Computação e Sociedade

Computação é uma nova linguagem que encontramos em muitas atividades da vida de todos os dias. Usá-la nas suas potencialidades e aplicá-la com apropriação exige pensar de um modo novo e diferente. O pensamento computacional é, assim, muito mais do que programar e utilizar computadores, e inclui preparar as gerações futuras para os desafios que se anteveem.

Esta iniciativa do Programa Gulbenkian Conhecimento pretende estimular a sociedade, através da convergência de olhares distintos – de cientistas, educadores, empresários, cidadãos em geral – para integrar o pensamento computacional no desenvolvimento e no progresso social.

 

 

Computação: Introdução

Computação: Introdução

“O termo “computação” é encarado, por um lado, como um modo de estruturar o pensamento e o raciocínio, permitindo adquirir um conjunto de técnicas e métodos para resolver problemas e fazer avançar o conhecimento. É, neste aspeto, uma competência fundamental que deveria fazer parte da educação básica de todos os nossos jovens.” Arlindo Oliveira, Presidente do Instituto Superior Técnico

Painel I: Computação: uma competência fundamental para o futuro

Painel I: Computação: uma competência fundamental para o futuro

“Uma educação computacional de excelência prepara os alunos para a aplicação do pensamento computacional e da criatividade na compreensão e transformação do mundo. A dimensão central da computação é a ciência computacional, que ensina os princípios da informação e computação, o funcionamento dos sistemas digitais e como materializar o conhecimento obtido através do uso da programação.” Simon Humphreys, Computing At School National Coordinator / BCS, The Chartered Institute for IT

Painel II: Computação: formação avançada e competitividade

Painel II: Computação: formação avançada e competitividade

“O pensamento computacional é uma competência de alto nível, em comparação com competências mais rudimentares de leitura, compreensão e análise, e deve ser tratada como tal. Aprender e aguçar competências analíticas como, por exemplo, efetuar uma análise lógica e argumentativa é um pré-requisito do pensamento computacional. É importante aprender a aplicar a precisão numa análise e as suas implicações, logo desde uma fase inicial.” Srini Devadas, Webster Professor of Electrical Engineering and Computer Science / MIT Computer Science & Artificial Intelligence Lab

Painel III: Computação: impacto social e económico

Painel III: Computação: impacto social e económico

“Um “AI” é um programa de computador. Foi criado por um humano. Assim, qual é a diferença entre um computador “normal” e um “AI”? Hoje em dia o termo refere-se a “data-driven AI”: dados de configuração são inseridos num pograma de computador (sistema de aprendizagem pela máquina), que cria um modelo baseado nestes dados. O modelo é incorporado num outro programa de computador que pode ser usado em novos dados de input, por exemplo no processo de tomada de decisão.” Lynda Hardman, Manager Research & Strategy, Centrum Wiskunde & Informatica; Professor of Multimedia Discourse Interaction, Utrech

Painel IV: Computação: o valor da literacia digital

Painel IV: Computação: o valor da literacia digital

“Estar familiarizado e usar diariamente tecnologias digitais não significa necessariamente usá-las habilmente. Atualmente decorre um debate global sobre as competências fundamentais para o Século XXI, que tem influenciado abordagens formativas e educacionais, pedagogias e a estruturação de currículos que promovam competências em “design thinking“, programação e resolução criativa de problemas, como forma de potenciar oportunidades para o exercício pleno da cidadania e equidade na procura crescente de perfis técnicos.” Pedro Guedes Oliveira, Professor Emérito da Universidade do Porto


Iniciativas

 

Parceiros:


               Portugal INCoDe2030

Atualização em 09 Outubro 2019