Exposição Tudo o que eu Quero na Google Arts & Culture

Tudo o que eu quero – Artistas portuguesas de 1900 a 2020, que a Fundação Calouste Gulbenkian apresenta até dia 23 de agosto, pode ser visitada, a partir de hoje, na plataforma Google Arts & Culture.
Paula Rego «Mãe» (Mother), 1997

Além das 200 obras de 40 artistas que compõem a mostra e que se estendem pela Galeria Principal da Sede e a Galeria de Exposições Temporárias do Museu Gulbenkian, podem ser vistas, nesta plataforma, mais quatro dezenas de obras que não estão expostas, escolhidas pela dupla de curadores da exposição, Helena de Freitas e Bruno Marchand. A plataforma sugere vários modos de exploração dinâmicos e interativos  – por tema, artista, obra, cor, entre outros – com recurso a realidade aumentada. Qualquer utilizador pode projetar as obras da exposição em sua casa, de forma a ter uma experiência imersiva na exposição.

Arts & Culture

 

 

Incluída no Programa Cultural da Presidência Portuguesa do Conselho da União Europeia, “Tudo o que eu quero — Artistas portuguesas de 1900 a 2020“, reúne trabalhos de pintura, escultura, desenho, objeto, livro, azulejo, instalação, filme e vídeo, do início do século XX aos nossos dias, explorando o modo como, num universo de consagração predominantemente masculino, as mulheres passaram de musas a criadoras. Artistas de referência como Aurélia de Sousa, Maria Helena Vieira da Silva, Lourdes Castro, Paula Rego, Ana Vieira, Salette Tavares, Helena Almeida, Joana Vasconcelos, Maria José Oliveira, Fernanda Fragateiro e Grada Kilomba, entre muitas outras, estão representadas nesta exposição com várias obras, oferecendo ao público uma imagem abrangente dos seus respetivos universos artísticos.

O título da mostra inspira-se em Lou Andreas-Salomé, autora que desenvolveu uma das mais notáveis reflexões sobre o lugar das mulheres no espaço social, intelectual, sexual e amoroso dos últimos séculos, situando, assim, as artistas selecionadas no espírito de subtileza, de afirmação e de poder.

De entrada gratuita, esta exposição é uma iniciativa do Ministério da Cultura com projeto curatorial da Fundação Gulbenkian e será apresentada em 2022 no Centre de Création Contemporaine Olivier Debré, em Tours, no âmbito do programa geral da Temporada Cruzada Portugal-França.