Apoio à criação artística nos PALOP

Quatro polos de criação artística contemporânea vão ser apoiados pelo programa PROCULTURA em Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe.
© Africa Moment - Edgar Melo

O apoio, no total de 200 mil euros, financiará projetos de quatro estruturas artísticas nestes países, no âmbito do PROCULTURA PALOP-TL, uma parceria da Fundação Calouste Gulbenkian com o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P.

As associações vencedoras do concurso vão desenvolver a investigação artística e criar novas produções nos próximos dois anos e meio. Foram contempladas com este apoio a Roça Mundo – Associação para a Cultura e Desenvolvimento, em São Tomé e Príncipe, a cooperativa Geba Filmes, da Guiné-Bissau, a associação Mindelact, de Cabo Verde, e a associação cultural Warethwa, de Moçambique.

Ao selecionar os vencedores, um júri independente apreciou a relevância, a qualidade e coerência do programa, o alcance e disseminação, a capacidade operacional e financeira, e o impacto e sustentabilidade dos projetos.

A Roça Mundo tem como objetivo capacitar a CACAU – laboratório de criação enquanto polo de criação artística no setor do teatro e da dança, com uma programação que incluirá residências artísticas e espetáculos, também noutros espaços fora da cidade de S. Tomé como a Roça Criação artística, o PICA – Ponto itinerante de cultura e ambiente e a FACA-Fábrica das artes e cidadania ativa, em Água Izé. A associação de artes performativas Folha de Medronho é parceira desta iniciativa.

O projeto da cooperativa Geba Filmes, denominado Abotcha, que significa “na terra” em balanta, consiste num programa de encontros e atividades criativas que promovem o diálogo, teatro, cinema e música, na Mediateca Onshore, espaço que se pretende que se estabeleça como campo de produção e encontro cultural de e para as comunidades locais. Conta com a parceria do grupo de Teatro do Oprimido.

O Mindelact apresenta o Tripé- três ilhas, três artes, um projeto que junta três associações cabo-verdianas da área das artes cénicas – teatro, dança e performance – de São Nicolau, São Vicente e Santiago. A ideia central é a produção de residências de criação artísticas e apresentação de obras, com o objetivo de potenciar o alargamento da comunidade criativa e do seu público em Cabo Verde. O Mindelact tem como parceiros a associação Raiz de Polon e o coletivo de artistas Projeto Chiquinho.

A associação moçambicana Warethwa venceu este concurso com o projeto Vasicati: trilhas afro-atlânticas, que pretende criar um programa de intercâmbio musical através do desenvolvimento de residências artísticas, performances ao vivo e tournées digitais, com a participação de artistas mulheres de Angola, Brasil e Cabo Verde. Este projeto contempla ainda a realização de masterclasses com estudantes universitários da área da música e tem como parceiro a Nzango Artist Residency.

O objetivo deste concurso, que decorreu em duas fases e que disponibilizou aos finalistas um workshop na área da Direção e Gestão Artística (temáticas-chave para o desenvolvimento dos projetos), é a consolidação de polos de criação artística nestes países. Espera-se que após os dois anos e meio os polos tenham ganho uma maior autonomia para o seu funcionamento e que tenham beneficiado mais de 150 artistas.

Este concurso é uma iniciativa PROCULTURA PALOP-TL, uma ação do Programa Indicativo Multianual PALOP – Timor-Leste e União Europeia, financiada pela União Europeia. É também cofinanciada e gerida pelo Camões, I.P. e cofinanciada pela Fundação Calouste Gulbenkian, com o objetivo de contribuir para a criação de emprego em atividades geradoras de rendimento na economia cultural e criativa nos PALOP e em Timor-Leste.