Cultura portuguesa une estudantes estrangeiros

Encontro de bolseiros Gulbenkian

Cinco italianos, dois alemães, um norte-americano, um colombiano, um espanhol e uma brasileira vivem em Portugal e estudam Portugal. Investigadores de diferentes áreas como História, História de Arte, Literatura e Ciência Política, elegeram a cultura portuguesa como tema para os seus projetos.

Raffaela Maddaluno é italiana e professora de Arquitetura em Lisboa. Quando não está a dar aulas, visita os edifícios das antigas fábricas de moagem que existiam no país em 1930 para o seu projeto de investigação. Na área da literatura, Steffen Dix investiga os modernismos  transatlânticos em Portugal, no Brasil, em Angola e em Cabo Verde e a brasileira Tania Martuscelli centra o seu estudo nas relações literárias entre o seu país de origem e Portugal. Noutra vertente, o alemão Dirk Hennrich centra as suas pesquisas na construção do maior lago artificial da Europa – a Barragem de Alqueva – para abordar a teoria e a estética da paisagem em Portugal no século xx. Diego Giménez Celano está em Coimbra e analisa as múltiplas edições críticas do Livro do Desassossego, de Pessoa.

Os onze investigadores estrangeiros são bolseiros da Fundação Calouste Gulbenkian e no dia 12 de maio partilharam os seus trabalhos que, apesar de estarem em diferentes fases de evolução, geraram interesse, comentários e sugestões dos colegas.

Eduardo Marçal Grilo, que esteve presente nesta sessão, realçou a importância do trabalho destes investigadores, que, para além de divulgarem a cultura portuguesa, são embaixadores da Fundação Gulbenkian nos seus países de origem.

Atualização em 26 Outubro 2016