28 Setembro 2020

Jorge Salavisa (1939-2020)

Jorge Salavisa © José Frade
Jorge Salavisa © José Frade

A Fundação Calouste Gulbenkian lamenta o desaparecimento de Jorge Salavisa, uma das mais destacadas figuras da vida cultural e artística portuguesa que foi responsável pela direção artística do Ballet Gulbenkian ao longo de duas décadas, deixando uma marca de modernidade na Companhia. Isabel Mota, presidente da Fundação, realça a sua “brilhante carreira internacional como bailarino”, após a qual assumiu a direção artística do Ballet Gulbenkian, “que exerceu durante vinte anos e onde teve um papel decisivo na vinda a Portugal de alguns dos maiores coreógrafos mundiais da dança contemporânea e na formação de gerações sucessivas de bailarinos e coreógrafos portugueses”. A presidente da Fundação” presta homenagem à memória deste colaborador fundamental da história da instituição, na certeza de que o seu legado continuará a servir de inspiração a todos os criadores, intérpretes, programadores e espectadores nos múltiplos campos em que o seu talento único se manifestou.”

Nascido em 1939, Jorge Salavisa iniciou os estudos de dança com Ana Máscolo, tendo prosseguido a sua formação e carreira em Paris e Londres. Trabalhou com grandes nomes do bailado mundial, como Rudolf Nureyev e Margot Fonteyn. Além de diretor artístico do Ballet Gulbenkian, foi ainda professor na Escola de Dança do Conservatório Nacional, destacando-se como um dos mais influentes programadores culturais do País, como responsável pela área de Dança de Lisboa 94 – Capital Europeia da Cultura, como Presidente do Conselho de Administração da Companhia Nacional de Bailado (CNB) e como Diretor do Teatro Municipal de São Luiz.