Espinho – Arte e Comunidade

Criar, candidatar e promover projetos (Ação de formação)

Slider de Eventos

Durante dois dias, a Fundação Calouste Gulbenkian e a Fundação “la Caixa” aproximam ainda mais a iniciativa PARTIS & ART for Change dos territórios a que quer chegar. De que forma podemos juntar os sectores social e cultural para colaborar na materialização de grandes ideias, transformando-as em projetos inspiradores e estreitando as relações entre Arte, Cultura e Comunidade? O que faz um bom projeto de arte participativa e como levá-lo adiante?


Programa

qui, 20 jan

Barreiras à participação cultural
Com Maria Vlachou

Os conceitos de acesso e de participação cultural
Da democratização da cultura à cultura democrática
Barreiras físicas, sociais, intelectuais à participação cultural

 

sex, 21 jan

Territórios Criativos
Com Marco Paiva

O espaço público e os públicos (Para quem fazemos?)
Sistemas de cooperação e sinergias culturais, sociais e artísticas (Com quem fazemos?)
Boas práticas e Metodologias de criação artística participativa (Como fazemos?)

 

Pausa para almoço entre as 12:30 e as 14:00


BIOGRAFIAS

Maria Vlachou (Acesso Cultura) é consultora em Gestão e Comunicação Cultural. Membro fundador e Directora Executiva da associação Acesso Cultura. Autora do blog Musing on Culture (e do livro homónimo), onde escreve sobre cultura, gestão e comunicação cultural, públicos, acesso. Participou no projecto europeu RESHAPE – Reflect, Share, Practice, Experiment, sendo membro do grupo “Arts and Citizenship”. Foi Directora de Comunicação do São Luiz Teatro Municipal (2006-2012) e Responsável de Comunicação do Pavilhão do Conhecimento – Ciência Viva (2001-2006). Membro dos corpos gerentes do ICOM Portugal (2005-2014) e editora do seu boletim. Foi consultora do Museu Arpad Szenes – Vieira da Silva e da Comissão Cultural da Marinha. Colaborou com os programas Descobrir e Próximo Futuro da Fundação Calouste Gulbenkian. Fellow e membro do ISPA – International Society for the Performing Arts (2018, 2020). Alumna do DeVos Institute of Arts Management at the Kennedy Center for the Performing Arts (Washington, 2011-2013); Mestre em Museologia pela University College London (1994), tendo realizado estágios no Petrie Museum of Egyptian Archaeology e no Natural History Museum; Licenciada em História e Arqueologia (Universidade de Ioannina, 1992).

Marco Paiva (Terra Amarela) é licenciado em Teatro ‐ Formação de Actores pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Pós-graduação em Empreendedorismo e estudos da cultura – Gestão Cultural ISCTE. Concluiu em 2008 o Curso Europeu de Aperfeiçoamento Teatral É́cole Des Mêtres, dirigido pelo encenador brasileiro Enrique Diaz (CIA dos Atores). Tem vindo a colaborar como actor e encenador em diversas estruturas, nomeadamente: o Teatro Nacional D. Maria II, Comuna Teatro de Pesquisa, mala voadora, O Bando, L.A.M.A – Laboratório de Artes e Media do Algarve, Culturgest, Casa da Música, Teatro Helena Sá e Costa, projeto Crinabel Teatro entre outros. Fundou em 2018 a TERRA AMARELA- Plataforma de Criação Artística Inclusiva, que desenvolve o seu trabalho em torno da cultura acessível e das práticas artísticas inclusivas.


Uma iniciativa

Apoio