4 Dezembro 2019

Edifícios e Jardim Gulbenkian

No 50º aniversário do Edifício Sede e do Museu Gulbenkian, o arquiteto Gonçalo Byrne, o fotógrafo André Cepeda e o arquiteto japonês Kengo Kuma vêm falar sobre a obra que marcou a arquitetura portuguesa.

© Kengo Kuma Luxigon
© Kengo Kuma Luxigon

Marque na agenda: dia 10 de dezembro será um dia dedicado aos Edifícios e ao Jardim Gulbenkian. Não só ao que vemos hoje e ao que ele nos oferece, mas também um tributo ao seu passado, à sua história, e àquilo que, em breve, terá para mostrar de diferente. Sob o título Edifícios e Jardim Gulbenkian – Passado, Presente e Futuro, Ana Tostões, Gonçalo Byrne e João Nunes vão debater, no Grande Auditório, a arquitetura dos edifícios Gulbenkian e a sua inserção na cidade de Lisboa, desde a sua construção aos dias de hoje.

A esta mesa-redonda seguir-se-á o lançamento do livro de fotografia Gulbenkian, da autoria de André Cepeda. O fotógrafo português, que ao longo dos anos já expôs um pouco por todo o mundo – do Museu do Chiado à Faulconer Gallery, no Iowa, passando pela Delegação da Fundação Calouste Gulbenkian em França –, apontou a objetiva aos edifícios e o Jardim Gulbenkian e, em conjunto com a editora Monade, fotografou os vários espaços do antigo Parque de Santa Gertrudes. O resultado propõe um trabalho aprofundado sobre a arquitetura do edifício, a sua relação com o jardim e com a cidade de Lisboa. A apresentação da obra estará a cargo de Gonçalo Byrne, André Cepeda, José Neves e João Carmo Simões.

Por fim, o premiado arquiteto japonês Kengo Kuma vai desvendar um pouco mais do projeto de ampliação do Jardim, a sul. O arquiteto, em conjunto com o paisagista Vladimir Djurovic, foi o vencedor do concurso de ideias para esta expansão. Nesta conferência, intitulada “Um parque para a cidade”, ficará a conhecer os novos percursos e a nova dinâmica do Jardim.

O evento está marcado para dia 10 de dezembro, no Grande Auditório, a entrada é gratuita, mediante levantamento de bilhete. A intervenção de abertura será feita pela presidente da Fundação, Isabel Mota.

Atualização em 05 Dezembro 2019