Prémio Gulbenkian Património – Maria Tereza e Vasco Vilalva vai para o Funchal

O Júri da 14ª edição do Prémio distinguiu, por unanimidade, o projeto de Conservação e Restauro dos Tetos Mudéjares da Sé do Funchal, na ilha da Madeira. A cerimónia de entrega do Prémio decorre no dia 8 de julho, às 16:00, na Sé do Funchal.
©SRTC/DRC/Ricardo Faria Paulino

O projeto de Conservação e Restauro dos Tetos Mudéjares da Sé do Funchal, promovido pela Paróquia da Sé do Funchal, é o grande vencedor da 14ª edição do Prémio Gulbenkian Património – Maria Tereza e Vasco Vilalva.

De entre as dezanove candidaturas submetidas, o júri do Prémio (constituído por António Lamas, Raquel Henriques da Silva, Gonçalo Byrne, Luís Ribeiro, Santiago Macias e Rui Vieira Nery) decidiu, por unanimidade, distinguir o projeto de Conservação e Restauro dos Tetos Mudéjares da Sé do Funchal.

 

O Júri distingue assim a “exemplaridade da intervenção”, sublinhando a sua “relevância patrimonial, artística e social”. Ainda de acordo com o Júri, “o trabalho de conservação e restauro efetuado no âmbito desta recuperação prolonga a arte mudéjar no tempo.”

© SRTC/DRC/Ricardo Faria Paulino
© SRTC/DRC/Ricardo Faria Paulino

A arte mudéjar da ilha da Madeira inscreve-se numa tradição que mergulha as suas raízes na arte islâmica andaluza e que teve ampla difusão peninsular. “A sofisticação das laçarias em madeira”, tipicamente mudéjar, “está representada em todo o seu esplendor nesta intervenção”.

O projeto de recuperação abrangeu uma área de cerca de 1500 metros quadrados, no qual colaboraram 36 especialistas de várias nacionalidades, cujo trabalho conjunto possibilitou não só a descodificação do modus operandi dos artesãos, como também o estudo dos materiais e a adequada forma de os recuperar.

© SRTC/DRC/Ricardo Faria Paulino

O Júri deliberou ainda, por unanimidade, atribuir duas menções honrosas:

  •  Reabilitação estrutural e restauro da Igreja da Misericórdia de Coruche, propriedade da Santa Casa da Misericórdia de Coruche, proposta pela Conservation Practice – Consultoria em Património Histórico;
  • Recuperação da Moradia Marques da Silva, localizada na Rua Álvares Cabral, nº 103, no Porto, proposta pelo atelier Franca Arquitectura.
Moradia Marques da Silva, antes da renovação © DR
Moradia Marques da Silva, depois da renovação © DR
Moradia Marques da Silva, antes da renovação © DR
Moradia Marques da Silva, depois da renovação © DR

O Prémio Gulbenkian Património – Maria Tereza e Vasco Vilalva, no valor de 50 mil euros, foi criado em 2007 e distingue anualmente um projeto de excelência na área da conservação, recuperação, valorização ou divulgação do património cultural português, imóvel ou móvel.

Atualização em 22 setembro 2022

Definição de Cookies

Definição de Cookies

A Fundação Calouste Gulbenkian usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. A Fundação pode também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.