Estágios científicos avançados em Matemática PALOP

Apoio à realização de estágios científicos avançados de curta duração para docentes do ensino superior, nacionais e residentes nos PALOP.

Candidatura

Destinado a docentes do ensino superior, nacionais e residentes nos PALOP.

Documentos


Este concurso destina-se a apoiar a realização de estágios científicos avançados em instituições de ensino superior em Portugal por docentes do ensino superior, nacionais e residentes nos PALOP (Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe), com o objetivo de iniciar ou consolidar a sua investigação na área da Matemática.

Montante do apoio

A Fundação Calouste Gulbenkian assegura um montante único de 1200€ (para apoio no acesso à internet, material informático e bibliografia especifica durante o período de tutoria online de três ou quatro meses), o montante mensal de 1250€ para apoio à subsistência no período do estágio presencial, até três meses, em Portugal, as despesas com a viagem de ida e volta entre o país de origem e Portugal até um limite de 900€ (Cabo Verde e Guiné-Bissau) ou 1200€ (Angola, Moçambique e S.Tomé e Príncipe), seguro de viagem e acidentes pessoais (contratado pela Fundação).  

Como concorrer

As candidaturas devem ser obrigatoriamente submetidas através do formulário online, conforme regulamento em anexo.

  • Faça login para criar uma conta (guarde os dados para posteriormente acompanhar o processo)
  • Leia atentamente o regulamento e junte toda a documentação necessária antes de submeter a candidatura.
  • Depois de preencher a página de candidatura poderá fazer o upload dos documentos obrigatórios e acompanhar o seu processo (guarde os dados de login).
  • As candidaturas só são aceites até dia 16 de fevereiro de 2024. Aconselhamos a que não deixe a sua candidatura para os últimos dias do prazo.

Quaisquer dúvidas respeitantes a este concurso podem ser colocadas, até ao dia 9 de fevereiro de 2024, para [email protected]


Perguntas Frequentes

Esta iniciativa destina-se a docentes do ensino superior, nacionais e residentes nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe), que pretendam efetuar estágios científicos avançados em instituições de ensino superior e centros de investigação em Portugal, com o objetivo de iniciar ou consolidar a sua atividade de investigação na área da Matemática.

As candidaturas devem ser submetidas exclusivamente por via eletrónica, através do preenchimento de todas as informações solicitadas no boletim de candidatura e a entrega de todos os documentos necessários. Para realizar esta candidatura deverá registar-se no website e seguir as instruções.

Os documentos necessários são o seu curriculum vitae atualizado e uma cópia de certificado de habilitações académicas, que deverá ser obrigatoriamente na área da Matemática ou áreas afins e ao nível do Mestrado ou frequência de Doutoramento. Existe ainda um documento que deverá ser preenchido, assinado e carimbado com o selo da sua instituição de origem: a declaração da chefia a autorizar a frequência do estágio e a existência de vínculo laboral.

O modelo para a declaração de autorização superior está disponível na página de candidatura, após o seu registo, em formato Word para sua livre utilização. O mesmo deverá ser assinado (e carimbado com o selo da instituição), digitalizado e depois carregado no sistema juntamente com os restantes documentos.

Os temas, supervisores, locais de estágios e duração das modalidades foram listados num documento disponível no portal de candidatura. O candidato poderá selecionar apenas uma opção de estágio.

Sim. Mesmo trabalhando no setor privado pode concorrer, apesar das candidaturas dos docentes e investigadores em exercício de funções no setor público serem valorizadas.

Sim. Mesmo já tendo sido bolseiro, nesta ou outra iniciativa, pode concorrer.

Apenas se for estudante de curso de pós-graduação na área da matemática (Doutoramento) com vínculo laboral a uma instituição de ensino superior.

Não. A Fundação Calouste Gulbenkian assegura uma bolsa mensal, no valor de 1.250 Euros, para fazer face às despesas de estadia e subsistência em Portugal. É ainda responsabilidade da Fundação o apoio às despesas com o visto e a passagem área de ida e volta, até Lisboa ou Porto (não tendo qualquer responsabilidade na receção do bolseiro no aeroporto), até ao valor máximo de 900 Euros (Cabo Verde e Guiné-Bissau) ou 1.200 Euros (para Angola, Moçambique e São Tomé e Príncipe), e a atribuição do seguro de viagem e acidentes pessoais.

O seguro de bolseiro emitido apenas cobre as despesas médicas em caso de ocorrência de acidente pessoal, não cobrindo despesas de consultas médicas de rotina ou resultantes de doenças previamente diagnosticadas (doenças crónicas, p.e).

Atualização em 01 março 2024

Definição de Cookies

Definição de Cookies

Este website usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação, a segurança e o desempenho do website. Podendo também utilizar cookies para partilha de informação em redes sociais e para apresentar mensagens e anúncios publicitários, à medida dos seus interesses, tanto na nossa página como noutras.