Catchupa Factory – Novos fotógrafos

Apoio à realização de oficinas e divulgação do trabalho de fotógrafos e artistas dos PALOP

A Fundação Calouste Gulbenkian apoiou as duas primeiras edições do projeto Catchupa Factory – Novos fotógrafos, que tem como objetivo estimular o reconhecimento e a visibilidade internacional do trabalho autoral em fotografia e incentivar a mobilidade de artistas e obras de arte.

A primeira edição teve lugar em maio de 2016, em Cabo Verde, e consistiu na realização de duas oficinas de fotografia. A segunda, em maio de 2017, consistiu numa residência artística com 12 participantes (1 de Angola, 7 de Cabo Verde, 2 de Moçambique e 2 de São Tomé e Príncipe) conduzido por John Fleetwood e que teve como base o curso avançado de projeto em Fotografia. Destes 12 participantes foram selecionados, com o apoio da curadoria do Museu Gulbenkian, três fotógrafos para efetuarem estágios de aperfeiçoamento profissional em instituições culturais e artísticas africanas de renome. Este programa termina em 2018 com uma exposição internacional.

O Catchupa Factory nasceu na sequência das duas primeiras edições do Festival Internacional de Fotografia de Cabo Verde, evento apoiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, que teve grande impacto na comunidade de fotógrafos cabo-verdianos e que se assumiu como um espaço privilegiado para trazer novos olhares ao arquipélago de Cabo Verde e fomentar o crescimento de uma massa critica em torno da fotografia, através da troca de experiências e know-how entre fotógrafos internacionais e cabo-verdianos.

Estas iniciativas são da responsabilidade da Associação Cabo-Verdiana AOJE – Associação Olho de Gente que tem como objetivo a divulgação da fotografia e da atividade fotográfica, numa perspetiva de desenvolvimento cultural, social e económico e que organiza programas de educação artística para escolas, formação e incentiva a produção e criação artísticas.

 

Atualização em 06 Fevereiro 2018