Orquestra Gulbenkian grava disco com Bruno Borralhinho

Gulbenkian Música

A Orquestra Gulbenkian, sob a direcção de Pedro Neves e em colaboração com o violoncelista Bruno Borralhinho, terminou esta semana a gravação de quatro obras de compositores portugueses:  o Concerto para Violoncelo e Orquestra de Joly Braga Santos, o  Concerto da Camera col Violoncello Obligato de Fernando Lopes Graça, Cena Lírica de Luís de Freitas Branco e Poema de Luís Costa (numa versão completada e orquestrada por Pedro Faria Gomes). Estas obras farão parte de um CD a editar pela Naxos no próximo ano. À exceção da peça de Lopes-Graça, todo o repertório conhece aqui a sua primeira difusão fonográfica.

Bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian entre 2001 e 2005, o  jovem violoncelista Bruno Borralhinho é membro da Orquestra Filarmónica de Dresden, tendo fundado o Ensemble Mediterrain, grupo de câmara de que é Director Artístico.  Apresenta-se regularmente como solista com orquestra, bem como em recitais a solo e com piano em Portugal e no estrangeiro. Tem desenvolvido um meritório esforço na difusão da música portuguesa, como testemunha o CD “Página Esquecida”, gravado em colaboração com a pianista Luísa Tender, inteiramente dedicado à música portuguesa, e que recebeu as melhores críticas da imprensa nacional e internacional.

Atualização em 26 Outubro 2016