Uma gota na chuva. Uma flor no jardim

Apresentamos-lhe o novo podcast da Fundação Gulbenkian. Da autoria de José Carlos Barreto, é dedicado ao Jardim e vai para o ar no ano em que se celebram os 100 anos de Gonçalo Ribeiro Telles.
©DR

Mais do que uma notícia, este texto é um convite. Um convite para se deixar levar, pela voz radiofónica de José Carlos Barreto, por não um ou dois, mas uma dúzia de passeios pelo Jardim Gulbenkian. A promessa da voz que nos guia, no arranque deste podcast, é a de que, além de ouvir, “se estivermos com muita atenção, até conseguimos cheirar a terra molhada, o musgo ou a água fresca a correr” para o lago. Os podcasts, que estarão alojados no website e no Spotify da Fundação Gulbenkian, levam o ouvinte a percorrer recantos, a ouvir a chuva, os pássaros e o vento a passar por entre a folhagem, a perceber quem passa, quem ficou, levam-nos a ouvir histórias, a desenterrar memórias. Desde logo, memórias daquele que, nos anos 60, ajudou Viana Barreto a desenhar o jardim – Gonçalo Ribeiro Telles. Simplesmente “Gonçalo”, como conta a fagotista Vera Dias no segundo podcast; ou “Ribeiro Telles”, como permanece na memória da maioria dos portugueses, 100 anos após o seu nascimento.

 

Ao longo destes 12 passeios, em que José Carlos Barreto se faz sempre acompanhar pelas notas da pianista Joana Gama e por um sem número de convidados (nomes mais conhecidos ou perfeitos desconhecidos), ficará a saber, por exemplo, o que tem a Ilha dos Amores de Camões a ver com esta conversa, o que é a ideia grega de genius loci, o que permaneceu da feira popular, do jardim zoológico ou do hipódromo que, ao longo dos tempos, foram ocupando o antigo Parque de Santa Gertrudes, que caminhos não pertenciam ao projeto inicial, e que… se há amor no jardim, também há desamor – o ator e encenador Ricardo Neves-Neves que o diga!

E se, por alguma razão, houver um dia em que não quiser ouvir história nenhuma, recoste-se e fique só a ouvir. Bzzz… um chilrear ou os ffffffffffffff e os shhhhh que em poucos minutos nos permitem fazer reset.

Saber mais
Atualização em 21 março 2022

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.