regular na comunicação social portuguesa, tendo vários livros publicados, de entre os quais se destacam: Os Estados Nacionais e a Economia Global (Almedina, 2004); Perceber a Crise para Encontrar o Caminho (Bnomics, 2009); O Nó Cego da Economia (Bnomics, 2010); Economia, Moral e Política (Fundação Francisco Manuel dos Santos, 2011); Euro Forte, Euro Fraco (Bnomics, 2013); e De Portugal, da Europa e do Mundo (2018, Relógio D’Água).

Vitor Martins é Economista. Dirigiu o Gabinete de Integração Europeia do Ministério da Indústria de 1979 a 1985 e integrou a Comissão de Integração Europeia que negociou a adesão de Portugal às Comunidades Europeias. De 1985 a 1995, foi Secretário de Estado dos Assuntos Europeus do Governo português, tendo participado nas negociações do Ato Único Europeu, do Tratado de Maastricht, de Schengen e dos Pacotes Delors I e II. Entre 1996 e 2000, coordenou a Unidade do alargamento do Centre for European Policy Studies (CEPS) e integrou o Comité Europeu de Orientação do Instituto Jacques Delors. Entre outubro de 2004 e julho de 2005 presidiu à Caixa Geral de Depósitos (CGD). Atualmente é Membro não executivo da Administração da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento e do Conselho de Administração da Fundação Bissaya Barreto. Preside ainda, desde 2002 à Assembleia Municipal do Fundão.


A Fundação Calouste Gulbenkian reserva-se o direito de recolher e conservar registos de imagens, sons e voz durante a Conferência “Para onde vai a Europa?”, para a difusão e preservação coletiva da memória da sua atividade cultural e artística. Caso pretenda obter algum esclarecimento, poderá contactar-nos através de [email protected].