Antigo bolseiro Gulbenkian faz doação

Gideon Yuval

Em 1967, quando procurava uma bolsa que lhe permitisse completar os seus estudos no estrangeiro,
o israelita Gideon Yuval descobriu que todas as portas lhe estavam fechadas devido ao seu país de origem. Todas menos uma, já que encontrou na Universidade de Cambridge uma bolsa Gulbenkian, a única aberta a qualquer nacionalidade, que lhe permitiu ir para Cambridge tirar o seu curso de sonho. Quase 50 anos depois, Yuval decidiu retribuir ao doar 750 mil dólares para a bolsa que agora incorpora o seu nome e dedica ao seu pai, a bolsa Gulbenkian-Yuval.

Gideon Yuval, nascido em Jerusalém, trabalha há 26 anos na Microsoft, onde a sua especialidade é a segurança cibernética. A carreira sólida que desenvolve há muitos anos na área da informática deve-se, em parte, ao doutoramento em Física Teórica que obteve no Churchill College, na Universidade de Cambridge, no final dos anos 60.

A ida para Inglaterra não passava de um desejo quando ainda estava a terminar o seu mestrado na Universidade Hebraica de Jerusalém e procurava uma bolsa que lhe permitisse cumprir o seu sonho. Yuval conta que ao pesquisar apoios para estudar em Cambridge, descobriu que a maioria das hipóteses lhe estavam vedadas: “A maior parte das bolsas eram ‘apenas para britânicos’, ‘apenas para americanos’, ‘apenas para irlandeses’, e combinações dessas nacionalidades. A bolsa Gulbenkian era a única exceção, e não só, era especificamente para aqueles que eram excluídos pela sua nacionalidade, era aberta a todos. Por isso, candidatei-me.”

A subsequente obtenção da bolsa permitiu que se doutorasse numa instituição de renome. Sobre a sua experiência no Churchill College, Gideon Yuval considera: “É tudo o que Antigo bolseiro Gulbenkian faz doação uma universidade ainda deve ser. Deu-me a oportunidade de trabalhar com grandes nomes, incluindo laureados do prémio Nobel.” Agora, Yuval decidiu contribuir para que mais estudantes como ele possam ter a mesma oportunidade. Por isso, doou 750 mil dólares ao Churchill College, para reforçar a bolsa já existente. Desta forma, a bolsa passa a ser concedida a um novo aluno de três em três anos.

Gideon decidiu dedicar esta sua ação ao seu pai, Adam Yuval, passando as bolsas a denominarem-se Bolsas Gulbenkian-Yuval. Adam Yuval, médico, nasceu em Berlim em 1912, mas fugiu da Alemanha quando Hitler subiu ao poder. Estabeleceu-se em Itália até Mussolini começar a tomar decisões antissemitas. Mudou-se para Chipre onde esteve detido por ter passaporte alemão, mas foi libertado depois de fazer uma greve de fome e alistou-se no exército inglês com esperança de chegar à Palestina. Acabou por estar envolvido nos confrontos contra as tropas de Rommel, na campanha do Deserto Ocidental, enquanto oficial na Royal Army Medical Corps. Morreu em 2012, em Jerusalém, para onde conseguiu finalmente ir depois da guerra. A bolsa que permitiu ao seu filho conseguir construir uma carreira de sucesso conta agora com o seu nome e continua, como sempre, aberta a pessoas de qualquer país do mundo. Informações sobre candidaturas em: www.chu.cam. ac.uk

 

Bolsas Gulbenkian no Churchill College

A Fundação Calouste Gulbenkian foi a primeira instituição internacional a associar-se ao projeto de criação do Churchill College, concedendo em 1958, uma doação de cinquenta mil libras, “a fim de garantir a concessão de Bolsas de Estudo ‘Gulbenkian’ destinadas a estudantes provenientes de países fora do Reino Unido.” Esta doação foi posteriormente reforçada, em 1964, com um montante de 12 mil libras.

O montante doado destinava-se à concessão de três bolsas de estudo, duas bolsas para pós-gradua‑ ção e uma bolsa de pós-doutoramento. Entre 1956 a 2014 foram concedidas um total de 42 bolsas, com bolseiros oriundos dos mais diversos países, com des‑ taque para sete bolsas atribuídas a estudantes indianos, cinco a irlandeses, três a australianos e duas bolsas a estu‑ dantes de Singapura e Nova Zelândia.